7 tendências de Cloud Computing para 2022

Foto do autor

A nuvem foi uma tecnologia essencial para dar suporte à onda de transformação digital dos últimos anos, especialmente devido à sua flexibilidade, escalabilidade e rápida adoção. Do mesmo modo, as tendências de cloud computing para 2022 mostram que essa seguirá como uma inovação crucial aos negócios que desejam crescer e se destacar.

Junto a novos modelos de arquitetura de TI e soluções como o Edge Computing, bem como a Inteligência Artificial (IA), a cloud irá evoluir para suprir demandas cada vez mais maiores.

A ascensão das atividades remotas, a busca pela automação de processos, o foco em dados e em uma gestão mais inteligente são algumas das problemáticas que a nuvem ajudará a solucionar.

Mas para aproveitar as ferramentas e os recursos inovadores que vêm por aí, é preciso conhecer os conceitos que guiarão o segmento este ano. Por isso, neste artigo, você verá um resumo do mercado de cloud e as tendências dessa tecnologia.

  • Cloud computing: uma tecnologia em constante avanço
  • Nuvem híbrida e infraestrutura multi-cloud em alta
  • Automação da nuvem traz eficiência
  • Conheça o conceito Serverless 
  • Edge Computing diminui carga na cloud
  • Inteligência Artificial é popularizada
  • Novas oportunidades de negócio
  • Crescem os esforços de ESG na cloud computing

Cloud computing: uma tecnologia em constante avanço

Responsável por suportar diversos serviços digitais, cloud computing está em alta desde 2020

Os serviços digitais cresceram exponencialmente desde 2020. Isso porque companhias que antes possuíam uma estrutura majoritariamente física e presencial precisaram se adaptar. Nesse sentido, a nuvem foi uma das tecnologias que protagonizaram essa transformação, tal qual a conectividade. 

É possível comparar a cloud a uma espinha dorsal de outros fenômenos digitais, como as redes sociais e os streamings, mas também de estruturas mais complexas, como os carros conectados. 

Afinal, até infraestruturas como a da Internet das Coisas (IoT) dependem da nuvem para rodar. Por sua vez, essa vasta gama de aplicações atrai investimentos em todo o mundo. 

De acordo com uma previsão do Gartner, publicada em abril de 2021, o mercado de cloud continuará em ascensão no futuro próximo. A estimativa é de que, em 2022, os gastos globais com serviços de nuvem pública chegue a US$397,5 bilhões. 

Dentre os serviços listados pela consultoria, o SaaS (software como serviço) será responsável por US$145,4 bilhões,  enquanto o IaaS (infraestrutura como serviço) chegará a US$106,8 bilhões.

Em suma, a tecnologia de nuvem faz com que as demais inovações sejam mais eficientes, rápidas e acessíveis. Então, para aproveitar os recursos desse ambiente virtual, confira as principais tendências de cloud computing para 2022:

1. Nuvem híbrida e infraestrutura multicloud em alta

Tradicionalmente, as corporações possuíam duas alternativas durante a migração para a nuvem: a pública e a privada. A primeira sempre foi bastante atrativa por disponibilizar a flexibilidade e a escalabilidade características da tecnologia, com um melhor custo–benefício. 

Já a cloud privada, na qual a empresa tem uma infraestrutura exclusiva, também tem suas vantagens. Por exemplo, maior privacidade e segurança dos dados. 

Contudo, para muitos negócios, a solução ideal requer o uso de ambas as estruturas e, por isso, os modelos híbridos se popularizaram. Aliás, eles devem continuar em ascensão, sendo uma das tendências de cloud computing para 2022. 

Dessa maneira heterogênea, os provedores conseguem oferecer o melhor dos dois mundos, desde que sejam utilizadas as estratégias corretas para dividir as cargas de trabalho entre as parcelas pública e privada. 

Portanto, na estrutura híbrida, é possível manter documentos e aplicações que precisam ser acessados frequente – e rapidamente – no ambiente público. Enquanto isso, as informações sensíveis podem ser mantidas em servidores privados, com controle de acesso.

