Cadeia de suprimentos: entenda como as tecnologias digitais otimizam esse processo

Foto do autor

A eficiência da cadeia de suprimentos (também conhecida como supply chain) é um fator essencial para o bom desempenho de todos os setores produtivos. Compreendida como a soma das etapas que envolvem a elaboração de um produto, da compra da matéria-prima ao consumidor final, esse processo é bastante complexo e envolve inúmeros agentes econômicos.

Dessa forma, tanto os varejistas quanto os fabricantes, os distribuidores e os transportadores necessitam de uma cadeia de suprimentos de qualidade para garantir os resultados. Para isso, as tecnologias digitais são excelentes aliadas dos gestores.

Com recursos como Inteligência Artificial (IA), Internet das Coisas (IoT) e Computação em Nuvem, a supply chain se automatiza em diversas etapas, reduz custos e agiliza a logística. Integradas com a boa gestão, essas tecnologias digitais promovem benefícios, do produtor ao cliente final.

Siga conosco para saber mais sobre a cadeia de suprimentos e entender como a tecnologia impulsona a eficiência desse processo. Aqui, você verá:

  • A importância da cadeia de suprimentos para as empresas
  • As 5 etapas da cadeia de suprimentos
  • Gestão da supply chain
  • Tecnologias digitais que otimizam a cadeia de suprimentos

A importância da cadeia de suprimentos para as empresas

Até o cliente levar para casa um bem de consumo comprado em alguma loja, existe uma série de etapas que esse produto percorre. A soma de todos esses processos é chamada cadeia de suprimentos, e considera desde a compra da matéria-prima até a aquisição pelo consumidor final.

Como envolve diversos agentes econômicos, a supply chain é um processo complexo, no qual a fragilidade de um elo prejudica toda a corrente. Podemos citar, como exemplo atual, o impacto da falta de chips semicondutores na fabricação de automóveis, videogames e smartphones. Outro caso recente de dificuldade na cadeia de suprimentos foi a greve dos caminhoneiros, de 2019, que atrasou ou paralisou diversas atividades produtivas. 

Dessa forma, a estabilidade e eficiência da supply chain proporciona previsibilidade aos agentes econômicos e garante o abastecimento da população. Quando bem executada, gera uma relação ganha-ganha entre os diferentes negócios e colabora para a redução dos custos e do tempo de entrega.

Dependendo da etapa produtiva em que a empresa se encontre na cadeia de suprimentos (fábrica, distribuidora, varejo, escritório etc.), o processo terá diferentes níveis de gerenciamento e dependerá de distintos fatores. 

Webinar | Como manter a privacidade de dados_V1

As 5 etapas da cadeia de suprimentos

De maneira geral, podemos dividir a cadeia de suprimentos conforme as cinco principais etapas presentes no processo: produção, fabricação, distribuição, varejo e consumidor final.

Produção

Primeiro elo da supply chain, os produtores são os responsáveis por fornecer insumos para os agentes econômicos seguintes. Fazem parte dessa etapa, por exemplo, as indústrias extrativistas de minério, madeira, óleo bruto, entre outras, além do agronegócio.

Na cadeia de suprimentos mundial, o Brasil é um dos maiores produtores de matéria-prima do mundo. O País é líder, por exemplo, em produção e exportação de soja, além de ter o maior rebanho bovino do planeta. A nação se destaca, também, na produção de minério de ferro.

Fabricação

As indústrias de bens de consumo duráveis e não duráveis são o segundo elo da cadeia de suprimentos. Essas fábricas beneficiam a matéria-prima, transformando-a em produtos prontos para serem vendidos à população.

Vale destacar que nem todas as indústrias são voltadas ao consumidor final, sendo que muitas fábricas são de base ou de produtos intermediários. Nesses casos, a distribuição é realizada para outras fabricantes.

As tecnologias digitais estão presentes em peso em diversas fábricas de produtos complexos, em um processo conhecido como indústria 4.0. Nesse sistema, a IA e a automação são essenciais na sofisticação dos produtos e na escalabilidade dos fabricantes.

