Por que a digitalização é fundamental para a eficiência industrial

Foto do autor

Já há algum tempo, a digitalização tem um papel importante no desafio de melhorar a eficiência industrial. Afinal, todos os dias são criadas novas tecnologias com a finalidade de auxiliar desde processos simples até atividades complexas nas cadeias de produção.

Aliás, ganhos em produtividade e redução de custos foram alguns dos benefícios mais buscados por quem atua no segmento. E, por isso, muitos já haviam recorrido à adoção da Indústria 4.0.

Porém, a implementação de recursos tecnológicos de automação e inteligência de dados traz resultados que vão muito além da otimização de gastos e produção. 

A realidade é que, durante a pandemia, as companhias que já haviam iniciado seu processo de transformação digital, também conseguiram se adaptar mais rapidamente.

Dessa forma, continuaram suas atividades ao mesmo tempo em que mantêm seus funcionários em segurança, por meio de ferramentas remotas, entre outras maneiras de proteção.

Sendo assim, atualmente, a transformação digital na indústria não é apenas uma questão de vantagens competitivas, mas também um modo de construir um negócio mais resiliente. 

Em suma, investir em novas tecnologias se tornou uma forma eficiente de encarar os desafios atuais e futuros. Contudo, antes de qualquer mudança, é preciso entender quais soluções dentro desse modelo estão mais alinhadas ao seu negócio, razão pela qual você verá neste artigo: 

  • Cenário do segmento industrial brasileiro
  • Qual a importância da Indústria 4.0? 
  • Principais mudanças da Indústria 4.0 no cenário pandêmico
  • Tecnologia gera aumento de eficiência na indústria
  • Conhecimento do negócio na era dos dados
  • Cuidados no processo de transformação digital
  • Por que investir em tecnologia para garantir eficiência na indústria?

Cenário do segmento industrial brasileiro

eficiência na indústria
Novas tecnologias contribuem com a eficiência industrial para além do aumento em produtividade

A indústria sempre foi um setor de peso para a economia brasileira. Na década de 80, atingiu seu pico de participação no PIB do país, sendo responsável por cerca de 50%. Hoje, o índice fica em torno de 20,4%, segundo o Portal da Indústria, o que ainda é bastante relevante.

É também nesse segmento que se concentram 20% dos empregos formais, além de 69% das exportações de bens e serviços. 

No Brasil, um dos maiores destaques é a indústria de transformação, que atua no beneficiamento de diferentes materiais e engloba setores alimentícios e automobilísticos, por exemplo. 

Sozinho, esse sub-setor gerou um PIB de R$ 727,6 bilhões em 2020, representando mais de 50% do Produto Interno Bruto da Indústria como um todo.

Apesar disso, os resultados foram muito aquém de outros anos devido às complicações causadas pela crise do Covid-19. Entre os principais desafios enfrentados, pode-se citar o distanciamento social, que compromete a força de produção. 

Mas há ainda questões mais graves, como a falta de matéria-prima e os cortes de custos (muitas vezes inevitáveis), que acabaram culminando na paralisação e até mesmo no fechamento de unidades. 

Nesse sentido, a inovação foi e segue sendo muito importante. Para os negócios que já haviam investido em recursos tecnológicos para gerar eficiência industrial, a adaptação às atividades remotas, por exemplo, foi mais fácil. 

Da mesma forma, outro ponto importante é a automação, que garante a continuidade dos processos mesmo com menos trabalhadores atuando.

Seja como for, o setor agora está em recuperação, mas ainda deve sentir os efeitos da pandemia por alguns anos. 

Segundo estimativa da Confederação Nacional da Indústria, divulgada em março, o PIB Industrial deve crescer 4,3% em 2021, impulsionado pela alta de 5,7% do segmento de transformação.


LEIA MAIS: Veja por que a transformação digital é essencial – e urgente – na indústria


Webinar | Tecnologia M2M_V1

Qual a importância da Indústria 4.0? 

Embora não seja um conceito exatamente novo, é importante entender do que se trata a indústria 4.0 e como a tendência contribui com esse importante setor. Basicamente, o objetivo da abordagem é aumentar a eficiência industrial através de tecnologias como Internet das Coisas, Inteligência Artificial, Big Data, entre outras.

