Benefícios corporativos: conheça auxílios vantajosos para empresas e colaboradores

Foto do autor

Em um cenário cada vez mais competitivo na busca e na retenção de bons profissionais, os benefícios corporativos se apresentam como uma solução interessante. Estes trazem vantagens e focam em alternativas inovadoras que estimulam a qualidade de vida dos colaboradores. 

Existem muitas opções além dos auxílios tradicionais e obrigatórios, por exemplo, o vale-transporte. É possível ir do cuidado com à saúde mental e física até o bônus por desempenho. Como resultado, as empresas constatam a diminuição das taxas de absenteísmo e turnover, ao mesmo tempo em que sentem o aumento na produtividade e eficiência do time. 

Em outras palavras, a oferta dos benefícios corporativos é uma situação de ganho para ambos os lados em um negócio. Mas, para realmente trazer bons frutos, é preciso conhecer as possibilidades e entender as necessidades e preferências da equipe. 

Para compreender melhor como adotar e aproveitar esses benefícios, neste artigo, você verá: 

  • Benefícios corporativos ajudam na atração e na retenção de talentos
  • Vantagens de implementar essa estratégia
  • Conheça os principais tipos 
  • Saiba como escolher as opções mais alinhadas à equipe
  • Tecnologia é chave para oferta e gestão de benefícios corporativos

Auxílios ajudam na atração e na retenção de talentos

Na busca por vagas, os benefícios são pontos que contam a favor ou contra uma determinada empresa. Juntamente à remuneração oferecida, são esses elementos que afetarão a decisão final de um profissional quanto a ficar ou não na posição. 

Do mesmo modo, quando o trabalhador já está dentro da companhia, um bom pacote de serviços oferecidos pode ser um diferencial para mantê-lo. Mas, afinal, qual a diferença entre os benefícios obrigatórios por lei e os corporativos?

Quando um funcionário é contratado no regime da Consolidação das Leis de Trabalho (CLT), a empresa precisa arcar com uma série de itens, como vale-transporte, Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), férias e 13º salário. Além destes, há mais opções para disponibilizar ao público interno, seja para CLT ou outros tipos de contratação.

É aí que entram os benefícios corporativos, também conhecidos como flexíveis. Estes têm o objetivo de aprimorar o ambiente de trabalho e o engajamento dos funcionários, resultando em maiores produtividade e eficiência.

Em paralelo, essa ação deve ser pensada de acordo com os objetivos do negócio, orçamento disponível e perfil dos colaboradores. Também deve visar ganho de vantagem frente aos concorrentes, mostrando-se uma marca inovadora e preocupada com os ativos mais importantes: seus profissionais. 

Só para exemplificar a importância dessa abordagem, vale trazer os insights de um estudo conduzido pela Feedz, em parceria com a Vee e a Vittude. Divulgada pela Forbes, em outubro de 2021, a pesquisa contou com 1.129 trabalhadores de 800 empresas de todo o País, de diversos setores, e mostrou que:

  • As empresas que oferecem benefícios além do básico são mais recomendadas pelos colaboradores do que as que não o fazem;
  • Os maiores diferenciais são os auxílios voltados para saúde mental e emocional, como sessões de terapia, além da flexibilidade de horários de trabalho.
E-book | SD-WAN agilidade e segurança_V1

Quais as vantagens de implementar a estratégia?

Como já mencionado, as vantagens que a concessão de benefícios traz não são apenas focadas nos funcionários, mas afetam o desempenho da empresa. Para facilitar, listamos alguns resultados que podem ser esperados após a adoção de um pacote de benefícios corporativos.

Aumento de engajamento e produtividade

Manter os colaboradores engajados é um desafio, mas os auxílios oferecidos ajudam nisso de maneira indireta, ao garantir melhor qualidade de vida. E, consequentemente, com profissionais mais motivados e comprometidos, a produtividade tende a aumentar, gerando ganho para a companhia.

