Cultura DevOps quebra barreiras entre os setores de desenvolvimento e operação; conheça

Foto do autor

O DevOps é uma abordagem que vem ganhando tração dentro das empresas, principalmente por resultar em processos mais ágeis, através da colaboração. Mais do que isso, essa é uma mudança de cultura que emprega o método ágil e quebra barreiras entre os setores de desenvolvimento e operação.

Em uma estrutura tradicional, ambas as áreas trabalham de forma individual, o que acaba criando gargalos na produção. Como exemplo, leva-se mais tempo para liberar um novo software ou fornecer testes eficazes. 

Já no DevOps, o modo de trabalho é outro e depende de uma equipe multidisciplinar. Neste, os desenvolvedores não só codificam, mas também contribuem para a gestão de implantação, por exemplo.

Além disso, com menor foco na divisão de tarefas por departamento, há a oportunidade de contar com profissionais mais engajados como um todo.

Para entender melhor sobre o que se trata o DevOps e como essa cultura é aplicada hoje, neste artigo você verá:

  • Definindo a cultura DevOps
  • Panorama atual da DevOps
  • Uma abordagem em ascensão
  • Como funciona na prática?
  • Desafios para implementar o DevOps

Definindo a cultura DevOps

Voltada para a integração dos times de desenvolvimento e operações, prática promove mais eficiência aos processos

O DevOps, termo resultante da junção de DEsenvolvimento (ou development, do original em Inglês) e OPeração, é uma prática comum às empresas, especialmente para as de tecnologia. Isso porque essa abordagem resulta na criação de produtos, como softwares, de modo mais rápido, estável e escalável. 

Mesmo com sua popularização nos últimos anos, ainda há muita disparidade quanto à definição do conceito. Um dos significados mais aceitos é que esta é uma transformação cultural, como o Gartner define:

“(…) uma mudança na cultura de Tecnologia da Informação, com foco na entrega rápida de serviços de TI por meio da adoção de práticas ágeis e enxutas no contexto de uma abordagem orientada a sistemas. O DevOps enfatiza as pessoas (e a cultura) e busca melhorar a colaboração entre as equipes de operações e de desenvolvimento.”

A consultoria ainda ressalta que nesse novo modo de trabalho são empregados recursos tecnológicos, como os de automação, para alavancar a estrutura tradicional, tornando-a mais dinâmica. 

Na prática, o DevOps é a união das equipes de desenvolvimento e operação, com a finalidade de remover gargalos na produção e ruídos na comunicação entre ambos. Aliás, mesmo no trabalho remoto, manter a proximidade dos profissionais é prioridade, sendo preciso manter canais abertos através de ferramentas de colaboração ou softwares de produtividade.

Enfim, independentemente do ponto de vista, a adoção de tal cultura resulta em entregas de qualidade mais ágeis, e, dessa forma, agrega valor ao negócio.

Características da abordagem

Embora não exista apenas uma técnica para a implementação de DevOps,há algumas características gerais que podem ser citadas para ajudar na compreensão dessa cultura. 

  • Equipe multidisciplinar

Composta principalmente por profissionais das áreas de desenvolvimento e operações. Também pode incluir especialistas em arquitetura e segurança da informação.

  • Diálogo aberto

Quando se opta pelo DevOps, uma série de transformações culturais e estruturais devem ocorrer. Por isso, é importante manter uma política de portas abertas para novas ideias e soluções. 

  • Panorama interno e externo

Não é apenas dentro da organização que o olhar da equipe de DevOps deve focar. Pesquisas do setor, trocas de experiências em eventos e redes de colaboração devem ser levados em consideração.

  • Entregas rápidas e com qualidade

O método ágil é aplicado na cultura DevOps a fim de garantir velocidade e agilidade às entregas. Assim, o time deve identificar rapidamente gargalos no processo, bem como reconhecer e solucionar pontos de melhorias. Com esse método, há possíveis melhorias até na experiência do consumidor.

Webinar | Computação em nuvem ajuda na área financeira_V1

Panorama atual da DevOps 

Como mencionado, o DevOps está se popularizando nos mais diferentes mercados, devido aos seus benefícios em agilidade e melhoria de processos. 

Tanto é que a última edição do relatório anual produzido pela Red Gate, 2021 State of Database DevOps, mostra o avanço na adoção da abordagem. 

