Segurança online: 10 dicas para proteger sua empresa

Foto do autor

Todas as empresas, grandes e pequenas, precisam garantir a proteção de suas redes e dispositivos de TI contra ataques cibernéticos. Dessa maneira, uma boa segurança online é essencial para acabar com as vulnerabilidades que podem afetar todo o trabalho da organização.

Os ciberataques deixam sites fora do ar, roubam dados dos clientes, espionam atividades sigilosas e geram inúmeros prejuízos. A companhia não apenas tem perdas financeiras, mas também fica com a reputação prejudicada e ainda pode sofrer sanções legais.

Entretanto, existem atitudes que os gestores podem tomar para minimizar os riscos. As boas práticas, em conjunto com tecnologias de cibersegurança, previnem investidas e garantem uma resposta rápida em caso de invasão.

Neste artigo, serão descritas medidas para melhorar a proteção virtual dos negócios, incluindo:

  • A importância da segurança online;
  • Principais ameaças à cibersegurança;
  • 10 dicas para aumentar a proteção online da sua empresas;
  • O uso a tecnologia para a segurança dos negócios;

A importância da segurança online para as empresas

O tema da cibersegurança é um dos principais desafios das companhias, sejam pequenas ou grandes. Com o avanço da digitalização dos negócios, a exposição aos riscos online aumenta, impactando diretamente no funcionamento das empresas.

O problema pode ser constatado no estudo 2022 Cyberthreat Defense Report, do CyberEdge Group, que entrevistou 1.200 profissionais em dezenas de países. Segundo os dados, 85% das organizações pesquisadas afirmaram ter sofrido algum tipo de ataque virtual bem-sucedido no último ano.

Um exemplo recente foi a investida contra o e-commerce das Lojas Americanas, que ficou fora do ar por 3 dias, no mês de fevereiro. A estimativa é que o grupo tenha perdido cerca de R$ 923 milhões em vendas em decorrência do episódio.

Além dos prejuízos financeiros, a segurança online também envolve questões jurídicas. Com a vigência da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), as empresas são responsáveis pela garantia das informações privadas dos clientes e podem ser multadas caso haja vazamentos.

A reputação e a autoridade da marca também são afetadas quando a empresa não está devidamente protegida. Além disso, um ataque cibernético ainda coloca em jogo a gestão da organização, que não protegeu adequadamente sua base de dados.

Vantagens internet das coisas (IoT)

Principais ameaças à cibersegurança empresarial

Os riscos da atuação virtual são inúmeros. Mesmo que o empreendimento não possua um e-commerce, toda companhia tem, em maior ou menor grau, um dos ativos mais valiosos da atualidade: os dados dos clientes.

Os cibercriminosos utilizam essas informações para fins nada nobres, como extorsão, clonagem de cartão de crédito, sequestro etc. A forma como as investidas ocorrem são divididas em diversas categorias, conforme descrito a seguir.

Ataques DoS e DDoS 

Os ataques de Denial Of Service (DoS) e Distributed Denial of Service (DDoS) acontecem quando o hacker consegue sobrecarregar os servidores, deixando os sites lentos ou fora do ar. E-commerces, serviços bancários e páginas governamentais estão entre os mais afetados por essa prática.

Ransoware e malware

No ransomware, criminosos utilizam malwares (vírus ou worms) que invadem os computadores da empresa e inviabilizam seu bom funcionamento. Para normalizar o acesso, o sequestrador digital exige o pagamento de um resgate.

Espionagem online

Essa forma de roubo de dados ocorre de maneira diferente. Em vez do ataque ser visível, o criminoso acessa os sistemas da organização sem ser notado. A espionagem pode ser feita por diferentes interesses, incluindo acesso a informações sigilosas por concorrentes e extorsão.

Engenharia social

O investimento em recursos tecnológicos para prevenção é fundamental, mas existe um risco cibernético relacionado à interação humana: a engenharia social. 

Por meio de manipulação psicológica, phishing e outros métodos, a pessoa mal-intencionada rouba as senhas da vítima ou instala malwares no sistema, com a finalidade de acessar ilegalmente os dados do negócio.

10 dicas para aumentar a proteção online da sua empresa

Apesar dos riscos da presença virtual, existem mecanismos que podem ajudar a proteger os empreendimentos no mundo digital. Com atitudes simples, baratas e eficientes, é possível aumentar a segurança online em empresas de qualquer tamanho.

1. Use senhas fortes e exclusivas

Para acessar e-mails corporativos, plataformas e sistemas na nuvem é fundamental manter a qualidade das senhas. É necessário que sejam difíceis de serem decodificadas e únicas em cada tipo de acesso.

Os códigos precisam ser guardados na memória e jamais devem ser anotados, onde quer que seja. Uma alternativa de mantê-los salvos é usar um gerenciador de senhas.