Distribuição

A etapa de armazenar e transportar os bens de consumo é crucial na cadeia de suprimentos. Também conhecida como logística, é nesse processo que os produtos são movimentados do fabricante aos pontos de venda, algo que requer bastante planejamento, e, dependendo do material, o uso de veículos e meios de armazenamento especializados.

Embora o emprego de tecnologias sofisticadas estejam mais presentes nas etapas anteriores, a distribuição é um dos processos mais promissores em relação ao uso dos recursos digitais. A aplicação da IoT para rastreamento de frota está entre as principais tendências, enquanto os veículos autônomos são uma das maiores apostas para o futuro.

Algo importante de se ressaltar na logística é que essa etapa da cadeia de suprimentos possui enorme dependência com a infraestrutura do País. No caso do Brasil, por exemplo, o elevado uso rodoviário, em detrimento do ferroviário, é um dos entraves para o barateamento dos produtos.

Varejo

Os pontos de vendas para o cliente final são o último ambiente de negócios da supply chain. É aqui o destino final de todas as etapas produtivas e onde se materializa o objetivo central da cadeia de suprimentos: abastecer a população com bens de consumo.

O varejo é outra categoria de negócios que se beneficia cada vez mais das tecnologias digitais. Esses recursos auxiliam o gestor em diversas atividades, como no impulsionamento do comércio eletrônico, nas opções de meios de pagamento, no contato com os agentes econômicos anteriores da cadeia de suprimentos etc.

Entre o varejista e o consumidor, existe uma subetapa dessa cadeia, por onde passam os produtos: o sistema de entregas. Aqui, a tecnologia também se mostra promissora, com a utilização cada vez maior de drones e outras ferramentas de automação do delivery.

Consumidor

A grosso modo, quando o cliente compra um produto de uma loja, encerra-se toda a cadeia de suprimentos. Entretanto, para que todo o processo continue se retroalimentando, o relacionamento com o consumidor e o pós-venda são passos igualmente importantes.

Para isso, recursos como fidelização, marketing personalizado e canais de suporte ao consumidor são ótimos aliados. Novamente, as ferramentas digitais entram em cena, proporcionando, dentre outros benefícios, que o gestor conheça muito melhor seus clientes, por meio do processamento de dados em larga escala (big data).

Embora os agentes produtivos, de maneira geral, entendam a supply chain como o percurso da matéria-prima ao consumidor, ainda existe uma etapa a mais da vida de qualquer produto: o descarte. 

Quando esse processo leva em consideração a sustentabilidade, ele é chamado de cadeia de suprimentos verde. Assim, o termo amplia seu significado, considerando que um produto se constitui da matéria-prima ao descarte final.

Gestão da supply chain

Por conta da complexidade dos processos e dos benefícios gerados, quando bem executada, a boa gestão da cadeia de suprimentos é fundamental para grandes empresas.

Também conhecida como Supply Chain Management (SCM), esse tipo de gerenciamento engloba uma série de decisões estratégicas, com o objetivo de garantir que o negócio esteja alinhado e integrado com as diversas etapas da cadeia de suprimentos.

Para um comércio varejista, por exemplo, a SMC inclui a compra de insumos de fornecedores, o planejamento da logística, o controle de estoque de produtos, entre outras tarefas. O gestor, portanto, é responsável pelos acordos com os demais agentes econômicos, que, de alguma forma, participam do seu negócio.

Os benefícios de uma boa gestão são inúmeros: diminuição dos custos, agilidade de respostas em meio às crises, fornecimento contínuo de bens de consumo ao cliente final etc. Tudo isso se traduz em aumento da lucratividade e vantagem competitiva ao crescimento do negócio.

A SMC é um desafio que requer um alto grau de integração do gestor com os próprios quadros da empresa e com os parceiros comerciais. Assim, é imprescindível que o responsável tenha facilidade de comunicação, de relacionamento, capacidade de adaptação e resiliência, além de conhecimento sobre as tecnologias que ajudam no processo. 

Tecnologias digitais que otimizam a cadeia de suprimentos

Para o gestor responder às dificuldades enfrentadas na SMC, existem diversas soluções digitais que dão suporte aos diagnósticos e tomadas de decisões. Esses recursos tecnológicos ainda automatizam inúmeros processos e podem ser utilizados em todas as etapas da cadeia de suprimentos.

