Varejo na páscoa: conheça as principais inovações tecnológicas para impulsionar seu negócio

Foto do autor

Embora a pandemia de Covid-19 ainda não tenha terminado, nossas rotinas estão voltando à antiga normalidade. Com a taxa de vacinação crescente e a flexibilização das medidas de isolamento em diversas cidades, a expectativa é que o varejo na Páscoa recupere o faturamento perdido nos dois anos anteriores.

As dificuldades enfrentadas nesse período foram duras, porém, trouxeram um legado positivo: o avanço do uso da tecnologia no comércio. 

Se no início da pandemia, as soluções digitais foram utilizadas mais no sentido de reduzir as perdas, hoje em dia esses recursos são indispensáveis para melhorar a experiência do usuário, ampliar a escala de produção, otimizar a logística e impulsionar as vendas.

Dessa forma, soluções para a digitalização dos negócios estão sendo essenciais para a Páscoa de 2022 retomar o volume da pré-crise sanitária. 

Neste artigo, você saberá mais como a inovação apoia o setor do varejo. Ao longo do texto, daremos detalhes sobre:

  • A páscoa em tempos de pandemia
  • Expectativas para a páscoa 2022
  • Como a tecnologia impulsiona o varejo
  • Novidades tecnológicas para a páscoa em 2022

A Páscoa em tempos de pandemia

Com páscoa em 2022, varejo tem oportunidade para recuperar as perdas de 2020 e 2022

Os produtores e varejistas foram pegos de surpresa em 2020 com a chegada do coronavírus ao Brasil. Com a adoção do isolamento social e a insegurança econômica da população, as vendas recuaram 33% em relação ao ano anterior, segundo dados da empresa Boa Vista.

No ano seguinte, o resultado também não foi nada animador. Mesmo com a antecipação da comercialização dos ovos de chocolate, o volume vendido em 2021 foi 2,2% menor do que 2020, segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Entretanto, quando o varejo nesta data é analisado exclusivamente na perspectiva do e-commerce, o cenário é completamente oposto. Até 2019, o comércio virtual para essa festividade era praticamente irrelevante, mas expandiu em 2020 e cresceu ainda mais em 2021.

Segundo o relatório Páscoa no e-commerce da Lett, o número de pedidos das 9 maiores fabricantes de chocolate no Brasil cresceu 136% entre 2020 e 2021. O faturamento também aumentou, passando de R$ 34 milhões para R$ 64 milhões, uma alta de 84%.

O estudo também constatou que a venda de chocolates na categoria bomboniere cresceu muito mais em relação aos ovos (306% contra 100%), o que diminuiu o ticket médio dos pedidos.

Webinar | Tecnologia aumenta vendas no varejo _V1

Expectativas para a Páscoa 2022

Com a consolidação do e-commerce como mais uma opção aos consumidores, aliado ao recrudescimento da covid-19 que vem ajudando a reativar o comércio presencial, a estimativa é que em 2022 as vendas do varejo na data cresçam ainda mais.

Segundo avaliou o economista da CNC Fábio Bentes, em live à Revista Exame, a previsão é que o volume aumente cerca de 1,9% esse ano em relação a 2021, já descontando a inflação. Segundo ele, a desvalorização do dólar é um dos fatores que sustentam a análise, visto que a importação de chocolate cresceu 10%, por conta do preço mais atrativo.

Nesse mesmo evento, a Lacta, maior empresa do ramo, revelou que espera também um crescimento de cerca de 10% na comercialização de seus itens. Para atender a demanda, a empresa já mobilizou mais de 500 funcionários extras na linha de produção e 2000 trabalhadores nos pontos de distribuição.

Essa expectativa já está se cumprindo nos levantamentos preliminares. Conforme dados da consultoria GS Ciência do Consumo, as vendas de ovos de Páscoa realizadas até 13 de fevereiro nos supermercados já são maiores em comparação com o mesmo período nos 3 últimos anos. Em relação a 2019, o aumento foi de 11%, até a data analisada.

O otimismo também está presente quando avaliada especificamente a movimentação no e-commerce. Para a CEO da T. group, Andréa Fernandes, a expectativa é de um aumento de 10% no faturamento do setor, 6% de acréscimo dos pedidos e 4% nos tickets médios. A taxa de crescimento é menor, comparada aos anos anteriores, mas demonstra a consolidação do comércio online nas compras para essa data comemorativa

Como a tecnologia impulsiona o varejo na Páscoa

O consumidor que encontra os ovos de Páscoa prontos nas prateleiras dos supermercados, ou a um clique nos sites de e-commerce, não imagina o tanto de trabalho e tecnologia utilizados pelas empresas.

Por trás de cada ovo, dos bombons, das barras de chocolate e demais itens comercializados, há diversas soluções que atuam em sua fabricação.  A tecnologia está presente na logística, na colaboração dos funcionários, no processamento de informações, na captação dos clientes e demais etapas de toda cadeia produtiva.

Comunicação, armazenamento e infraestrutura de dados

Um dos elementos mais importantes para garantir toda a comunicação e infraestrutura de dados necessárias é a conectividade. Esse termo se refere não apenas à conexão das corporações com a internet, mas sim à capacidade delas de trabalharem de forma estável e integradas com toda a rede de ferramentas, plataformas, dispositivos e sistemas operacionais envolvidos na produção, distribuição e venda de mercadorias.

Dessa forma, a conectividade vai muito além do comércio virtual e proporciona a interação entre dados e pessoas de forma ágil, em todas as etapas do processo.

