Indústria Química: veja as tecnologias que avançam esse setor

Foto do autor

Muito além da conectividade, a indústria química vem investindo em tecnologias que auxiliam na busca por três objetivos: redução de custos, otimização da produção e melhoria da qualidade dos produtos.

Ao mesmo tempo, vale ressaltar que o próprio setor é responsável por uma importante parcela do desenvolvimento tecnológico, no presente e no passado. Na prática, portanto, há uma forte interdependência entre a produção química e a inovação. 

Por sua vez, com as dificuldades impostas pela pandemia, esse e outros segmentos industriais precisaram redobrar suas apostas nas soluções tecnológicas, uma vez que só elas podem garantir a produtividade e eficiência necessárias para o momento de retomada.

Interessou? Então siga conosco na leitura deste artigo e confira também:

  • Retomada da indústria será apoiada pela tecnologia
  • O papel da automação na Indústria química
  • As inovações usadas no dia a dia do setor
  • Soluções para o seu negócio

Retomada da indústria será apoiada pela tecnologia

industria quimica
Tecnologia é o caminho para superar queda na produtividade industrial, apontam especialistas

Antes mesmo da pandemia, em 2019, o Brasil já havia registrado uma queda no ranking mundial de produção industrial, atingindo o menor patamar desde 1990, 1,19%

Assim, já era de se imaginar que a chegada da Covid-19, com a parada repentina das fábricas, contribuiria para perdas ainda maiores no setor. 

Por sua vez, em março deste ano, o IBGE confirmou as expectativas, revelando que a produtividade foi, em média, 4,6% menor no ano de 2020.

No entanto, assim como ocorre noutros setores econômicos, a tecnologia se revela uma forte aliada também na hora de reverter perdas. 

Isso porque, a partir da inovação constante, é possível tornar as produções mais eficientes, reduzindo custos operacionais e aumentando margens de lucro.

Assim, não é por menos que temos visto uma forte digitalização da produção nacional, com o expressivo uso de tecnologias IoT, Cloud e Big Data. 

Afinal, a partir dessas é possível automatizar processos, armazenar e transferir informações, captar dados em grande volume e ainda processá-los, de forma a extrair insights valiosos para a tomada de decisões importantes.

Prepare seu negócio

O papel da automação na indústria química

Esse é um dos setores que mais se beneficia da automação. Isso porque, dada a natureza repetível e escalável da maioria das manufaturas, vários processos da cadeia produtiva podem ser conduzidos com dispositivos autônomos – mas conectados entre si.

Naturalmente, isso não é diferente no caso da indústria química, que hoje conta com soluções avançadas de telemetria, controle de qualidade, captação e análise de dados, entre outras. 

Além disso, uma vez que os processos de automação industrial são largamente utilizados em diversos setores de produção e para atender diferentes segmentos do mercado, é possível oferecer um controle operacional efetivo. Tudo isso aumenta a vantagem competitiva das indústrias em relação aos seus concorrentes.


LEIA MAIS: Confira as principais vantagens da digitalização na indústria e como transformá-la em um modelo 4.0


Tecnologias usadas na indústria química

indústria química
Conheça as principais soluções tecnológicas empregadas na indústria química

Hoje, não é possível falar da indústria química sem abordar os avanços no ramo da tecnologia. Afinal as novidades estão em todos os lugares e são percebidas pelos mais diversos ramos econômicos, não somente para dinamizar processos, mas também contribuindo com o meio ambiente.

Conforme uma pesquisa do Fórum Econômico Mundial (WEF), realizada e divulgada em 2020, 70% das 169 metas que sustentam os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável poderiam ser habilitadas pelos recursos tecnológicos da quarta revolução industrial (Indústria 4.0) que já existem hoje.

A constatação demonstra os impactos que a inovação traz para todos, estejam nas cadeias produtivas ou não. Isso, vale citar, antes mesmo de falarmos em valores de mercado, que também são positivamente afetados. 

