As vantagens dos serviços em nuvem para gerenciar startups

17/02/2021 às 22:14

A digitalização  de empresas às pressas marcou o ano de 2020. Isso principalmente para soluções de tecnologia, que viram sua demanda aumentar exponencialmente em serviços de nuvem, por exemplo. 

Com ela, também vieram mudanças que afetaram hábitos de consumo, rotinas de estudo, a forma de trabalhar e até de conduzir os negócios, como gerenciar startups.

O trabalho remoto se tornou possível, de forma geral, por meio de recursos de Cloud. E ganhou destaque como uma opção à suspensão das atividades de companhias. 

Apesar de não ser uma prática habitual no país até então, o modelo trouxe bom retorno para os negócios e colaboradores.

Essa foi uma das transformações que abriu caminho a novas oportunidades de negócio, em especial para empresas com um rápido crescimento e capital focado, como é o caso das startups.

Neste artigo, você verá como os serviços em nuvem podem ajudar a gerenciar startups de forma eficiente e com custos reduzidos. E, ainda, como  auxiliam até mesmo na adaptação ao novo cenário do mercado, como a implementação de um modelo de trabalho híbrido com qualidade e segurança.

Leia aqui:

  • O cenário das startups
  • Novo modelo de trabalho também é atrativo para startups
  • Para gerenciar startups de forma segura, uma boa implementação do trabalho remoto é fundamental
  • Os benefícios dos serviços em nuvem
  • Conclusão

O cenário das startups

As startups brasileiras são um exemplo de negócios que se adaptaram e cresceram, apesar da crise global vivida em 2020. 

Presentes em diversos setores como educação, saúde, finanças, logística e agricultura, essas companhias tiveram papel especial durante a pandemia.

Só para exemplificar esse sucesso, segundo um estudo realizado pela Distrito, tais empresas atingiram um marco histórico, arrecadando US$ 3,5 bilhões em 2020. Isso representa um crescimento de 17% em relação a 2019. 

Além disso, houve outros recordes como o volume de transações, que atingiu 469 aportes. E também o número de fusões e aquisições, que chegou a 163, comparado a 64 em 2019.

Outro fato interessante é que as startups estão bastante ligadas à tecnologia. E as focadas em Inteligência Artificial também se destacaram no ano anterior com uma captação de US$ 365 milhões, de acordo com a Distrito Dataminer.

Dessa forma, fica claro que, no Brasil, gerenciar startups é um desafio, mas também é um campo crescente de oportunidades.


LEIA MAIS: Startups na crise: tecnologia garantiu crescimento dos negócios durante a pandemia


Prepare seu negócio

Novo modelo de trabalho também é atrativo para startups

Muitas empresas adotaram o home office pela primeira vez no Brasil durante a pandemia. E esse processo foi realizado de forma bastante rápida, a fim de acarretar menor prejuízo às empresas. 

Para se ter uma ideia, até abril de 2020, 46% das companhias brasileiras já recorriam ao modelo, de acordo com um estudo da Fundação Instituto de Administração (FIA)

Após a implementação, que muitas vezes foi feita de forma imperfeita, priorizando velocidade ao invés de segurança, muitos negócios entenderam que essa transformação perduraria mesmo sem períodos de contingência. 

Para ilustrar, uma pesquisa feita pelo Google Customer Survey mostrou que um em cada cinco brasileiros já acredita que o hábito de trabalhar e estudar em casa será incorporado na nova rotina.

Aliás, segundo um estudo conduzido pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da USP em 2020, 7 em cada 10 pessoas gostariam de seguir trabalhando de forma remota após a pandemia.

Além disso, o estudo Predictions 2021, da Forrester Research, prevê que Com isso, inegavelmente, é necessário se preparar para fornecer estrutura aos colaboradores que optarem pelo modelo, seja ele integral ou híbrido.  

Afinal, há uma série de benefícios aos funcionários, como a redução do tempo gasto com locomoção ao local do trabalho até uma melhor qualidade de vida e tempo familiar. Inclusive, o mercado imobiliário já está sentindo os efeitos dessa transição. 

Na cidade de São Paulo, por exemplo, a Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios indicou que os novos negócios caíram para 30% da média anterior à pandemia.

Contudo, a mudança também é positiva para as companhias, que podem diminuir espaços em escritórios e, assim, reduzir custos operacionais

E nesse fator, o modelo de trabalho híbrido se torna bastante vantajoso para  gerenciar startups


LEIA MAIS: Home office definitivo: prepare sua empresa para essa nova realidade


Para gerenciar startups de forma segura, uma boa implementação do trabalho remoto é fundamental

Como vimos, o trabalho híbrido, quando o funcionário alterna entre escritório e a casa (ou qualquer outro lugar) durante a semana, é benéfico para empresas e colaboradores.

Porém, há ressalvas: precisa ser planejado e contar com uma estrutura tecnológica adequada para suportar as necessidades do seu negócio.

Somente dessa maneira será possível manter um colaborador exercendo suas atividades remotamente com a qualidade e a segurança que ele teria no escritório. 