Aliada a essa ferramenta, a cloud computing é outra tecnologia valiosa. Ainda mais em datas comemorativas, em que há um acréscimo relevante das vendas. Essa solução tecnológica amplia a flexibilidade e a capacidade dos negócios operarem em grande escala.

Além disso, o serviço de armazenamento em nuvem ainda colabora para a economia do varejista em recursos de hardware, visto que os dados da corporação podem ser acessados virtualmente. Outro benefício desse recurso é na colaboração em equipe, permitindo que os funcionários tenham acesso ao ambiente de trabalho simultaneamente, de maneira remota.

Planejamento de produção e incremento das vendas

Para as empresas conseguirem planejar a compra de insumos, organizar o estoque, prever o volume de produção, analisar tendências, conhecer os hábitos de consumo dos clientes, etc, o big data é uma ferramenta indispensável

Esse recurso pode ser conceituado como a análise de dados em grande volumes, que avalia as características das informações em relação à velocidade, variedade, veracidade e valor. Com o investimento na tecnologia, o varejista consegue se alinhar às demandas e expectativas do mercado e otimizar seus processos de fabricação e vendas.

Outra vantagem competitiva oferecida pelo big data é o aumento da eficiência das campanhas de marketing, visto que esse recurso possibilita uma análise precisa dos padrões dos consumidores. 

Com a informação correta, a empresa pode, por exemplo, melhorar a oferta de atendimento personalizado, considerada por especialistas como uma grande tendência para o varejo a curto prazo.

Gestão inteligente

De forma interligada com a conectividade, o big data e o cloud computing, a IoT – Internet das Coisas é outro elemento útil ao varejo. Considerada uma espécie de rede neural que conecta o mundo real ao digital, essa ferramenta consegue contribuir em todas as etapas da cadeia produtiva.

Começando pela linha de produção, a tecnologia tem excelente eficácia na manutenção de equipamentos. Com sensores que medem o funcionamento de utensílios como forno e refrigeradores, a IoT garante uma preservação de maquinário muito mais acurada, detectando e prevendo falhas com mais precisão.

Na logística do varejo, essa solução também é essencial. Dispositivos inteligentes auxiliam na manutenção preventiva dos veículos que transportam mercadorias e, ainda, melhoram a segurança, oferecendo geolocalização precisa e auxílio na rota. A internet das coisas também é aplicada na gestão da demanda, fornecendo informações em tempo real sobre a disponibilidade dos estoques.

Chegando à última etapa da cadeia produtiva, a IoT também contribui para melhorar a venda das lojas físicas. Um dos benefícios gerados por essa inovação é oferecer opções de pagamento mais práticas, como por aproximação ou por meio de totens, e sugerir itens específicos a cada cliente, via notificação pelo smartphone, por exemplo. 

Além disso, ainda é capaz de rastrear as ações dos clientes no estabelecimento, fornecer dados sobre as zonas mais frequentadas do comércio e os produtos que os consumidores pegam para olhar, mas devolvem à prateleira, entre diversas outras informações. Devido a esse enorme potencial, a tecnologia é considerada o futuro das lojas físicas.

Novidades tecnológicas para o varejo na Páscoa em 2022

Delivery, lojas interativas e e-commerces são destaques para o varejo na Páscoa 2022

Com a utilização crescente das tecnologias aplicadas ao varejo, os consumidores contam com uma grande novidade para este ano. Pela primeira vez, uma empresa brasileira está oferecendo uma loja virtual 3D, muito próxima ao que seria uma experiência no metaverso. 

Criada pela Lacta, a inovação foi utilizada pela primeira vez no natal de 2021 e agora chega à Páscoa, com cenário renovado. Esse e-commerce 3D proporciona uma experiência imersiva e oferece não só os produtos, mas também um quiz que funciona como sugestão de compras, além de jogos que dão descontos na compra de ovos e chocolates.

Já a evolução prevista para o segundo semestre desse ano, que certamente irá aumentar a interação entre o real e o virtual, é a chegada do 5G. Cerca de 20 vezes mais veloz que o padrão atual, deve levar o comércio varejista a um novo patamar, de mais presença da IoT e maior atuação da conectividade no processo produtivo.

2022: uma Páscoa mais conectada

A pandemia do coronavírus deixou legados tecnológicos que tendem a continuar se expandindo. No primeiro ano de Páscoa mais próxima à antiga normalidade, as empresas que investiram em recursos de conectividade, cloud computing, IoT, big data, entre outras ferramentas, estão em vantagem competitiva. Sendo assim, possuem mais chance de retomar o padrão de venda pré crise sanitária.

Essa digitalização do comércio é parte do processo conhecido como varejo inteligente, onde a inovação é aplicada para melhorar a performance do setor. 

Para Davi Martins, Enterprise Sales Consulting da Huawei do Brasil, é fundamental que as empresas não esperem pela chegada do 5G para se integrarem às soluções. Segundo o profissional, é importante que as corporações se adaptem desde já para que, com a superação do 4G, os negócios continuem crescendo.

Para impulsionar o varejo na Páscoa, ou em qualquer outra data comemorativa, a Vivo Empresas oferece um portfólio completo de soluções para negócios. Seja para pequenos, médios ou grandes empreendedores, a empresa oferece todas as ferramentas tecnológicas necessárias para os comércios entrarem de vez na nova era digital.

Gostou do assunto? Então aproveite para ler mais nestes artigos publicados anteriormente:

Até a próxima!

Foto do autor
Solicite um contato