Assim, no trecho a seguir, confira mais detalhes sobre algumas das tecnologias que atuam auxiliando a indústria química.

Supercomputador

O uso da tecnologia na indústria química vem atrelado às mais diversas formas. Assim, uma das tecnologias trazidas à tona é o termo “supercomputação“, que trata do processamento de problemas muito complexos ou sobrecarregados de dados.

Para isso, utiliza os recursos pertinentes à computação de diversos sistemas de que trabalham em paralelo. Isso é o que configura os supercomputadores. Tal recurso, inclusive, contribui muito para o setor, uma vez que reduz a diferença entre transações e análises.

A partir disso, a ferramenta é utilizada quando se trata de uma alta quantidade de dados, visto que seu processamento é avançado em relação aos demais. Até por isso, é possível encontrá-los em pesquisas militares, científicas, químicas ou mesmo na medicina.

Outra vantagem é que permite que as empresas da indústria química consigam fazer seus processos em minutos, além de projetarem produtos novos e melhores em muito menos tempo.

Big Data

A importância do Big Data também não deve passar batida, uma vez que ela é fruto do compartilhamento das informações na nuvem. Dessa forma, é uma tecnologia que permite o aprimoramento da eficiência da indústria através de informações e insights, extraindo o melhor de seus ativos.

No contexto industrial, uma das vantagens é a manutenção preditiva, que traz consigo o uso e análise de dados e demais ferramentas. Essas inovações e dispositivos são capazes de detectar ou até mesmo evitar problemas nas operações. Assim, é possível corrigi-los antes que resultem em falhas no sistema.

A partir disso, o cuidado com a manutenção amplia a vida útil das máquinas e a segurança do processo fabril. Porém, isso só é possível porque as máquinas industriais modernas são equipamentos tecnológicos digitais. 

Assim, noutras palavras, quanto mais aparelhos uma empresa tiver conectados à internet, maior será o número de dados produzidos. Posteriormente, após a conversão dessas informações em indicadores, é possível fazer uma rica análise sobre a indústria por dentro.

A importância da segurança de dados para o setor

O Big Data Analytics é uma ferramentas digitais utilizadas para realizar o mapeamento de todos os processos presentes nas indústrias e permitir um conhecimento de quais são e como estão se desenvolvendo.

E dessa grande fonte de dados que se retira da nuvem, é possível extrair os insumos para a criação e desenvolvimento de melhorias. O uso dessas informações se dá na engenharia de produção da empresa, logística, mecânica, estoque, entre outros departamentos.

Entretanto, o receio de que haja violação de segurança é compreensível e, para isso, se desenvolvem todos os dias equipamentos que garantem espaços seguros para o armazenamento de informações.

Afinal, é sabida a necessidade de proteger fórmulas químicas, preços e informações sensíveis da empresa.

Por outro lado, o armazenamento em nuvem também pode contribuir com a redução dos custos de TI das empresas. Dessa forma, possibilita-se uma maneira ágil e eficiente de garantir que as demais unidades dentro de uma empresa química utilizem o mesmo software.


LEIA MAIS: Como a tecnologia impulsiona a evolução da produção de café no Brasil


Internet das Coisas

A IoT (sigla para Internet of Things) é utilizada para tratar uma grande rede de dispositivos conectados à internet. Eles têm a função de coletar dados do mundo físico e compartilhá-los de acordo com o ambiente em que estão operando.

Sendo assim, suas funções consistem em fazer a captura, armazenamento e análise de uma vasta quantidade de informações das mais diversas áreas. Alguns exemplos são o desempenho de determinados ativos, a qualidade do produto e o custo de produção.

Tal inovação, vale citar, se aplica a todos os objetos que podem ser interconectados, de aparelhos domésticos aos mais sofisticados equipamentos de tecnologia da indústria. 

