Tendências de tecnologia na saúde: o que estará em alta em 2022

Foto do autor

Atendimento a pacientes, práticas clínicas e gestão hospitalar foram algumas das áreas reformuladas durante a pandemia da COVID-19 graças ao uso de soluções tecnológicas. Quando falamos de tendências de tecnologia na saúde, não podem ficar de fora do radar o desenvolvimento de novos medicamentos, mudanças de curso em tratamentos médicos amparadas pela análise de dados e consultas virtuais.

Da Inteligência Artificial (IA) à Internet of Medical Things (IoMT) e da computação em nuvem à análise preditiva, a implementação de novas ferramentas e serviços digitais é decisiva para aumentar a satisfação do paciente com um atendimento mais ágil e certeiro.

Além disso, o uso da tecnologia já faz a diferença no rastreamento e monitoramento da saúde e, também, no aprimoramento de tratamentos médicos. O que, na prática, pode reduzir o número de óbitos com ações como o acesso em tempo real ao histórico do paciente, por exemplo. 

Este é só o começo. Muito ainda está por vir no ano de 2022 em relação a inovações na saúde. Neste artigo, você verá:

  • Cenário do setor de saúde a partir de 2020
  • Tendências de tecnologia na saúde em 2022
  • Impacto do uso de soluções tecnológicas na gestão hospitalar

Mudanças no setor de saúde a partir de 2020

Close de pessoa checando informações em relógio inteligente
Transformação digital na medicina passa pela mudança recente do público, que está mais preocupado com a saúde

O ano de 2020 trouxe uma mudança de cenário em diversos setores, como o de serviços de varejo, com a expansão substancial do comércio eletrônico. A saúde também teve que se adaptar rapidamente para atender a novas demandas. Durante a pandemia da COVID-19, a telemedicina foi destaque por permitir o cuidado remoto em um momento de distanciamento social.

  • Avanços no atendimento clínico virtual
  • Uso de análise de dados
  • Evolução dos ensaios clínicos
  • Desenvolvimento de resiliência na cadeia de suprimentos
Webinar | Investir em tecnologia na saúde_V1

Tecnologias na saúde que vieram para ficar

As mudanças exigidas pelo cenário de pandemia só foram possíveis com o investimento em digitalização. Nesse sentido, destacam-se iniciativas como o aplicativo TraceTogether, primeira solução do mundo para detecção da COVID-19, conduzida pelo governo de Singapura. 

E, ainda, o projeto de prevenção da pandemia com o uso da tecnologia da cidade de Taipei, em Taiwan, que reduziu o registro de operações em papel. Esses são exemplos marcantes de como soluções digitais fizeram a diferença em um cenário pandêmico. Não à toa, ambas as iniciativas foram premiadas no IDC Smart City, Asia Pacific Awards 2021, na categoria Saúde Pública e Serviços Sociais. 

Ainda dentro das mudanças pós-2022, segundo mostra a pesquisa da Deloitte Perspectivas globais do setor de saúde 2021, empresas da área de saúde estão fazendo a transição para computação em nuvem. Além disso, estão ampliando o uso de ferramentas de dados e análises por controle de custos. O estudo revela que os gastos com nuvem aumentaram 11% no segundo trimestre de 2020 em relação ao mesmo período do ano anterior. A transição para Cloud, conforme a pesquisa, ajuda a:

  • Produzir uma área de trabalho virtual escalonável
  • Permitir atender e trabalhar remotamente

Tendências de tecnologia na saúde em 2022

O cenário da saúde mudou e a tendência é que, em 2022, essas mudanças se intensifiquem. Com isso, é previsto que o envolvimento das pessoas na tomada de decisões sobre cuidados de saúde continue crescendo. É provável, ainda, que a adoção de consultas virtuais prossiga em expansão, assim como a utilização de Big Data. 