A ideia parte de princípios tecnológicos como conectividade, poder computacional, dados e análise, bem como engenharia avançada. Mas é claro que um importante passo nessa evolução da cadeia produtiva é a relação entre humanos e máquinas. 

Afinal, para atualizar processos é preciso também contar com profissionais digitalizados e interfaces que facilitem essa comunicação, como a própria Realidade Virtual ou Aumentada.

A consultoria McKinsey & Company fez um estudo completo sobre a Indústria 4.0 e as consequências trazidas pela pandemia. Só para exemplificar a importância da questão:

  • 94% dos respondentes afirmaram que a adoção do conceito os ajudou a manter as operações funcionando durante a crise;
  • 56% disseram ainda que as tecnologias foram críticas na resposta à crise.

Por conta dos desafios desse momento conturbado, a própria percepção sobre a Indústria 4.0 mudou. Assim, 65% dos entrevistados a consideram mais importante hoje do que antes do início da pandemia.


LEIA MAIS: Parceria entre Vivo Empresas, FEI e Ericsson irá promover tecnologias 5G e IoT com foco na indústria 4.0 no Brasil


Principais mudanças da Indústria 4.0 no cenário pandêmico

Se anteriormente as tecnologias eram procuradas com o propósito principal de aumentar produtividade e reduzir custos, hoje, algumas outras prioridades assumem a liderança. 

Agora, agilidade e flexibilidade são os objetivos estratégicos considerados mais indispensáveis para a eficiência industrial. Sendo assim, os recursos tecnológicos em alta são focados em trabalho remoto, conectividade da cadeia de produção e transparência operacional.

Além disso, apesar da transformação digital beneficiar diversos segmentos, o progresso de alguns setores como o automotivo seguem em destaque globalmente. 

Ao mesmo tempo, conforme mostra uma pesquisa da McKinsey, veiculada em janeiro de 2021, as áreas de energia e fornecedores de materiais deixam a desejar na aplicação em larga escala da Indústria 4.0.


LEIA MAIS: Confira as principais vantagens da digitalização na indústria e como transformá-la em um modelo 4.0


Tecnologia gera aumento da eficiência industrial

Às vezes, falar dos benefícios de eficiência na indústria trazidos pela tecnologia pode parecer muito abstrato. Mas saiba que também há alguns exemplos práticos que podem facilitar a visualização dessas vantagens:

Operações digitais e remotas

O uso de tecnologias pode influenciar de atividades simples a processos complexos e é bastante proveitoso para manter o distanciamento social.

Como exemplo, em uma linha de produção, é possível instruir operadores, bem como gerenciar as atividades de forma digital via dispositivos conectados por IoT. Além disso, com essa conectividade também pode-se monitorar os status dos equipamentos, evitando problemas por falta de manutenção, entre outros. 

Ademais, a realidade aumentada ou virtual é uma ferramenta bastante utilizada para dar suporte em operações ou até mesmo em treinamentos. Funciona também como forma de controle remoto do maquinário, a fim de diminuir riscos para os colaboradores.

Automatização e robótica

Com o auxílio da IoT, processos e equipamentos podem ser automatizados para realizar ações sozinhos. Um bom exemplo está na logística, na qual a distribuição e o armazenamento de produtos consegue ser feito de forma completamente computadorizada.

Em algumas indústrias, por exemplo a automotiva, há ainda o auxílio de robôs em tarefas como corte, soldagem e montagem. Aliás, a robótica industrial é uma grande aliada em tarefas de manufatura que exigem alta precisão, contribuindo inclusive para uma menor perda de produtos.


LEIA MAIS: Automação das empresas: entenda quais os benefícios que a IoT pode trazer ao seu negócio


Conhecimento do negócio na era dos dados

Como a frase eternizada pelo jornal The Economist, em 2017, diz: o recurso mais valioso do mundo não é mais o petróleo, são os dados. Atualmente, a IoT é uma tendência estratégica nos mais diversos negócios por possibilitar uma intensa captação de dados, por meio dos dispositivos conectados.