Queda de absenteísmo e rotatividade

Tanto as faltas nos dias de trabalho quanto a troca constante de funcionários são questões que atrapalham a performance de uma equipe, além de gerar gastos para a companhia. Aliás, o turnover vem sendo um problema dentro e fora do País. No Brasil, em janeiro de 2022, mais de 540 mil profissionais deixaram seus cargos, como divulgado em reportagem no Jornal Nacional. Enfim, a escolha dos benefícios corporativos certos pode ajudar a diminuir essas taxas.

Reforço na atração e na retenção de talentos

Contar com bons profissionais é crucial para o sucesso de um negócio. Em contrapartida, essas pessoas buscam as melhores condições para exercer sua profissão e, ainda, ter qualidade de vida. Por isso, a ideia de valorização que os benefícios corporativos dão aos colaboradores é fundamental para trazer novos talentos e manter os que já fazem parte da equipe.

Melhoria na reputação da companhia

Escolher benefícios corporativos alinhados ao negócio e ao que os colaboradores desejam é essencial para melhorar a imagem da companhia frente aos competidores. Mas também é primordial na atração de talentos que, muitas vezes, tentam uma vaga por recomendação de funcionários. Então, esse investimento gera reconhecimento até como marca empregadora, ou seja, como uma companhia da qual as pessoas querem fazer parte.

Conheça os principais tipos de benefícios corporativos

Recentemente, houve grandes mudanças na relação dos profissionais com o trabalho. Em primeiro lugar, podemos citar a adoção de novos modelos, como o híbrido e o remoto, que trazem mais flexibilidade ao cotidiano. 

Em seguida, vale mencionar que essas formas de trabalhar a distância permitiram maior diversificação das equipes que, por vezes, moram até em estados diferentes. Do mesmo modo, os benefícios corporativos também precisam atender a perfis diferentes de pessoas.

Por conta disso, o leque de opções está gradualmente crescendo. Se antes o foco era em transporte, hoje, já há grande destaque para o cuidado com a saúde. Segundo o Guia Salarial 2022, da Robert Half Talent Solutions, os benefícios mais importantes para os colaboradores são:

  • assistência médica;
  • vale-alimentação;
  • vale-refeição;
  • previdência privada;
  • notebook.

Mas há muito mais que as empresas podem oferecer para seus funcionários, no que tange ao bem-estar geral. Dentre as alternativas, estão:

  • Programa de Participação nos Lucros e Resultados (PLR) ou bonificações por desempenho;
  • Plano odontológico e de saúde mental, com auxílio a atendimento psicológico, por exemplo;
  • Seguro de vida;
  • Vale-cultura para custear a parte de entretenimento, como peças de teatro e shows;
  • Auxílio à educação para realizar cursos livres, como o de idiomas, e especializações;
  • Descontos em restaurantes e lojas parceiros;
  • Auxílio home office para pagamentos de contas de luz e internet.

Dependendo da companhia, o modelo híbrido ou a flexibilização de horários também são colocados como um benefício. Aliás, esse é um recurso atraente para grande parte dos profissionais, como mostra o levantamento realizado pelo Talenses Group. 

A pesquisa, que foi publicada no Valor Econômico, em maio de 2022, indica que apenas 5% dos 600 funcionários entrevistados desejam voltar ao trabalho presencial. Além disso, chefes empáticos, flexibilidade de horário, metas reais e oportunidades de desenvolvimento na empresa são desejados. 

Saiba como escolher as opções mais alinhadas à equipe

Embora o primeiro passo para se adotar os benefícios corporativos como estratégia seja conhecê-los, entender os perfis das pessoas que os receberão também é crucial.

Como exemplo, em uma companhia na qual grande parte dos colaboradores não usam carro, oferecer um vale-combustível não é atrativo. Da mesma forma, firmar parcerias com restaurantes e lojas para desconto que ficam fora de mão para os funcionários não é efetivo.

Então, o momento de seleção dos benefícios corporativos exige bastante autoconhecimento, bem como um olhar para o mercado e os concorrentes. Nesse momento, pesquisas internas de percepção são recomendadas, ao lado de levantamentos de tendências para o setor.

