Como investir em Robotic Process Automation (RPA) pode tornar o trabalho mais eficiente

Foto do autor

Utilizar sistemas complexos é a realidade de muitas empresas, que recorrem à automatização para simplificar as atividades e otimizar as entregas. Por isso, uma tecnologia vem ganhando cada vez mais espaço no mercado: a Robotic Process Automation (RPA).

Trata-se de uma aplicação que viabiliza o uso de robôs para realizar tarefas específicas. Esse tipo de software é capaz, por exemplo, de processar transações, gerar relatórios, se comunicar com outros sistemas, enviar mensagens automáticas e manipular dados, entre outras ações.

Ao atribuir esse tipo de função às máquinas, as equipes podem se concentrar em questões mais estratégicas para os negócios. Além disso, é mais fácil padronizar as ações, assegurar maior agilidade aos processos e minimizar a incidência de erros.

Quer saber como é possível obter esses e outros benefícios? Aproveite para conferir todos os detalhes sobre o RPA e como esse recurso pode impulsionar o sucesso das empresas no dia a dia. Veja também:

  • O que é Robotic Process Automation 
  • RPA é diferente de Inteligência Artificial?
  • De quais formas a tecnologia é utilizada na prática
  • Quais são os benefícios para os negócios

O que é Robotic Process Automation (RPA)?

Robotic process automation (RPA) consiste na automatização de tarefas repetitivas
Robotic process automation (RPA) consiste na automatização de tarefas repetitivas

Estamos falando de aplicações tecnológicas capazes de automatizar diferentes processos corporativos. Ou seja, softwares que tornam-se responsáveis por realizar tarefas específicas, geralmente mecânicas. Isso libera as equipes para funções consideradas mais estratégicas. Tais sistemas são comandados por códigos, compostos por algoritmos que executam funções pré-programadas e aprendem novas funções ao longo do tempo.

A automação ocorre no front-end dos sistemas, ou seja, a ferramenta apenas reproduz comandos que eram feitos anteriormente pelas equipes. Os dados são captados diretamente por ela, sem a necessidade de serem introduzidos por humanos.

Segundo o Gartner, trata-se de uma tendência mundial, sobretudo pelo seu potencial de otimizar as entregas. Para se ter uma ideia, a estimativa é de que a receita global chegue a US$ 2 bilhões até o final de 2021, um aumento de 19,5% em comparação ao ano anterior, e ultrapasse os dois dígitos em 2024. Atualmente, 55% das companhias já utilizam esse tipo de ferramenta em seus processos – e a expectativa é de que 90% adotem recursos do gênero até 2022.

O principal fator impulsionador desse cenário, de acordo com a consultoria, é a sua capacidade de melhorar a qualidade, a velocidade e a produtividade dos processos dentro de companhias de diferentes setores. Tais características têm sido cada vez mais valorizadas, sobretudo depois do boom tecnológico motivado pela pandemia de Covid-19.

Webinar | O que a transformação digital pode oferecer_V1

Como a tecnologia impulsiona a evolução dos negócios

Conforme o estudo, os softwares de RPA sustentam uma transformação digital mais rápida e consistente, necessidade que ficou mais evidente durante a crise sanitária (e que deve perdurar nos próximos anos). Inclusive, o próprio Gartner listou a automação como uma das principais tendências tecnológicas para 2022. Por isso, é fundamental ficar de olho nela (e conhecer todas as suas especificidades).

O primeiro passo é compreender a diferença entre RPA e Inteligência Artificial (IA). É comum confundi-los, mas estamos diante de dois conceitos diferentes. O primeiro é um mecanismo relativamente simples, que possibilita a automatização de tarefas mais mecânicas, como envio de e-mails, manipulação de dados e administração de folhas de pagamento, por exemplo.

Já o segundo é baseado em sistemas que imitam a inteligência humana para desempenhar tarefas, coletando dados frequentemente para aprimorar os seus resultados. Tal tecnologia também é diferente de processos de automação que necessitam da interferência humana. No RPA, decisões podem ser tomadas por robôs.

Sendo assim, esses softwares podem ser utilizados por companhias de diferentes portes e segmentos, assegurando ganhos imediatos. Segundo uma projeção do Gartner, a adoção desse tipo de recurso é capaz de reduzir os custos operacionais em até 30%. 

No entanto, para que isso aconteça efetivamente, a organização que adotá-los deve dispor de uma infraestrutura de conectividade robusta para garantir uma excelente comunicação entre os dispositivos eletrônicos. Isso porque o uso de RPA depende diretamente de outro conceito importante, a Internet das Coisas ou IoT, sigla de Internet of Things.


LEIA MAIS: entenda o que é IoT e como implementar


Como o Robotic Process Automation funciona na prática?

