Startups de sucesso: conheça exemplos de resiliência nos negócios durante a pandemia

Foto do autor

No Brasil, já são diversas as startups de sucesso que dão o exemplo de inovação ao fazer negócios. Inclusive, frente aos desafios atuais impostos pela pandemia de Covid-19, esse modelo de empresa, que se concentra em resolver as dores específicas dos setores em que atuam, , vêm ganhando cada vez mais espaço no mercado global.

Seja na área da saúde, de finanças ou mesmo da educação, essas companhias nascem com características especialmente necessárias no cenário atual. 

Para ilustrar, enquanto muitas grandes corporações precisaram se adaptar rapidamente à digitalização, para as startups, isso já é uma premissa de sua estrutura desde a etapa de ideação.

E esse fenômeno fica ainda mais claro quando se analisam os principais viabilizadores da transformação digital, tais como a conectividade e os serviços de nuvem. Ambos são intrínsecos ao ecossistema dos negócios inovadores. Afinal, é em cloud onde muitos desses negócios rodam. 

Sendo assim, ficar atento ao cenário das startups pode servir como inspiração para que mais empreendedores consigam superar os obstáculos atuais e futuros do mercado.

Quer saber mais sobre o tema? Neste artigo, você verá:

  • Panorama das startups no país
  • Empresas mostram evolução mesmo em meio ao cenário pandêmico
  • As startups de sucesso no Brasil
  • Tendências tecnológicas que ajudam a construir startups de sucesso
  • Um olhar para o futuro desse mercado

Panorama das startups de sucesso no país

startups de sucesso
Brasil é líder em número de startups na América Latina, além de contar com a maior quantidade de “unicórnios” na região.

Atualmente, o Brasil é o quinto país no mundo em número de startups que possuem valor de mercado maior que US$ 1 bilhão. São doze companhias brasileiras que já atingiram esse status de unicórnio e 17 que estão se aproximando, de acordo com o estudo Corrida dos Unicórnios 2021, publicado no início desse ano pelo portal de inovação Distrito.

Porém, vale pontuar que, para chegar nesse patamar, houve uma grande evolução em um tempo relativamente curto. O lugar de primeiro unicórnio criado no Brasil foi conquistado pela startup de transporte urbano 99, em janeiro de 2018. A companhia foi seguida por outras que, hoje, são inspiração do setor, como o Nubank e o iFood.

É claro que o caminho não é fácil. Segundo a CB Insights, 70% desses negócios não conseguem completar dois anos de atuação após o investimento inicial. Porém, há também grandes recompensas para quem se arrisca nesse universo inovador.

Aliás, esse modelo de empresa se mostrou resiliente durante a pandemia de Covid-19, uma das piores crises dos últimos tempos. E muito disso se deve à aceleração dos processos de digitalização.

Cloud e Big Data lideram digitalização das startups

Para exemplificar, destacamos alguns dados da Radiografia do Ecossistema Brasileiro de Startups, divulgado em 2018 pela Associação Brasileira de Startups (Abstartups) e pela consultoria Accenture. Assim, o relatório apontou que entre as principais tecnologias utilizadas nas soluções oferecidas por essas empresas já estavam presentes:

  • 36,89% – Analytics/Big Data; 
  • 23,09% – Cloud;
  • 13,69% – Inteligência Artificial;
  • 8,24% – Internet das Coisas (IoT).

Além disso, mesmo em 2018, um momento menos digitalizado do que o atual, 44,20% das empresas atuavam como SaaS, sigla para ‘Software como serviço’ (software as a service, no inglês), um modelo de negócios baseado na contratação, por assinatura, de um software pronto para o uso e operado em nuvem.

Seguindo essa tendência, o Brasil reúne cada vez mais startups de sucesso em diversos segmentos da economia. E após a performance delas durante a crise sanitária, os investimentos nesse setor devem crescer ainda mais.

Webinar | Tendências em tecnologia proteger sua empresa_V1

Empresas mostram evolução mesmo em meio ao cenário pandêmico

Depois de dois anos bons para o mercado de startups, o cenário pandêmico não reservava expectativas grandiosas para 2020. E isso piorou com o início da pandemia e o momento inicial de cautela dos investidores.

Em março de 2020, os investimentos caíram 85% em comparação com o mesmo mês de 2019, de acordo com dados do Distrito Dataminer divulgados na época. Porém, ao contrário do esperado, essas empresas acabaram desempenhando um papel fundamental. 