Aliás, vale ressaltar que a Internet das Coisas ainda tem muito a crescer, como mostra o relatório da consultoria Markets and Markets. A previsão para 2025 é que o mercado desse setor atinja US$110,6 bilhões. 

Por sua vez, uma pesquisa da PwC, divulgada no final de 2019, indica ainda que, à época, 73% dos fabricantes já planejavam aumentar seus investimentos em tecnologias inteligentes para a indústria.

Em suma, com informações sobre as operações em cada etapa da produção e a análise desses dados, é possível realizar uma gestão mais certeira. Isso inclui entender os pontos de melhoria e poder atuar rapidamente para solucioná-los, questões que sem o IoT poderiam demorar para serem identificadas. 

Além disso, é possível aliar esse poder de conectividade M2M com outras soluções. Um bom exemplo é combinar IoT e Big Data


LEIA MAIS: Comunicação M2M: como levar mais eficiência e inteligência para o negócio


Cuidados no processo de transformação digital

eficiência na indústria
Digitalização industrial também requer maior atenção às boas práticas de segurança cibernética

Dependendo das soluções tecnológicas mais alinhadas ao negócio, a implementação de práticas oriundas da indústria 4.0 pode demorar mais ou menos tempo para acontecer.

Nesse sentido, a utilização de serviços em nuvem ou IoT pode acelerar a adoção de outras tecnologias, bem como oferecer suporte em grande escala para o seu funcionamento. 

Entretanto, é bom lembrar que embora os ambientes conectados aumentem a eficiência industrial, também trazem preocupações com a segurança digital

O grande movimento de digitalização em 2020 trouxe oportunidades, mas também resultou em um crescimento de atividades cibernéticas criminosas. 

Para ilustrar, uma pesquisa da Kaspersky sobre a cibersegurança na América Latina, divulgada em setembro de 2020, mostra que 66,1% dos golpes realizados naquele ano foram focados em empresas. E desse total, 63% dos ataques aconteceram no Brasil.

Há uma grande variedade de riscos, sendo que um dos mais notórios atualmente é o ransomware. Conhecido como o vírus do sequestro de dados, o malware criptografa dados sensíveis armazenados em computadores, nuvem ou servidores. 

Assim, a princípio, o hacker pode exigir um resgate pago, mas também há o perigo do criminoso ameaçar expor as informações capturadas.

Por conta disso, a melhor maneira de evitar essa invasão é tomar medidas preventivas para proteger todo o ecossistema on e offline. Afinal, ataques como o ransomware não apenas impactam o serviço, como ainda causam danos à imagem da companhia e podem até render multas.

Inclusive, a Vivo Empresas possui soluções amplas de segurança que permitem a rápida detecção e solução de vulnerabilidades, a fim de mitigar os riscos cibernéticos.


LEIA MAIS: Novas ameaças cibernéticas aproveitam as lacunas de segurança


Por que investir em tecnologia para garantir eficiência na indústria?

Em conclusão, fica claro que o caminho à frente exige um maior preparo tecnológico do setor industrial. 

A crise do coronavírus mudou drasticamente as regras do mercado, reforçando o valor da indústria 4.0, porém, também expondo as limitações de como essa tendência é implementada atualmente. 

Dessa forma, não há tempo a perder. E para as indústrias permanecerem competitivas, é preciso ir além, buscando formas de tornar as operações mais ágeis e produtivas, bem como conseguir atrair as habilidades e talentos certos para a evolução digital do negócio como um todo.

Nesse cenário, escolher bem as tecnologias que podem elevar a eficiência na indústria é essencial – e a Vivo Empresas pode ajudar nessa tarefa.

Líder em Conectividade e grande parceira na transformação digital dos negócios brasileiros, a Vivo Empresas possui um portfólio abrangente de soluções digitais, incluindo opções especialmente úteis à digitalização industrial, como Cloud, Segurança, Big Data e IoT.

Gostou de saber mais sobre como a inovação tecnológica apoia a chegada da indústria 4.0 no Brasil? Aproveite e confira também a seleção de artigos abaixo:

Até a próxima!

Foto do autor
Solicite um contato