Segundo o documento, 74% dos 3200 entrevistados afirmam ter, ao menos, alguma implementação de DevOps. Ao mesmo tempo, 26% afirmaram ter adotado o método em todos os seus projetos. Há pouco tempo atrás, em 2017, essa taxa era de apenas 12%. 

A pesquisa ainda indica que empresas de grande porte têm maior tendência a adotar a cultura. Dentre estas, as organizações tradicionalmente mais avançadas em transformação digital, como os setores de alta tecnologia e serviços financeiros, se destacam.

Uso em paralelo com outras tecnologias

Em um cenário de alta digitalização, o DevOps se relaciona com diversas tecnologias. Porém, algumas são consideradas partes essenciais desse modelo, como a conectividade. Esta não só é a base da digitalização das empresas, como também permite o trabalho em ambientes digitais e à distância.

Outro bom exemplo é a cloud. A infraestrutura da nuvem tem elementos, tais como a flexibilidade e escalabilidade, que a tornam especialmente atraente no momento de desenvolver e testar novas aplicações. 

De acordo com a edição 2021 do relatório Estado do DevOps, produzido pela Puppet, 65% das organizações que estão em estágio intermediário de evolução de DevOps utilizam nuvem pública. 

Por outro lado, o levantamento também expõe um problema: apenas 20% dessas empresas estão usando a nuvem em todo o seu potencial. Essa métrica de capacidade é mensurada através de cinco indicadores, segundo o órgão estadunidense de padrões e tecnologia NIST

  1. autoatendimento sob demanda;
  2. amplo acesso à rede;
  3. agrupamento de recursos, 
  4. elasticidade rápida,
  5. serviço medido.

Já entre as instituições com alto nível de DevOps, o potencial aproveitado desses importantes recursos sobe para 80%.

Uma abordagem em ascensão

A tecnologia e os negócios andam lado a lado. Com a popularização de recursos tecnológicos que trazem benefícios notáveis às empresas, como a nuvem e a Internet das Coisas (IoT), mais dados são gerados a cada segundo.

Atualmente, as organizações utilizam diversos tipos de bancos de dados, por exemplo, que exigem ainda mais colaboração e coordenação na gestão de governança.

Em outras palavras, a complexidade dos ambientes de trabalho e das estruturas de TI está aumentando para suportar as novas demandas. Ao mesmo tempo, a competitividade do mercado exige que as companhias produzam melhor e mais rápido.

Nesse sentido, aplicar abordagens como as de DevOps que agilizam processos e facilitam a entrega de valor comercial é fundamental. 

Além disso, a integração das equipes de desenvolvimento e operações ajuda desde no estabelecimento de objetivos e divisão do trabalho até na comunicação no dia a dia. Inclusive, é essa colaboração entre profissionais que irá resultar em produtos finais de maior qualidade para o cliente. 

Afinal, com uma equipe focada se torna mais fácil identificar e solucionar problemas, como erros de software. 

Outro ponto vantajoso do DevOps é que trabalha com sistemas, como o de entrega contínua, que motivam as equipes a manter ou ainda aprimorar o fluxo de produção. Com o tempo de entrega otimizado e um produto aprimorado, há economia em custos para a empresa e satisfação para o cliente final.

Solução para o uso de IoT

A IoT é um caso à parte que tem muito a se beneficiar com uma abordagem DevOps. A inovação que já é utilizada em casa, escritórios e indústrias é essencial para uma cultura data-driven como a que vivemos. 

Ao mesmo tempo, ainda existem obstáculos para que a IoT possa ser utilizada em grande escala, como as questões de segurança dos dados. Nesse cenário, o DevOps aparece como solução para a arquitetura da Internet das Coisas, trazendo mais estabilidade a essa tecnologia, com recursos como:

  • Integração e implantação contínuas, garantindo o fornecimento de atualizações para os dispositivos conectados;
  • Testes de segurança que conseguem reduzir a exposição na troca de informações dos sensores, diminuindo também os riscos de segurança.

Como funciona na prática?

Assim como a transformação digital, o DevOps também é uma mudança cultural, cujo sucesso depende mais do engajamento dos profissionais do que da simples adoção de ferramentas. 