Tanto é que houve número recorde de fusões e aquisições de startups no Brasil, que chegou a 163. Comparada ao ano anterior, houve um aumento de 155% nessas transações, ainda segundo a plataforma Distrito. Além disso, também houve uma arrecadação histórica de fundos em 2020, cerca de US$ 3,5 bilhão.

Nesse sentido, quanto mais ligadas à resolução de dores de negócio por meio de tecnologias disruptivas, melhor o desempenho. Como exemplo, as empresas focadas em Inteligência Artificial atingiram uma captação de US$ 365 milhões, como mostra a reportagem da Revista PEGN

No total, atualmente existem 702 negócios nessa área, que atraíram cerca de US$ 839 mi desde 2012.

Nesse cenário, em decorrência da maior preocupação com saúde, as healthtechs também se destacaram como startups de sucesso. Segundo outro levantamento da PEGN, mais de US$ 100 milhões foram investidos nos empreendimentos desse gênero em 2020, quantia que só perde para os aportes no setor em 2017. 

Inclusive, elas ainda cresceram em número: atualmente, são 542, enquanto em 2018 eram apenas 248.

Expectativas para 2021

Como visto no ano passado, a tendência é que o Brasil testemunhe o surgimento cada vez mais acelerado de startups de sucesso. Além disso, é importante notar que esse ecossistema está amadurecendo e atraindo mais empreendedores e investidores. 

Um bom exemplo disso é que, de janeiro a maio de 2021, o mercado recebeu US$ 3,2 bilhões em aportes, bem como 91 fusões e aquisições. Por sua vez, esse número corresponde a 90% do que foi injetado no setor em 2020, de acordo com o relatório Inside Venture Capital.

Em outras palavras, há um vasto campo de oportunidades para as startups brasileiras que souberem aproveitar o momento.


LEIA MAIS: Expandir startups: como a tecnologia torna a tarefa mais fácil e sustentável


As startups de sucesso no Brasil

Startups de sucesso
Segmento empresarial aposta em alta tecnologia e diversidade para se destacar. Conheça as startups de maior sucesso no Brasil

Com foco em inovação, é sempre bom estar atento às startups de sucesso e entender por que elas se destacam no mercado. 

Nesse sentido, a 100 Startups to Watch é um ranking anual, organizado por um consórcio de veículos de imprensa ligados ao empreendedorismo, que traz uma seleção de empresas com soluções inovadoras e potencial para se tornarem líderes. 

São essas que têm a chance de atender às demandas e de crescer – mesmo em um momento de instabilidade econômica.

E para a edição deste ano, 2.763 candidatas foram inscritas, mas apenas uma centena delas foram escolhidas para representar o melhor de cada setor de atuação. 

Entre os segmentos, se destacaram: 

  • agronegócio;
  • educação;
  •  finanças;
  • impacto, marketing e vendas;
  • recursos humanos;
  • saúde e bem-estar;
  • serviços;
  • tecnologia da informação;
  • transporte e logística. 

A seguir, você confere alguns exemplos das startups que estão se destacando em 2021, sobretudo pelo uso de tecnologias conectadas e inteligentes para transformar seus produtos e processos

DigiFarmz

Selecionada como uma das ideias mais inovadoras do agronegócio, a DigiFarmz é uma plataforma digital que apresenta recomendações para ajudar produtores, agrônomos e consultores. Para isso,  combina diversas fontes como pesquisas, informações de clima e do cultivo, data, local e outros parâmetros do plantio.

Na prática, a solução possibilita a otimização de investimentos e recursos, bem como contribui para uma atividade mais sustentável. Ou seja, é possível orientar quanto aos melhores produtos, datas e formas para realizar processos como a pulverização. Assim, evita-se programar essa ação para um dia chuvoso ou com um fungicida que não atua sobre o problema da plantação.

Basicamente, a startup pode usar dados captados via dispositivos conectados por Internet das Coisas e, a partir daí, aplicar soluções de Big Data. Dessa forma, a gestão da fazenda é feita de forma mais inteligente, com base em informações em tempo real. 

Workalove

O mundo da educação também está se modernizando e, para isso acontecer da melhor forma, são necessárias novas abordagens. A edtech Workalove foca no poder da conectividade, facilitando a conexão entre instituições de ensino, estudantes e o mercado de trabalho.

Essa startup de sucesso trabalha principalmente com duas soluções. A primeira é a de captação de alunos com orientação de carreiras, enquanto a segunda é a gestão de permanência com trabalhabilidade. 