Multicloud, ou multi nuvem

Mesmo o modelo híbrido já é insuficiente para algumas organizações que buscam aprimorar as condições de eficiência. Sendo assim, outra tendência de cloud computing para 2022 é a estratégia multicloud, ou multi nuvem.

Nesse ecossistema, as companhias utilizam duas ou mais soluções de diferentes fornecedores. Essa tática só pode ser empregada quando não há o vendor lock-in, que é a restrição contratual ao uso de múltiplos provedores cloud. 

Segundo o Flexera 2021 State of the Cloud Report, 92% dos negócios já trabalham no formato multicloud e 80% utilizam a nuvem híbrida. Ainda, a previsão divulgada no relatório da Markets and Markets é de que o mercado de gerenciamento de multi nuvem atinja US$4,492.7 milhões em 2022. 


LEIA MAIS: TI híbrida: saiba como otimizar os recursos da empresa unindo servidores locais à nuvem 


2. Automação da nuvem traz eficiência

Com estruturas de nuvem híbrida e a estratégia multicloud em alta, surgem outros desafios, como gerenciar os serviços e as cargas de trabalho desse vasto ambiente. Nesse cenário, é a automação que pode auxiliar, com a adoção de ferramentas que reduzem o trabalho manual.

Assim, como em uma indústria, os processos automatizados focam em eliminar atividades repetitivas feitas por humanos. Ou seja, em vez de precisar de uma equipe, utilizam-se ferramentas inteligentes, deixando o time livre para realizar outras funções, como a tomada de decisões estratégicas. 

Logo, a automação auxilia na gestão dos ambientes híbridos e multinuvem, que são naturalmente mais complexos, conectando-os em um único conjunto. Sobretudo, vale ressaltar que essa tendência de cloud computing para 2022 é primordial para eliminar erros que seriam causados no gerenciamento manual. 

3. Conheça o conceito Serverless 

Quando uma empresa usa a nuvem, geralmente faz a locação de servidores ou se compromete com parcelas fixas, quanto ao armazenamento e à largura de banda.

Contudo, já existe um novo conceito que fornece ainda mais flexibilidade, no qual o usuário não se envolve com configurações ou gerenciamento de servidores. Esse modelo de desenvolvimento nativo em nuvem para criação e execução de aplicações é conhecido como serverless computing, ou “funções como serviço”. 

A fim de esclarecer essa tendência de cloud computing para 2022, é importante ressaltar que a abordagem não funciona, de fato, sem um servidor. O diferencial é que os desenvolvedores não precisam administrar o ambiente e a infraestrutura utilizada é dimensionada conforme exigência da aplicação. 

Em outras palavras, é um modelo que expõe uma nova experiência de usuário ao utilizar os serviços em nuvem. Segundo um estudo da Mordor Intelligence, a demanda pelo sistema serverless deve crescer 25%, entre 2020 e 2025. 

4. Edge Computing diminui carga na cloud

A computação de borda é um elemento que torna um ecossistema de TI ainda mais completo. Seja para obter acesso mais rápido a arquivos ou devido a questões de segurança e poder computacional, a Edge Computing já é bastante utilizada.

Inclusive, quando se considera o crescimento de tecnologias como a IoT, a computação de borda também é uma solução para a gestão dos dispositivos conectados.

Ao mesmo tempo, a computação de borda é uma tendência de cloud computing para 2022. Nessa estrutura, a nuvem atua como hub desses data centers de borda, que conseguem processar informações rapidamente no local. Como resultado, há menor carga no ambiente virtual, aliviando questões de latência, por exemplo.

Segundo o Gartner, até 2023, mais de 50% da responsabilidade primária dos líderes de Data & Analytics incluirá dados criados, gerenciados e analisados​​ em ambientes de borda. 

5. Inteligência Artificial é popularizada via nuvem

Há uma relação muito próxima entre Inteligência Artificial (IA) e serviços em cloud. A princípio, os provedores vêm ajudando a popularizar a IA, disponibilizando recursos da tecnologia na nuvem pública, a fim de que as companhias contratantes possam utilizá-la. 