IoT na revolução industrial química

Nas manufaturas, a Internet das Coisas (IoT) chegou junto com a 4ª Revolução Industrial, que é impulsionada, também, pelos dados. Um estudo de 2018, do Fórum Econômico Mundial (WEF), aponta que a inovação foi e permanece central para que as cadeias produtivas possam evoluir.

Apontou também que, nos últimos 20 anos, a produtividade dos trabalhadores em todas as indústrias nos Estados Unidos aumentou 47%, impulsionada principalmente pela adoção de tecnologia e inovação.

Por si só, o número ilustra a necessidade e o potencial da tecnologia em todas as indústrias, inclusive a química, uma vez que os dispositivos de monitoramento também auxiliam a identificar lacunas na produção.

Assim, tal medida aumenta a segurança dos próprios funcionários e evita perdas e erros nos processos, aprimorando o gerenciamento de pessoas, insumos e espaços. 

Além disso, isso permite não somente a fiscalização, mas também um controle mais próximo de cada etapa, quantidade, qualidade e equipamentos nos processos de fabricação.

Nuvem

O uso da nuvem é essencial para que todas as etapas anteriores ocorram. Afinal, é necessário que os dados sejam armazenados para serem transformados em informações úteis e, por fim, processados a partir disso.

E ao contrário do que muitos pensam, não somente as companhias de software ou tecnologia de informação precisam deste tipo de armazenamento profissional. Em indústrias cujo funcionamento é diário e, em muitos casos, ininterrupto, dispor de uma solução que suporte tamanha quantidade de informação é essencial.

Inclusive, é possível ver tal funcionalidade no dia a dia da indústria – seja simplesmente para fabricar uma peça – visto que as máquinas precisam de informações de comando, sejam elas a quantidade, o modelo ou material utilizados.

Da mesma forma, ao mesmo tempo em que as máquinas precisam de instruções, também produzem informações a respeito do seu desempenho, tempo de uso, quantidade de peças produzidas, entre outras. 

Por sua vez, para que um funcionário possa fazer a gestão desses dados de forma efetiva, as soluções cloud se fazem necessárias. 


LEIA MAIS: Saiba como conectividade e IoT vêm acelerando a transformação digital da Maha Energy


Conclusão

A indústria química é, com certeza, um dos carros chefes na corrida pelo desenvolvimento nacional. Além disso, o próprio setor contribui em peso para a criação de soluções digitais, como na produção de microchips ou, ainda, de plástico, um importante insumo para a maioria dos produtos tecnológicos atuais.

Trata-se, portanto, de uma atividade intrinsecamente ligada à inovação, e que não pode deixar de lado a implementação de tecnologias que permitam tornar as fábricas mais produtivas, eficientes e sustentáveis.

Da mesma forma, o setor foi duramente impactado pela Covid-19, com o fechamento das linhas de produção e alterações bruscas na demanda. 

Esse foi mais um fator a corroborar a importância da digitalização para o segmento, uma vez que, conforme visto até aqui, a tecnologia é quem mais pode ajudá-lo a se recuperar durante a crise.

Assim, vale ressaltar que é especialmente nos momentos de mudança que líderes e gestores precisam estar atentos ao que há de melhor em ferramentas e soluções. 

Afinal, só assim é possível posicionar a companhia à frente dos desafios, antecipando-os e, assim, garantindo a perenidade da empresa. 

Ciente dessas necessidades, a Vivo Empresas trabalha constantemente na ampliação e aprimoramento do seu portfólio de tecnologias. Tanto que oferece opções variadas em Cloud, IoT, Big Data, Segurança e Conectividade – tudo o que a indústria química precisa para superar os obstáculos atuais e se tornar mais resiliente. 

Quer saber mais sobre como a tecnologia apoia a indústria com eficiência e produtividade? Então confira também os artigos a seguir:

Até a próxima!

Foto do autor
Solicite um contato