Entre as tendências esperadas para 2022 estão o uso de estratégia omnichannel por varejistas do setor, ferramentas de saúde “vestíveis” e soluções de atendimento virtual, incluindo a utilização de robôs. Veja algumas das principais tendências de tecnologia na saúde.

Estratégia omnichannel para varejistas de saúde

A maioria dos players do varejo sabe que a conquista da confiança dos consumidores passa por consolidar a sua presença em múltiplos canais. Nesse sentido, anúncios para mobile e desktop são apenas o começo. Para vender mais e realmente chamar a atenção de potenciais clientes é essencial investir em uma estratégia omnichannel.

Especificamente na área de saúde, a necessidade de se adaptar para atuar em múltiplos canais é a chance de estar pronto para aproveitar um mercado em franca expansão, especialmente após a pandemia.

De acordo com pesquisa da McKinsey, realizada em 2020 e lançada em 2021, com 7.500 consumidores em 6 países, 79% dos entrevistados acreditam que o bem-estar é importante, enquanto 42% considera a área prioritária. Enquadram-se nessa categoria de well-being dispositivos médicos, serviços remotos de saúde e rastreadores de atividade física e sono.

Segundo aponta esse estudo, consumidores pretendem investir mais tanto em produtos quanto em serviços relacionados ao bem-estar em 2022. Para aproveitar a tendência, no entanto, é preciso apostar em personalização, além da diversificação de canais. Para isso, a coleta e análise de dados é grande aliada para efetivamente conhecer os clientes e oferecer algo customizado para eles. 

Ferramentas de saúde “vestíveis” e digitais

Monitor para analisar a qualidade do sono, relógio para acompanhar batimentos cardíacos e apps de gerenciamento da saúde. A pandemia aumentou não só o uso de dispositivos digitais como, também, estimulou o crescimento de plataformas digital-first. Os dados coletados desses devices podem ser úteis no dia a dia do paciente e, também, podem servir como guia em caso de necessidade. 

Com o uso da tecnologia, os pacientes são alertados, por exemplo, quando chega a hora de repor os remédios ou de agendar uma consulta com o médico. Com a Cloud Computing, o compartilhamento de informações é facilitado e ganha-se em agilidade. 

Soluções de atendimento virtual

De acordo com pesquisa global com consumidores da consultoria PwC, os entrevistados têm interesse em manter cuidados remotos por teleconsultas, mesmo quando existe a possibilidade de consulta presencial. Nesse sentido, soluções de atendimento virtual se apresentam como tendência para 2022.

Em um contexto em que será cada vez maior o número de pessoas que recorrerá a tal tipo de atendimento, é essencial focar em aspectos como a conectividade para ampliar o acesso a esse sistema. Além disso, tópicos como privacidade e proteção dos dados de saúde ficam ainda mais em pauta, reforçando a importância da segurança cibernética.

Realidade virtual, aumentada e mesclada

Realidade Virtual, Realidade Aumentada e Realidade Mesclada são exemplos de mundos gerados por computador que podem aprimorar de forma significativa a maneira como a medicina é praticada.

Profissionais de saúde podem através dessas tecnologias, por exemplo, planejar operações, terapias e analisar os resultados prováveis de diversos procedimentos por meio de uma simulação de computador. A Realidade Aumentada pode ser usada, ainda, para treinar profissionais de saúde e testar novas operações de laboratório, por exemplo. 

Em entrevista ao UOL, Peggy Johnson, CEO da empresa de tecnologia de realidade aumentada Magic Leap, falou dos recentes esforços da companhia na área de saúde, com a ideia de criar uma cirurgia em Realidade Aumentada. 

Antes de ir para a sala de operação, o médico poderá planejar como a intervenção será realizada, com o apoio de mapas em 3D de cérebros. Durante a cirurgia, a ideia é que o profissional possa usar o headset da empresa e ter informações de outras telas enquanto vê um cérebro real na mesa de operação.

