Vendas na internet: conheça as principais tendências tecnológicas

Foto do autor

Se no início da pandemia as vendas na internet foram adotadas como uma estratégia de enfrentamento à crise, hoje em dia a história já é outra. Esse modelo de consumo mudou os hábitos da população e é uma realidade que não pode mais ser ignorada pelas empresas.

Desde a compra de aparelhos eletrônicos sofisticados até as compras do dia a dia, o comércio digital permanece crescendo entre o público brasileiro. Seja para pequenos ou grandes negócios, o posicionamento online é um dos principais fatores de sucesso corporativo.

Porém, o ambiente digital exige cautela em relação à cibersegurança e um bom plano para se destacar frente à concorrência. Nesse processo, as inovações digitais são ótimas aliadas, ajudando pequenos e médios empreendimentos a melhorarem sua atuação no meio virtual.

Este artigo mostra como a tecnologia está trazendo novas possibilidades às vendas online. O conteúdo abordará os seguintes tópicos:

  • Panorama das vendas na internet em 2022;
  • Desafios da segurança digital;
  • Tendências para vendas na internet;
  • Tecnologias aliadas ao comércio online.

Transações online em ascensão

As estatísticas demonstram que o comércio na internet não foi apenas uma moda no período de isolamento social. Ao contrário, não deixou de crescer, mesmo com o retorno às atividades presenciais.

Segundo informações da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), divulgados na IstoÉ Dinheiro, o setor nacional de e-commerce faturou R$ 73,5 bilhões no 1º semestre deste ano. A projeção para o 2º semestre é que as vendas somem R$ 91,5 bilhões.

Outro estudo que demonstra o crescimento do setor é o MCC-ENET, uma parceria entre a Neotrust e a camara-e.net. Com o auxílio de dados do IBGE, a pesquisa acompanha, entre outros indicadores, a participação do e-commerce brasileiro no varejo. Em dezembro de 2021, o resultado no acumulado de 12 meses foi de 12,2%, enquanto a medição em janeiro daquele ano era de 10%.

O levantamento também mostra que, no último trimestre do ano passado, a inserção dos consumidores na população de internautas do Brasil atingiu 18,5%. Isso significa que praticamente 1 a cada 5 pessoas no meio virtual realiza compras online. Levando em consideração que o país possui 152 milhões de pessoas conectadas, o comércio na internet atende mais de 28 milhões de potenciais clientes.

E-book | Impulsionar vendas em datas comemorativas _V1

Vender online traz desafios à segurança digital

Ter uma loja no ambiente virtual envolve grandes responsabilidades relacionadas à segurança da informação. O ciberespaço é um terreno fértil para ataques de hackers que colocam em jogo não só a reputação de uma empresa, mas também os consumidores e profissionais, além dos riscos previstos na Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

Uma das práticas mais comuns é o ransomware, que consiste no bloqueio ou sequestro de conteúdo com o objetivo de extorsão. Segundo o levantamento O Estado do Ransomware 2022, da Sophos, 55% das organizações brasileiras pesquisadas relataram ter sofrido esse tipo de ataque em 2021.

Outras atitudes recorrentes de cibercriminosos são derrubar sites de e-commerces, invadir sistemas para roubar dados de cartão de crédito, criar lojas virtuais falsas etc. Felizmente, existem diversos meios de se prevenir desses ataques. Uma possibilidade é contratar serviços de segurança online, capazes de monitorar e responder com agilidade aos casos de invasões.

Também é possível atuar na cultura organizacional da empresa, colocando a defesa virtual como prioridade. Entre os procedimentos que diminuem os riscos, citam-se:

  • Treinamento dos colaboradores sobre boas práticas de segurança online;
  • Usar senhas fortes e exclusivas para cada tipo de acesso;
  • Aplicar autenticação em dois ou mais fatores sempre que possível;
  • Verificar, com os bancos, os sistemas antifraude que eles oferecem;
  • Jamais utilizar Wi-Fi público.

Vendas na internet se transformam com inovações

Atrair a atenção de consumidores não é uma tarefa fácil. Ainda mais com recursos tecnológicos cada vez mais sofisticados. Destacar-se em meio à infinidade de informações divulgadas no dia a dia exige bastante conhecimento e investimento em ferramentas de marketing e de atendimento ao cliente. 

Diversas inovações vêm transformando o varejo online e trazendo novas tendências. A seguir, serão apresentados alguns exemplos.

Phygital/omnichannel

O crescimento do mercado de compras online não representa o fim dos comércios físicos, pois o atendimento presencial continua sendo relevante e, não por acaso, as grandes varejistas voltaram a investir em suas lojas neste ano.

Assim, os negócios precisam se adaptar para atenderem consumidores phygital — termo que vem da fusão das palavras em inglês physical e digital. Isso se relaciona diretamente com a estratégia omnichannel, baseada na integração de todos os canais de marketing e vendas com o cliente.

Dessa forma, é possível, por exemplo, que uma pessoa receba uma notificação de promoção de uma loja via WhatsApp, faça a compra no e-commerce, mas decida realizar a retirada no estabelecimento comercial.

Os pontos de contato são inúmeros, mas o importante é que a marca esteja nos principais ambientes físicos e online frequentados pelo público-alvo.

