Seu negócio está preparado para vender mais no Natal?

15/12/2020 às 11:18

O final do ano já chegou e, com ele, também se aproxima um dos grandes desafios do varejo: vender mais no Natal. 

A data sempre foi uma grande oportunidade para o comércio, mais do que Dia das Mães, Dia dos Namorados, Dia dos Pais e Dia das Crianças. Porém, neste ano, há uma expectativa maior de recuperar o tempo perdido durante o período de fechamento das lojas físicas.

Para conquistar um maior volume de receitas é preciso se planejar, preparando tanto a estrutura das lojas físicas quanto dos e-commerces para atender essa demanda de forma rápida e eficiente. 

Quer saber mais sobre como fazer isso? Neste artigo, você lerá:

  • Entendendo os novos hábitos do consumidor;
  • O crescimento do comércio eletrônico;
  • Soluções tecnológicas que apoiam a preparação do negócio

Natal é tradicionalmente a data mais importante para vendas no País

Entender os novos hábitos do consumidor é essencial para vender mais no Natal

Inegavelmente, os acontecimentos deste ano causaram um grande impacto no varejo e na forma de consumir. Uma pesquisa da Rakuten Advertising apurou que 66% dos brasileiros aumentaram seus gastos com refeições prontas e mantimentos básicos durante a quarentena. Além disso, houve crescimento de 65% na procura por entretenimento digital e 58% por delivery de restaurantes.

Apesar da priorização de itens essenciais, com a flexibilização do isolamento e a reabertura dos estabelecimentos, aos poucos o consumo começa a retomar o movimento natural. 

De acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), boa parte das pessoas já se sentem mais confiantes com a economia. Isso se comprova no aumento da Intenção de Consumo das Famílias, divulgada pela CNC. O indicador atingiu 69,8 pontos, sendo a melhor evolução desde maio de 2020

Outro aspecto importante no planejamento para vender mais no Natal é o grande crescimento nas compras online, que modificaram a forma de consumir. A McKinsey & Company traz esse recorte de forma clara em relatório, que mostra que entre os consumidores globais:

  • 60% mudaram seus hábitos de consumo e pretendem mantê-los;
  • 37% planejam comprar mais por meios digitais;
  • 40% experimentaram novas marcas durante a pandemia e pretendem continuar com a prática no final do ano.

Portanto, atrair clientes e mantê-los fiéis à marca se destaca como um importante desafio na era do comércio digital, marcada pelo grande leque de opções de lojas e preços disponíveis para pesquisa. 

E no momento em que conhecer seu público se torna ainda mais importante, a Vivo Empresas pode ajudar com soluções de Big Data. Por meio delas, é possível analisar tendências e comportamentos de uma base de 77 milhões de pessoas, assim auxiliando em uma gestão mais inteligente e assertiva.


LEIA MAIS: Varejo no pós-crise: 5 soluções para sua empresa crescer


Tecnologia ganhou força no consumo
E-book | Implementar estratégias de e-commerce_V1

O crescimento do comércio eletrônico 

Não é surpreendente que o fato de comprar virtualmente tenha ganhado uma importância inédita em 2020. Para ilustrar, no segundo trimestre desse ano os pedidos online mais que dobraram, conforme dados da Neotrust E, dentre as vendas, 24,2% foram realizadas por pessoas novas no e-commerce.

Antes de mais nada, só para atender a demanda, o modelo de marketplace cresceu. Entre março e junho, a Associação Brasileira do Comércio Eletrônico (Abcomm) registrou 107 mil novas lojas, o que significa uma loja virtual criada a cada minuto.

Ao mesmo tempo, o e-commerce se torna um poderoso aliado na reabertura das lojas físicas, pois é por meio dele que os consumidores podem se informar, pesquisar e planejar visitas aos estabelecimentos com mais cuidado. 

Do mesmo modo, opções como o drive-thru ou o agendamento para retirada também são ferramentas fundamentais no momento para garantir o atendimento do cliente onde quer que ele se sinta mais seguro, em uma experiência omnichannel, cruzando diferentes canais de atendimento em uma única experiência.