A princípio, o pensamento de negócio para implementação dessa abordagem deve ser o inverso do tradicional, que aplica uma tecnologia e então testa os limites de sua capacidade. Ou seja, primeiro se pensa nos resultados desejados e metas estabelecidas e, a partir daí, é desenhada a estratégia de transformações na estrutura de TI.

Inclusive, nesse processo é comum o apoio em comunidades de prática. Estes são grupos para troca de experiências e compartilhamento de aprendizados entre os participantes, bem como para promoção de debates e seminários com especialistas.

Após definir as dores do negócio, também é válido identificar a área inicial de melhoria e montar o time focado para esse projeto. A digitalização dos processos da empresa, com possível migração para a nuvem, também é crítica para o sucesso da estratégia.

Já a adoção de ferramentas de DevOps, bem como de tecnologias avançadas que apoiem a abordagem, é uma das etapas finais na implementação. 

Quanto às metodologias que podem ser aplicadas para ajudar na adoção do DevOps, existe uma grande variedade. Entre as mais populares está o método ágil, que divide grandes etapas do processo de desenvolvimento e operação em diversas atividades. 

Todavia, há um ciclo comum às abordagens DevOps que inclui quatro passos fundamentais: planejar, desenvolver, entregar e monitorar.

Caso de uso

Um bom exemplo de transformação com DevOps é de uma das empresas listadas no ranking Fortune 500, a Liberty Mutual Insurance. O caso, que foi publicado em um artigo da Forbes em julho de 2021, explica que a seguradora tem uma infraestrutura complexa de TI composta por diversos sistemas legados. 

A companhia passou por um longo processo de transição para a cultura DevOps, com mais de 5.000 profissionais de tecnologia. Como resultado dessa adoção, os processos se tornaram mais ágeis e estáveis. 

Segundo Justin Stone, que é Diretor Sênior de Plataformas DevOps na empresa: “(…) nossa equipe agora está implantando código 200 vezes mais rápido, criando mais estabilidade, nos permitindo experimentar mais e lançar novos produtos e recursos em uma linha do tempo muito mais rápida.”


LEIA MAIS: Ter um data center é importante para o negócio? Entenda o que é e quem deve investir nessa solução


Desafios para implementar o DevOps

Saiba como implementar a metodologia DevOps

Ao contrário do que pode parecer, as principais barreiras à implementação dessa abordagem estão mais relacionadas a desafios técnicos, quanto a questões de orçamento.

Segundo dados do 2021 State of Database DevOps, os desafios mais comuns na adoção dessa forma de trabalhar são:

  1. Falta de habilidades específicas e apropriadas no time,
  2. Disrupção do fluxo de negócio atual/tradicional,
  3. Falta de alinhamento entre os times de desenvolvimento e operações

Além disso, outro ponto levantado na pesquisa é quanto à diversidade nas bases de dados, uma vez que 70% dos respondentes disseram ter mais de um database na estrutura corporativa. 

Ademais, a popularização de aplicações NoSQL, por exemplo, também é uma tendência: mais de 47% dos entrevistados afirmaram trabalhar com esses bancos de dados não relacionais. No caso, isso representa um desafio quanto às ferramentas de migração e à gestão de metadados. 


LEIA MAIS: Metodologias ágeis: o que são e como aplicá-las com tecnologia


Conclusão

Em um cenário em que há cada vez mais dados e estruturas mais diversificadas nas empresas, o DevOps é uma abordagem necessária. Em suma, a transição para essa cultura envolve adaptações estruturais, tecnológicas e organizacionais e exigem esforço de todo o time. 

Mas, em troca, trazem resultados em agilidade, otimização de processos e redução de custos. Ou seja, afetam desde a forma de trabalhar até a qualidade do produto ou serviço entregue e, consequentemente, a experiência do cliente.

Outras tendências, como o DevSecOps que leva a preocupação com segurança a todas as etapas de produção, também já ganham importância no mercado. Contudo, para inovar é preciso contar com tecnologias que apoiem essa transição, como na migração para a nuvem ou mesmo na integração dos times, com as ferramentas de colaboração.

Nesse sentido, a Vivo Empresas atua como uma parceira tecnológica estratégica, acelerando a transformação digital do negócio e, posteriormente, a adoção da cultura DevOps. 

Para conhecer ainda outras formas de inovar no negócio através da tecnologia, confira os artigos:

Até a próxima!

Foto do autor
Solicite um contato