2. Explore os recursos do antivírus

A instalação de softwares antivírus é elementar para qualquer negócio. Entretanto, é muito comum que gestores utilizem apenas as funções básicas, como a varredura, sem explorar as outras ferramentas que oferecem.

Dependendo do programa, é possível descobrir se há dispositivos indesejados conectados à rede corporativa, aplicar filtro de conteúdo em mecanismos de buscas, reconhecer portais falsos da internet e mais. 

3. Utilize autenticação de dois fatores

A autenticação em dois fatores (ou em duas etapas) é um mecanismo cada vez mais utilizado em serviços financeiros, redes sociais e aplicativos. Com esse procedimento, é adicionada uma camada de proteção extra, dificultando o acesso indevido.

Esse recurso de segurança busca verificar se é o próprio usuário quem está, de fato, fazendo o login. Dessa forma, é solicitado, além da senha, algum código de verificação emitido na hora, via SMS, WhatsApp, e-mail etc. A dica é implantar esse sistema nas redes internas da organização.

4. Não forneça ou utilize Wi-Fi público

Utilizar sinais abertos de Wi-Fi é algo que traz diversos riscos. Com a conexão compartilhada, criminosos podem se posicionar entre o ponto de emissão e o usuário, interceptando os dados enviados.

Isso não significa, no entanto, que a empresa não possa oferecer Wi-Fi social, que traz comodidade a lojas e salas de espera. Nesses casos, a dica é que haja sempre uma senha de acesso, disponível somente aos clientes mediante algum tipo de cadastro.

5. Mantenha o site sempre com certificado SSL válido

A certificação Secure Sockets Layer (SSL) é um procedimento obrigatório para sites de empresas estarem seguros. Esse mecanismo fornece a criptografia entre o navegador e o domínio, inviabilizando que alguém tenha acesso indevido às informações.

Esse certificado digital precisa ser renovado regularmente. Portanto, é fundamental que os gestores estejam sempre atentos para que a proteção permaneça válida.

6. Capacite sua equipe

A segurança online deve ser parte da cultura da organização. Para isso, devem ser estabelecidos protocolos de boas práticas e diretrizes em casos de invasão, além de ações para capacitação frequente dos colaboradores.

É comum, por exemplo, que malwares se instalem através de cliques em banners ou e-mails falsos. Um bom antivírus é suficiente para resolver a maioria dos problemas, mas a prevenção é sempre mais eficiente.

7. Planeje a segurança online no home office

Com o avanço do trabalho híbrido e remoto, a proteção da organização precisa sair do escritório e chegar também às casas dos funcionários. Para isso, é fundamental incentivar que todas as medidas da modalidade presencial sejam adotadas no regime a distância.

8. Atribua diferentes níveis de acesso aos colaboradores

Atualmente, grande parte da rotina das organizações é baseada em computação em nuvem, que traz mais praticidade à colaboração remota. No entanto, é importante que os gestores utilizem essa ferramenta com cuidado, controlando o acesso conforme a atribuição dos profissionais. Isso minimiza o risco de sabotagem e diminui a chance de terceiros utilizarem os dados sem autorização.

9. Verifique os sistemas de prevenção a fraudes do seu banco

Por mais que a empresa tome medidas de prevenção contra ciberameaças, ainda é possível que criminosos tenham acesso aos meios de pagamento da corporação. Para contornar eventuais danos, a dica é contratar planos bancários que sejam efetivos no combate às fraudes. Isso inclui ações como o monitoramento de transações suspeitas e a possibilidade de estorno de transferências ilegais.

10. Faça backups regularmente

Uma forma das organizações se prevenirem é fazer cópias de segurança regulares do banco de dados. Os backups podem ser realizados em mídia física ou na nuvem e, em alguns casos, salvam a companhia de extorsão em ataques ransomware.

Use a tecnologia para a segurança de seu negócio

Seguir as recomendações de proteção online diminui muito os riscos de vulnerabilidade das empresas. Entretanto, para responder visando a pronta resposta aos ataques, o monitoramento constante da rede e a detecção de ameaças, a tecnologia se torna uma grande aliada.

Com profissionais capacitados e recursos de segurança da informação, os gestores ficam mais tranquilos para cuidarem das companhias. E, além de melhorar o desempenho, a proteção virtual sofisticada ainda viabiliza o uso de ferramentas digitais como Internet das Coisas (IoT) e Big Data.

A Vivo Empresas oferece soluções completas para ajudar na defesa das organizações no ambiente virtual. Com recursos personalizados para pequenos, médios e grandes negócios, colabora para que o mundo corporativo esteja cada vez mais preparado para os desafios do meio digital.

Aprofunde-se no tema da proteção virtual com os artigos abaixo:

Até a próxima!

Foto do autor
Solicite um contato