Segundo uma pesquisa publicada pelo Google, para as compras de final de ano, 67% dos consumidores têm a intenção de confirmar a disponibilidade do produto desejado pela internet antes de ir à loja.

Preparado para vender no Natal?

De acordo com o levantamento da Rakuten Advertising, em todo o mundo, 87% dos consumidores devem ir às compras no Natal. Entre os brasileiros entrevistados, 86% querem comprar online, 33% priorizarão gastos com parentes de primeiro grau e 57% reduzirão presentes  para amigos.

De fato, para aumentar as chances de vender mais no Natal, é preciso estar preparado e aproveitar o potencial nos dois âmbitos: virtual e físico.

Para lojas físicas

Repensar a experiência do consumidor na loja é um dos primeiros passos para se diferenciar no mercado. Nesse sentido, rearranjar o espaço físico, disponibilizar reserva ou retirada de produtos por meio de aplicativos e até mesmo garantir uma conexão boa e segura no espaço são algumas alternativas que agregam valor ao negócio.

Do mesmo modo, a Vivo Empresas conta com o Social Wi-Fi, solução de marketing que concede wi-fi gratuito para clientes nos espaços comerciais, utilizando o perfil das redes sociais ou formulário customizado.

Visto que o momento ainda requer cuidados de distanciamento social, implementar o uso de tecnologias capazes de ajudar a manter colaboradores e consumidores seguros deve ser uma prioridade.

Um bom exemplo é adotar facilitadores como o pagamento por aproximação e o Pix, que trazem eficiência e agilidade para as transações. Igualmente, além da inovação na forma de pagamento, também pode-se utilizar soluções de IoT no ponto de vendas para monitorar o fluxo de pessoas.

Para e-commerce

Em primeiro lugar, datas comemorativas fogem ao padrão de demanda diária das lojas online e podem se tornar um marco de reclamações para as que não estiverem estruturadas para comportar as transações. Assim, são primordiais no e-commerce:

  • Boa conectividade;
  • Monitoramento de equipes e frotas;
  • Sistema estável, que evite lentidão na navegação e compras;
  • Flexibilidade para ajustar a capacidade de processamento;
  • Segurança dos dados dos clientes e operações.

Dessa forma, uma estratégia recomendada para o varejo é o uso de soluções em Cloud, que oferecem a escalabilidade necessária para aumentar ou diminuir a estrutura  sem ônus: só se paga pelo que for utilizado. A Vivo Empresas ainda conta com soluções de monitoramento e também de gestão, a Kite Plataform, que ajuda os negócios nesse sentido.

Assim, somado a isso, toda a operação virtual deve contar com cuidados Segurança da Informação para resolver vulnerabilidades. Afinal, o maior uso da internet, impulsionado pela pandemia,também causou um aumento no volume, intensidade e até na complexidade das ameaças cibernéticas. 

Portanto, é preciso proteger a sua rede.


LEIA MAIS: Cibersegurança: criando novos parâmetros para a proteção da sua empresa


Conclusão

Para o varejo, vender mais no Natal será uma das grandes oportunidades de 2020. Contudo, conforme a data se aproxima, fica claro que é preciso, mais uma vez, inovar para se destacar em meio a um mercado concorrido.

Nesse sentido, a Vivo Empresas vem atuando como parceira estratégica da transformação digital de pequenos, médios e grandes negócios. 

Para isso, oferece soluções completas de Conectividade, Segurança da Informação, Cloud, TI, Big Data, Gestão de Tecnologia, Equipamentos, Ferramentas de Colaboração e IoT.

Quer saber mais sobre tecnologia e varejo? Veja os artigos que separamos para você:

Até breve!

Compartilhe este conteúdo!

Solicite um contato
campo obrigátório

Enviamos conteúdos do seu interesse para seu e-mail, cancele a qualquer momento.

Cadastro efetuado com sucesso!

Em breve você receberá os melhores conteúdos para ajudar a gerenciar, expandir ou inovar o seu negócio