Inclusive, esse modelo foi nomeado pelo Gartner como “Anywhere Operations” e listado como uma das tendências tecnológicas estratégicas para 2021

Por outro lado, uma migração feita às pressas pode transformar tal vantagem em um problema, pois impasses como conectividade instável, dificuldade para acessar documentos e aplicações podem afetar a eficiência.

Outra questão crucial é a segurança dessas operações, bem como dos dados armazenados no ambiente virtual. 

Com um maior uso corporativo do meio digital, houve um considerável aumento nos incidentes de segurança cibernétca. Entre fevereiro e abril de 2020, por exemplo, os ataques com foco em ferramentas de acesso remoto cresceram 333% no Brasil, de acordo com dados da Kapersky

Essa evolução nas ameaças durante a pandemia mudou também a visão dos gestores. No relatório Future of Secure Remote Work, da Cisco, 85% das organizações afirmaram que a segurança cibernética agora é extremamente importante ou mais importante do que antes da COVID-19

Nesse sentido, a fim de ter a opção do home office, a melhor saída para gerenciar startups são os serviços em nuvem. Dessa forma, é possível adicionar soluções de segurança e contar com a flexibilidade necessária para a evolução do negócio.


LEIA MAIS: Soluções em Cloud: como a virtualização ajuda a resolver problemas e otimizar processos nas empresas


Os benefícios dos serviços em nuvem

Já, há algum tempo, os serviços em cloud ganham espaço no mundo corporativo. Um bom exemplo disso é que 95% das empresas que integram a lista Fortune 500 já usam o Microsoft Azure. 

Em outras palavras, diversas companhias que são referências globais em inovação utilizam um ambiente virtual para acomodar dados e aplicações.

Aliás, a tendência é que a nuvem ganhe ainda mais adeptos. Empreendedores de diferentes setores seguem buscando recursos capazes de otimizar as jornadas de trabalho, sempre com segurança e agilidade. Isso não é diferente para gerenciar startups.

Uma das vantagens que mais atrai as startups para a nuvem é a flexibilidade que a estrutura proporciona. A migração é alinhada às especificidades de cada negócio, uma vez que a infraestrutura é totalmente escalável. 

Portanto, se há variação de necessidade de capacidade, optar pelo serviço significa pagar somente pelo potencial utilizado. Como resultado, há economia de recursos financeiros.

Além disso, a própria implementação dos serviços é flexível e pode ser feita de duas formas: 

  • uma grande migração, conhecida como “lift and shift”, que permite uma mudança direta do físico para o virtual com pouca customização;
  • em etapas, de forma a personalizar o espaço e obter uma melhor performance, possibilitando respostas mais ágeis, de forma segura para startup e cliente.

“A capacidade de usar modelos de nuvem escalonáveis ​​sob demanda para obter eficiência de custos e continuidade de negócios está proporcionando o ímpeto para que as organizações acelerem rapidamente seus planos de transformação de negócios digitais. O aumento do uso de serviços de nuvem pública reforçou a adoção da nuvem para ser o ‘novo normal’, agora mais do que nunca.”

Sid Nag, vice-presidente de pesquisas na Gartner 


LEIA MAIS: Por que migrar para a nuvem? Entenda como a Cloud Computing viabiliza a transformação digital das empresas


Conclusão

Quando falamos me gerenciar startups ou qualquer outro negócio, uma das preocupações centrais – e que mais impacta a qualidade dessa administração – é a visibilidade. 

De fato, as atividades diárias do seu ambiente virtual são como um retrato que reflete o trabalho realizado como um todo pela equipe remota. 

Assim, as plataformas digitais em cloud possibilitam o controle total do uso do ambiente. Isso inclui rastreio dos dados de acesso a cada documento, das visitas e dos logins realizados no sistema. 

Esse monitoramento em tempo real garante segurança. Além disso, pode ajudar a reconhecer ineficiências de processos ou até mesmo reorganizar investimentos para serem melhor aproveitados dentro da estrutura da startup.

As startups brasileiras tiveram bons resultados durante a pandemia, mas não o suficiente para seguir em destaque. Usar a tecnologia dos serviços em nuvem em prol da eficiência nesses negócios pode ser crucial para o sucesso nos próximos meses.

Dessa forma, a Vivo Empresas  oferece soluções ideais para startups que buscam a transformação digital ou que querem estar atualizadas com as tendências tecnológicas estratégicas. 

É um portfólio completo com Cloud, IoT, Big Data, Equipamentos, Segurança, Ferramentas de Colaboração, TI, Gestão de Tecnologia e Conectividade pensado para o sucesso da sua companhia.

Quer ler mais artigos sobre a transformação digital em startups? Confira:

Até a próxima!

Compartilhe este conteúdo!

Solicite um contato
campo obrigátório

Enviamos conteúdos do seu interesse para seu e-mail, cancele a qualquer momento.

Cadastro efetuado com sucesso!

Em breve você receberá os melhores conteúdos para ajudar a gerenciar, expandir ou inovar o seu negócio