Com isso, uma inovação que normalmente exigiria investimento em hardware de última geração pode ser acessada de forma menos custosa. Inclusive, um relatório da McKinsey, divulgado em dezembro de 2021, mostra que 64% das cargas de trabalho de IA de alto desempenho são executadas em nuvem pública ou híbrida.

Em contrapartida, a IA dentro do ambiente digital toma decisões que gerenciam dados, fornecem insights e otimizam fluxos de trabalho. Em conclusão, ambas as tecnologias se beneficiam mutuamente. E, por conta disso, a IA também é uma forte tendência de cloud computing para 2022.

6. Novas oportunidades de negócio

Novidade do momento, metaverso representa uma nova oportunidade de negócios no setor de cloud

A melhoria da conectividade, com o 5G, não apenas irá impulsionar muitas outras tecnologias, como IoT e Big Data, mas também abrirá caminhos para novas oportunidades de negócio. Um bom exemplo disso são os jogos na nuvem, que são mais uma tendência de cloud computing para 2022.

Hoje, já existem grandes empresas do setor que disponibilizam plataformas de game streaming, como o Google, a Microsoft, a NVIDIA e a Sony. Portanto, em vez de o usuário precisar ter um dispositivo apto para jogar e comprar o game, ele poderá apenas selecionar um título de qualquer aparelho e dar play. 

É claro que o serviço depende diretamente da qualidade do serviço de conectividade, exigindo padrões mais altos de velocidade e estabilidade na conexão. 

Logo, a inovação, que se baseia em assinaturas mensais ou anuais, democratiza o acesso a jogos e remove barreiras que existem entre plataformas. Além disso, a cloud gaming é um passo importante na luta contra a pirataria na indústria de jogos. 


LEIA MAIS: Evolução da internet móvel: conheça as etapas que levaram à poderosa conectividade 5G


7. Crescem os esforços de ESG em cloud computing

O ESG, sigla que designa os ativos intangíveis de governança corporativa, social e ambiental, está crescendo em diversos setores econômicos. E não é diferente na tecnologia. 

Na realidade, a computação em nuvem já é considerada uma forma de empresas reduzirem sua pegada ambiental, visto que a cloud é uma alternativa eficiente a um data center local, que exige climatização, espaço e eletricidade dedicados. 

Todavia, os principais provedores também vêm impulsionando esforços adicionais de sustentabilidade no negócio. Dentre as principais ações dos líderes de mercado estão a otimização do uso de recursos naturais e o emprego de fontes de energia limpas.

Aliás, vale mencionar que iniciativas como essas, que exigem bastante planejamento e investimento, a longo prazo costumam ter como resultado a redução de custos. De qualquer forma, certamente, o ESG será uma das principais tendências de cloud computing em 2022.

Conclusão 

Do mesmo modo que a conectividade, a computação em nuvem é uma viabilizadora de soluções digitais. Porém, mais do que isso, quando utilizada junto a tecnologias como IoT, IA e Big Data, a cloud se torna ainda mais vantajosa para diversos mercados. 

Assim, enquanto uma coleta dados, a outra os analisa e gera insights para os negócios — tudo isso dentro do ambiente virtual. Hoje, qualquer estrutura de TI depende da nuvem e suas vantagens de escalabilidade, flexibilidade e fácil implementação.

Nesse sentido, as tendências de cloud computing de 2022 deixam bem claro que essa tecnologia, que já foi tão importante para a digitalização dos negócios, irá para um próximo nível. Impulsionada pela chegada do 5G, a nuvem deve evoluir para servir demandas específicas do novo cenário mundial e também dos diferentes setores econômicos. 

E para aproveitar os benefícios atuais e futuros dessa tecnologia, é preciso se preparar, contando com serviços prestados por um parceiro especializado, como a Vivo Empresas.Quer conhecer mais vantagens da cloud computing? Separamos alguns artigos que podem interessar:

Até a próxima!

Foto do autor
Solicite um contato