IA e Machine Learning

A complexidade de variáveis envolvidas na cadeia de suprimentos (demanda dos clientes, fornecedores, estoque, logística etc.) impõe a necessidade de cálculos e previsões muito além da capacidade humana. Esses problemas se resolvem com o uso de softwares computacionais dotados de Inteligência Artificial (IA).

Com base em coleta e processamento de dados, a IA, em consonância com Machine Learning, aumenta o grau de previsibilidade das etapas da supply chain e possibilita a automação ou semiautomação de diversos processos. 

Com esses recursos, o gestor ganha precisão na tomada de decisões (a quantidade de insumos para compra ou o melhor caminho logístico, por exemplo), pois a tecnologia aponta a melhor estratégia com base nas informações processadas.

O resultado do bom uso dessa ferramenta é a redução dos custos e o aumento da produtividade. Segundo pesquisa da McKinsey, de 2019, 63% dos entrevistados afirmaram que houve aumento das receitas com adoção de IA nos seus negócios.

IoT

A conexão de dispositivos com elementos físicos (máquinas, veículos, ambientes de armazenamento etc.) possibilita o acompanhamento em tempo real do desempenho desses objetos. Esse processo é conhecido como internet das coisas, ou IoT, e traz inúmeros benefícios a toda a cadeia de suprimentos.

É possível ao distribuidor, por exemplo, fazer o acompanhamento da frota em tempo real, aumentando a segurança das operações. A IoT também contribui com a manutenção das máquinas agrícolas, fornecendo telemetria em tempo real.

No varejo, a tecnologia de IoT traz soluções em meios de pagamento, e pode, até mesmo, ser utilizada no monitoramento do ambiente físico das lojas, com sensores que medem os ambientes mais procurados pelos consumidores e o tempo de permanência dos clientes.

Cloud computing e conectividade

Uma SCM qualificada requer o uso de um ambiente seguro, prático, remoto e escalonável para o uso de softwares de gestão e armazenamento. Isso tudo é possível com a tecnologia de cloud computing (computação em nuvem).

Esse recurso colabora para o controle eficiente dos dados dos negócios e também possibilita uma comunicação direta entre os diferentes atores da cadeia de suprimentos. A computação em nuvem ainda traz flexibilidade às empresas, possibilitando, por exemplo, a ampliação do espaço de armazenamento em ocasiões esporádicas, como datas comemorativas.

Essa e outras ferramentas digitais funcionam de modo ágil e estável por meio do investimento na conectividade. A qualidade desse recurso é essencial para a sustentação e integração das operações de supply chain. Afinal, somente com uma infraestrutura confiável e responsiva, é possível que as tecnologias supram as necessidades dos negócios.

Invista na cadeia de suprimentos 4.0

O acirramento da competição entre as empresas e a constante mudança nas preferências do consumidor impõem aos negócios a busca permanente por eficiência. Sendo a cadeia de suprimentos um dos fatores que mais impactam nas receitas das organizações, encontrar soluções por meio da tecnologia é uma das melhores alternativas ao gestor.

Para empresários que buscam incorporar as soluções digitais no próprio negócio, o futuro é promissor. Com o avanço da robótica, do uso de drones e a tendência do barateamento das tecnologias 4.0, as estratégias baseadas em recursos tecnológicos tornam-se cada vez mais acessíveis.

Segundo aponta estudo da consultoria Gartner deste ano, 75% das grandes empresas farão uso de alguma espécie de robôs inteligentes em suas operações de armazém até 2026. Para esse mesmo ano, a previsão é de que mais de 75% dos fornecedores de aplicativos de gerenciamento de supply chain irão incorporar análises avançadas e IA nos seus serviços.

Para ajudar as empresas a otimizarem sua cadeia de suprimentos, a Vivo Empresas reúne um portfólio completo de soluções digitais.  Suportada pelas mais modernas tecnologias do mercado global,  apoia pequenos, médios e grandes negócios, desde a consultoria à implementação, das aplicações ideais, conforme cada necessidade.

Saiba mais sobre como os avanços tecnológicos impulsionam as empresas lendo os artigos a seguir.

Até a próxima!

Foto do autor
Solicite um contato