Metaverso, realidade aumentada (RA) e realidade virtual (RV)

Hoje em dia, as tecnologias estão rompendo as fronteiras entre o real e o virtual, algo que deve se acentuar cada vez mais. Para as vendas online, isso traz incríveis possibilidades de interação com o consumidor.

Com a RA, por exemplo, o cliente pode verificar, pela câmera do celular, como um móvel ficaria na sala, ou se um tênis se encaixa no pé. Isso já é realidade de grandes empresas brasileiras, como a Leroy Merlin, e está se consolidando mundo afora.

Já o metaverso e a RV, em vez de projetarem objetos no mundo real, inserem as pessoas no ambiente virtual. Esses recursos aproximam o consumo online da experiência física por meio de inovações como as lojas virtuais em 360º.

Atendimento personalizado

Da mesma forma que redes sociais e serviços de streaming oferecem conteúdos distintos para cada usuário, uma das grandes tendências do varejo é atender o consumidor com base nesse mesmo princípio.

Assim, através de algoritmos que identificam gostos e propensões, a loja é capaz de sugerir produtos e disponibilizar ofertas personalizadas. Isso faz com que cada cliente seja tratado individualmente, o que aumenta muito a taxa de fidelização.

Drones entregadores

Robôs voadores não tripulados realizando entregas pareciam assunto de ficção científica há poucas décadas. Atualmente, isso já é realidade em alguns lugares do mundo e a projeção é que os drones façam parte de nossa rotina dentro de poucos anos.

No Brasil, esse recurso começou a ser utilizado no delivery no início deste ano, em uma rota estabelecida entre Aracaju e Barra dos Coqueiros, em Sergipe. O uso dessa ferramenta para entrega compras via internet está em teste e a expectativa é que a Amazon comece a utilizá-la ainda em 2022.

Tecnologias digitais aliadas aos e-commerces

As vendas na internet são viabilizadas por uma série de recursos que servem a diferentes propósitos. Afinal, essa atividade vai muito além de expor os produtos em uma vitrine virtual, englobando distintas etapas.

É fundamental exemplificar como as tecnologias 4.0 contribuem para o varejo online. Então, a seguir, serão descritos seus benefícios em algumas áreas.

Gestão

Receber pedidos, processar pagamentos, contatar fornecedores, organizar a equipe, a contabilidade e as finanças não são tarefas simples. Para ajudar no processo, a Cloud Computing é essencial, pois oferece um ambiente virtual em que as plataformas de gestão funcionam de maneira integrada. Na nuvem, os profissionais podem ter acesso compartilhado aos mesmos softwares, facilitando o trabalho de colaboração a distância

Essa solução também possui a vantagem de ser flexível e escalonável. Assim, é possível adquirir ferramentas extras para datas específicas (vendas de Black Friday, por exemplo) ou aumentar os recursos na Cloud em caso de expansão da empresa.

Outra inovação que contribui para a gestão dos e-commerces é a Internet das Coisas (IoT). Com dispositivos que conectam equipamentos ao meio digital, é possível monitorar o estoque, acompanhar entregas em tempo real, entre outros benefícios.

Marketing

Com a massificação da conectividade, a publicidade busca ser cada vez mais específica. Ao contrário das mídias tradicionais, como TV e outdoor, que direcionam a mensagem a um grupo grande de pessoas, a melhor estratégia de vendas na internet é direcionar a comunicação individualmente.

Para isso, o campo de Big Data é um grande aliado. Por meio de ferramentas de organização dos dados online, gerados a todo momento, é possível obter informações precisas sobre hábitos e preferências dos fornecedores. Assim, o marketing é direcionado com muito mais assertividade, otimizando o valor gasto em propaganda.

Automação

A redução de erros e a economia de tempo para quem vende online passa pelo investimento em recursos que automatizam etapas. Isso inclui, por exemplo, o processamento automático de pagamentos e os chatbots, possíveis graças à tecnologia de inteligência artificial (IA).

Esse processo traz grandes melhorias nos serviços ao consumidor, que, de maneira geral, preza pelo autoatendimento sempre que possível. É importante, porém, que o negócio não extrapole com o uso desses recursos e disponibilize suporte humano sempre que o cliente achar necessário.

Inovação no e-commerce

Vender no mundo virtual é uma prática já consolidada, mas que traz um imenso horizonte de possibilidades. Devido à massificação das tecnologias de drones, RV, RA, IoT, entre outras, as lojas físicas e online serão, futuramente, muito diferentes do que conhecemos hoje.

Um fator que trará mais aceleração ao processo é o 5G. Com o aumento da velocidade e do alcance do sinal, o consumidor estará ainda mais conectado. Isso exigirá, das organizações, um investimento maior nos canais online de marketing, vendas e atendimento ao cliente.

Para ajudar as corporações a alcançarem resultados em meio a essas mudanças, a Vivo Empresas traz um portfólio completo de produtos que auxiliam pequenos, médios e grandes negócios. Com essas soluções digitais, os e-commerces agregam tecnologias, atraindo consumidores e aumentando as vendas.

Leia mais sobre as ferramentas 4.0 no varejo:

Até a próxima!

Foto do autor
Solicite um contato