Também devem ser considerados o perfil da empresa, seu tamanho e a cultura organizacional que é disseminada. Afinal, tudo faz parte da estratégia de negócios e, portanto, deve estar alinhada aos objetivos da companhia.

Em suma, para fazer a melhor escolha, é necessário:

  • conhecer o perfil dos profissionais e da empresa;
  • entender o que os concorrentes estão oferecendo, para manter a competitividade;
  • ficar atento às tendências de RH e novidades quanto aos benefícios flexíveis;
  • optar por um pacote personalizado para a equipe;
  • mensurar resultados e fazer pesquisas de satisfação para entender se aquele investimento continua servindo ao propósito pretendido.

Tecnologia é chave para oferta e gestão de benefícios corporativos

Felizmente, hoje, a tecnologia já avançou o suficiente para auxiliar em cada etapa da adoção dessa estratégia de benefícios corporativos. 

A princípio, por exemplo, inovações como a Internet das Coisas (IoT) e o big data são cruciais na fase inicial de planejamento. Enquanto o primeiro consegue coletar dados a partir dos dispositivos conectados em escritórios, lojas e fábricas, o segundo transforma essa matéria bruta em conhecimento e insights.

É o big data que possibilita a análise de grandes volumes de dados, sendo perfeito para conhecer as tendências de mercado, por exemplo. 

Ao mesmo tempo, a conectividade é um dos pilares tecnológicos nessa abordagem, facilitando a comunicação entre gestores e equipe. Aliás, juntamente à cloud, esse duo permite a oferta de uma jornada flexível, mantendo a qualidade de produção presencial. 

Inclusive, na Vivo Empresas, existem os Planos Smart Empresas que viabilizam a tendência de “anywhere office”, ou o “trabalho de qualquer lugar”. O serviço oferece, por exemplo, o dobro de dados para apps de produtividade, como Outlook. 

Na nuvem, são as ferramentas de colaboração, como o Microsoft 365, que permitem e promovem a colaboração entre os profissionais, mesmo a distância. Essa ferramenta dá acesso a e-mails, libera o compartilhamento de arquivos entre os times e reuniões online com colaboradores e clientes.

Outro ponto importante na modalidade híbrida ou remota, que pode ser oferecida entre os benefícios corporativos, são os dispositivos de trabalho. Sem dúvidas, um notebook atualizado e seguro contribui para a produtividade do colaborador. Porém, arcar com a aquisição e a manutenção desses aparelhos pode pesar para o negócio.

Por isso, já existem soluções, como o aluguel de equipamentos, que permite contar com esses eletrônicos essenciais e ainda reduz custos operacionais.

Investimento em benefícios corporativos visa o futuro do negócio

Por trás de cada bom produto ou serviço oferecido, há uma empresa que investiu nos seus profissionais. Afinal, um funcionário motivado gera um impacto positivo não só para o ambiente de trabalho, mas para a produtividade. 

Mas o que faz de fato um colaborador se sentir reconhecido e engajado? Apesar de não haver apenas uma resposta certa para essa pergunta, não há dúvidas de que os benefícios corporativos são parte da solução. 

A oferta de opções alinhadas aos perfis dos profissionais, como um vale-cultura ou o auxílio home office, promove segurança e bem-estar. Ou seja, resulta em maior qualidade de vida, que é um dos aspectos procurados atualmente.

De acordo com o relatório “Grandes Expectativas: permitindo que o trabalho híbrido funcione”, da Microsoft, divulgado em março de 2022, 71% dos entrevistados no Brasil afirmam serem mais propensos a priorizar saúde e bem-estar em relação ao emprego.

Em conclusão, investir em benefícios corporativos é sim investir no futuro do negócio. E a Vivo Empresas pode ajudar na melhor gestão dessa estratégia, por meio de soluções completas de conectividade, cloud, IoT, big data e mais. 

Gostou de conhecer a relação entre tecnologia e gestão de pessoas? Então, confira estes artigos: 

Até a próxima!

Foto do autor
Solicite um contato