IoMT

Quando combinada com a telemedicina, a Internet das Coisas (IoT) teve como derivação a Internet das Coisas Médicas, em tradução livre. Os dispositivos e apps da IoMT têm papel central no monitoramento e na prevenção de doenças crônicas a partir do momento que wearables como monitores portáteis de frequência cardíaca permitem que médicos acompanhem seus pacientes remotamente.

IA e Machine Learning

A Inteligência Artificial pode ser usada na busca por novos medicamentos e possíveis tratamentos para doenças existentes. Ao apostar nessa tecnologia, empresas da área de saúde reduzem custos, principalmente por não terem que investir em testes físicos e, sim, em simulações para chegarem aos resultados que buscam.

Uso de assistentes virtuais para acompanhamento de pacientes; diagnóstico e tratamento personalizado de câncer e redução dos ciclos de desenvolvimento de medicamentos estão entre os benefícios do uso de IA e Machine Learning na saúde.

Big Data e Análise Preditiva

Foto lateral de garota caucasiana checando parâmetros de saúde com smartphone
Soluções vestíveis dedicadas ao monitoramento médico conseguem levar comodidade e mobilidade ao paciente

Bancos de dados avançados e tecnologias analíticas impulsionam cada vez mais o Big Data no setor de saúde. O uso de wearables gera um sem número de informações que podem ser utilizadas, por exemplo, para diagnósticos médicos. Com o uso das ferramentas corretas, a área de saúde pode utilizar os dados para tomada de decisões que apoiem os pacientes de maneira mais rápida e precisa.

A tecnologia ocupa papel central quando se fala em tendências para a saúde em 2022. Além de soluções como Cloud Computing e Big Data, o 5G também deve ter impacto significativo no setor, com a conectividade impulsionando a interação.

De ambulâncias inteligentes a uma telemedicina mais ágil, a expectativa é que a chegada da tecnologia tenha impactos positivos por otimizar ainda mais o desempenho de máquinas e aparelhos. 

Soluções tecnológicas na gestão hospitalar

O uso da tecnologia na saúde sem dúvida tem reflexo significativo na rotina de enfermeiros, médicos, pacientes e demais profissionais de saúde. No entanto, os benefícios podem ser expandidos também para a gestão hospitalar.

Não foram poucas as instituições de saúde que sofreram com a falta de pessoal durante a pandemia da COVID-19. Nesse sentido, o uso de IA pode apoiar em uma variedade de áreas, como administração, limpeza e diagnósticos remotos, entre outros segmentos. 

A chegada do 5G pode otimizar ainda mais a gestão no setor de saúde no futuro. Isso acontecerá a partir do momento em que, conjugada com soluções de Inteligência Artificial, oferecer a possibilidade de processamento e análise de uma grande quantidade de dados médicos. Essas informações serão, muitas vezes, coletadas de diferentes fontes.

O acesso a esses dados aprimorará a tomada de decisões e, certamente, aumentará a colaboração entre setores diversos. Com isso, haverá a possibilidade de impulsionar a inovação clínica e levar, até mesmo, à partilha de recursos entre diferentes instituições, sejam elas públicas ou privadas. 

Conclusão

A ascensão das soluções digitais na área da saúde foi notória durante a pandemia da COVID-19. Com isso em mente, o cenário não só expôs velhas falhas dos sistemas do setor como reforçou a necessidade de inovações baseadas na tecnologia para atender a demandas que, até então, não pareciam urgentes. 

Nesse sentido, Cloud Computing, Internet das Coisas e Big Data, tecnologias oferecidas pela Vivo Empresas, fizeram e continuarão fazendo a diferença.

Essas tendências de tecnologia na saúde são apenas o começo. Ainda veremos muitos avanços e, a maioria deles, certamente se tornará parte dos serviços de saúde. 

Se você gostou de se aprofundar em relação às tendências de tecnologia na saúde, pode se interessar por:

Foto do autor
Solicite um contato