Desse modo, a empresa traz mecanismos para a automação de processos, utilizando serviços em nuvem para assegurar a mobilidade no acesso das plataformas. Além disso, um dos diferenciais da tecnologia oferecida é a captura de dados desse universo educacional, bem como o Machine Learning implementado.

CUBi

Realizar a gestão de energia é um desafio para muitas empresas, principalmente as que precisam estar sempre em funcionamento, como hospitais e bancos. Sendo assim, a startup CUBi oferece soluções baseadas na ciência de dados, como a gestão de faturas e o monitoramento do consumo. 

A missão é facilitar o cotidiano de gestores e tomadores de decisão, apresentando o panorama de gastos e oportunidades de melhoria de forma simples. Já uma das principais tecnologias empregadas para atingir esse resultado é a Internet das Coisas

Afinal, através da conectividade e informações geradas pela IoT, é possível acompanhar, em tempo real, a performance energética dos equipamentos, atuando em melhorias para que as instalações exijam menos recursos – o que também agrega à sustentabilidade.

Tendências tecnológicas que ajudam a construir startups de sucesso

Em conclusão, analisando alguns exemplos da lista, já fica clara a relação entre o desenvolvimento de soluções de negócio inovadoras e as tecnologias da nova geração, como IoT, AI, Machine Learning e Big Data. Contudo, diretamente na estrutura das startups de sucesso, ainda há outros recursos essenciais para um bom desenvolvimento. 

O primeiro elemento que, inclusive, é um viabilizador da transformação digital é a conectividade. Afinal, uma conexão segura, estável e com uma capacidade que atenda à demanda do negócio é fundamental para qualquer outra ferramenta online ou mesmo para a simples transferência de dados.

Além disso, os serviços de nuvem são a espinha dorsal dos projetos, oferecendo um ambiente escalável, flexível e acessível. Por sua vez, a cloud também oferece vantagens em custo-benefício quando comparada à alternativa de uma TI completamente física.

Outro ponto que fortalece esse mundo virtualizado é o fato de que o trabalho remoto é uma tendência estratégica, conforme apontada pelo Gartner Inc. 

O fenômeno foi chamado pela consultoria de “Anywhere Operations” e, assim, vem impulsionando tecnologias que permitam a realização de atividades cotidianas a distância. Um bom exemplo são as ferramentas de colaboração, que são cada vez mais utilizadas para manter a integração em times, independentemente da localização.

Por fim, para que todas essas soluções empregadas pelas startups funcionem propriamente, é preciso estar bem equipado. Nesse âmbito, é possível otimizar o custo de ter aparelhos atualizados e seguros por meio da locação destes. 

Aliás, segundo o relatório de tendências preparado pela EXAME Academy e pela ACE Startups, “comprar é coisa do passado”. A publicação cita como no universo da tecnologia é recorrente ter tudo como serviço, como o modelo da nuvem


LEIA MAIS: As vantagens dos serviços em nuvem para gerenciar startups


Um olhar para o “amanhã” desse mercado

Em suma, as startups são o modelo de negócio do futuro. Isso não apenas por oferecerem diretamente soluções inovadoras para o público, mas também porque são uma abordagem moderna para novos negócios.

Segundo dados da 1ª pesquisa BR Angels/FirstCom – Investimentos, Aquisições e Maturidade em Inovação, 46% das grandes corporações realizaram aportes para adquirir empresas desse gênero em 2020. Os principais motivos apontados foram justamente a aceleração da transformação digital, a incorporação de tecnologia e o aumento da competitividade.

Além disso, 65% dos CEOs pensam em fazer aquisições em 2021, sendo que as três áreas de maior foco são fintechs, TI e SaaS

Como dito anteriormente, o crescimento de empresas com esse modelo de negócio foi expressivo durante os últimos anos no Brasil, mesmo frente a grandes desafios. Contudo, para que elas continuem evoluindo e existam cada vez mais startups de sucesso no país, é preciso contar com uma estrutura tecnológica de ponta

Assim, para ajudar na ascensão das startups, a Vivo Empresas oferece soluções digitais escaláveis e flexíveis, alinhadas ao ecossistema inovador em questão.  Como exemplo, o portfólio reúne, inclusive, opções especialmente pensadas para as necessidades das startups.

Gostou? Então conheça mais sobre as tecnologias que auxiliam as startups a se destacarem no mercado:

Até a próxima!

Foto do autor
Solicite um contato