A tecnologia depende do uso de softwares específicos ou de robôs, conhecidos como bots. Tais sistemas fazem tarefas que são pré-programadas, com bastante precisão e sem incidência de erros. 

Outra característica é que esse tipo de sistema dispensa qualquer intervenção humana. Uma vez configurada, a atividade será realizada em repetição. Ou seja, as entregas acontecerão na cadência escolhida.

Por isso, é largamente utilizado para otimizar ações repetitivas, justamente por agilizar as entregas e liberar os profissionais para a realização de funções de maior valor agregado. Um exemplo recorrente é o uso do RPA em sistemas de relacionamento com o cliente, conhecidos como CRMs. 

O motivo? O recurso viabiliza o desenvolvimento de atividades em massa, como o processamento de pedidos, o envio de notificações, a cobrança de consumidores e a geração de relatórios, entre outros.

 

Na indústria, por exemplo, o recurso é bastante empregado para a realização de cálculos, sobretudo quando se trata da fabricação de produtos. Para se ter uma ideia, operações matemáticas complexas podem ser resolvidas com precisão e em questão de segundos.

Outra aplicação possível é no controle do estoque, uma vez que os robôs são capazes de identificar entradas e saídas de itens, gerando relatórios automáticos e em tempo real. 

Tal controle assegura uma importante economia, sobretudo porque dificilmente haverá itens encalhados e a compra de matéria-prima passa a ocorrer conforme a demanda, sem desperdícios. 

Dessa forma, o Robotic Process Automation contribui diretamente para o aumento da produtividade, o crescimento da lucratividade, o aprimoramento de processos internos e a melhoria da experiência do cliente, entre outros benefícios.

Entre os segmentos que mais adotam sistemas de RPA, destaque para:

  • Financeiro;
  • Jurídico;
  • Educação;
  • Marketing;
  • Atendimento;
  • Vendas;
  • Saúde;
  • Cobrança;
  • Turismo;

Principais vantagens do uso do RPA

Múltiplas vantagens do RPA podem ser percebidas nos custos, na eficiência e na agilidade da operação
Múltiplas vantagens do RPA podem ser percebidas nos custos, na eficiência e na agilidade da operação

Sistemas do gênero oferecem diversos benefícios aos negócios, tais como:

  • Gestão mais eficiente: como as máquinas trabalham com precisão e produzem relatórios automaticamente, o gerenciamento das informações e dos processos ocorre de uma forma mais ágil e inteligente;
  • Estratégia: uma vez que as tarefas repetitivas são conduzidas por máquinas, as equipes podem desempenhar outras funções que trarão ganhos maiores para a companhia;
  • Trabalho contínuo: os sistemas podem atuar sem interrupções, o que contribui para assegurar maior agilidade às entregas;
  • Economia imediata: ao reduzir a incidência de erros e reduzir os prazos, a saúde financeira da companhia sai ganhando;
  • Flexibilidade: os sistemas de RPA são flexíveis e escaláveis, podendo ser contratados conforme a demanda atual;
  • Melhoria na experiência do cliente: a tecnologia consegue identificar padrões comportamentais e também a incidência de problemas, insumos que são importantes para a realização de aprimoramentos na jornada;
  • Padronização: como o trabalho é feito por um software, informações e ações são preenchidas/realizadas automaticamente, minimizando a incidência de erros;
  • Segurança da informação: o sistema de RPA pode ser configurado de acordo com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), resguardando as informações de clientes e parceiros.

Concluindo

Conforme observamos ao longo deste artigo, as soluções voltadas para automação de processos robóticos, ou Robotic Process Automation (RPA), são bastante indicadas para organizações que realizam atividades repetitivas no dia a dia. 

Afinal, tal como o nome indica, tratam-se de sistemas autônomos, desenvolvidos para otimizar entregas, proteger informações confidenciais, reduzir erros e padronizar tarefas.

No que diz respeito à produtividade, além de garantir indicadores positivos, também contribui para aproveitar melhor as habilidades humanas. Ou seja, as equipes deixam de realizar atividades operacionais e passam a desempenhar ações mais estratégicas.

Para que esse tipo de software seja adotado na prática, no entanto, a companhia precisa dispor de uma infraestrutura de conectividade robusta. Isso porque tais sistemas dependem do uso de dispositivos conectados operando em rede.

De olho nessa e em outras demandas de mercado, a Vivo Empresas criou um portfólio diversificado, que atende diferentes necessidades e segmentos. Quer saber como preparar o seu negócio para adotar um sistema de RPA? Entre em contato conosco! 

Além disso, aproveite para saber mais sobre como a digitalização apoia o crescimento das empresas nesses artigos que separamos:

Até a próxima!

Foto do autor
Solicite um contato