IoT em escritórios: tecnologia otimiza e dá segurança ao dia a dia de trabalho

28/05/2021 às 8:07

Muito tem se falado sobre o uso de IoT em escritórios, bem como no contexto corporativo em geral. 

O motivo está no fato da Internet das Coisas, como também é chamada, ser capaz de agilizar processos, captar dados em maior volume e contribuir para a segurança – tanto cibernética quanto sanitária – dos colaboradores. 

Mas como isso acontece, afinal? Primeiro, é preciso entender o que essa tecnologia realmente representa.

Segundo a consultoria Gartner, trata-se de “uma rede de objetos físicos que contêm soluções incorporadas para se comunicar com ambientes internos ou externos”

Ou seja, são dispositivos conectados à rede, com potencial para reunir informações em larga escala, automatizar atividades e monitorar espaços. 

Por isso, o conceito vem sendo usado com maior frequência em diversas frentes. E os escritórios aparecem em alta nessa lista.

Quer saber como tudo isso funciona na prática e quais são as possibilidades de utilização da Internet of Things dentro do ambiente de trabalho? Então, acompanhe este artigo e veja também:

  • IoT em escritórios: mais agilidade e economia
  • Processos automatizados reduzem custos
  • Mais dispositivos voltados ao suporte das atividades no dia a dia de trabalho
  • Tecnologia ajuda a reforçar a segurança dos colaboradores
  • Telefônica é referência em IoT no Quadrante Mágico 2021 do Gartner

IoT em escritórios: mais agilidade e economia

IoT em escritórios agrega agilidade e eficiência
Além de otimizar processos já existentes, IoT viabiliza novas metodologias de trabalho, o que permite inovar.

A pandemia de Covid-19 causou diversos impactos nas empresas. Muitas se viram diante da necessidade de reduzir gastos em processos e áreas. 

No entanto, mesmo em meio a esse cenário de incertezas, o Gartner apurou, em outubro de 2020, que as companhias seguem dispostas a investir em uma solução específica: a Internet das Coisas

No estudo, inclusive, 47% dos CIO’s entrevistados afirmaram que aumentarão suas apostas em IoT nos próximos meses.

Dois dos principais motivos, segundo a consultoria, são justamente a diminuição de custos operacionais e o reforço da segurança dos colaboradores no dia a dia de trabalho. 

Além disso, trata-se de um investimento com rápido retorno: para se ter uma ideia, o Gartner sugere uma média de três anos. 

Sendo assim, a entrega de resultados com maior agilidade está diretamente ligada à alta capacidade de comunicação, principal característica utilizada pela consultoria para a definição de Internet of Things.

No que diz respeito às tendências, uma previsão realizada este ano pela McKinsey mostra que os gastos com recursos de IoT serão de US$ 4 a US$ 11 trilhões até 2025. 

Isso porque, conforme aponta o documento, a tecnologia permite criar novos fluxos de receita a partir de soluções inteligentes, reduzindo (de modo efetivo) as despesas nas operações.

E-book | SD-WAN agilidade e segurança_V1

Processos automatizados geram economia de tempo e dinheiro

Há alguns processos e atividades que podem ser automatizados dentro dos escritórios. A IoT, por sua vez, é a base para que isso ocorra. Um exemplo é a manutenção preditiva de ativos comerciais. 

Hoje, há sistemas que permitem controlar, mesmo à distância, aspectos como a iluminação, a temperatura, o funcionamento dos elevadores e a qualidade do ar, entre outras características.

Sendo assim, quando houver algum problema nos espaços, os dispositivos emitem alertas às equipes responsáveis. Como tal análise é realizada constantemente pelas máquinas, as chances dessas adversidades evoluírem para algo mais grave são menores. Isso implica, obviamente, em menos gastos com reparos.

Outra possibilidade é o uso da tecnologia para o gerenciamento das salas de reunião do escritório. 

Além de facilitar a reserva delas, a IoT é capaz de torná-las mais inteligentes, permitindo o acionamento de equipamentos por voz, a integração de diferentes soluções tecnológicas e até a projeção das pessoas que estão em outras localidades.

Assim, pode-se dizer que a Internet das Coisas é uma daquelas inovações que não só eliminam problemas, mas também abrem espaço para novas possibilidades. 

Tanto que, a depender de como aplicar essas ferramentas conectadas, o próprio prédio pode obter uma certificação LEED

Chamada por extenso de Leadership in Energy and Environmental Design, ou ‘Liderança em design energético e ambiental’, em português, esse selo classifica as edificações com alto grau de sustentabilidade. 

E conforme é de conhecimento público, ser verde está para além de reforçar um conceito em voga – é um pilar da economia no século XXI. 

Ou seja, a partir de soluções baseadas na tecnologia IoT, como o Vivo Eficiência Energética, é possível se atualizar para as tendências atuais ao mesmo tempo em que o negócio se prepara para as necessidades futuras – como é o caso da eficiência ecológica.

Mais dispositivos para o suporte das atividades

O número de gadgets conectados vem crescendo mundo afora. Uma estimativa realizada no ano passado pela Cisco mostra que, até 2023, a comunicação M2M (isto é, de máquina para máquina) deve representar mais da metade das conexões existentes no planeta. Serão, segundo a companhia, 14,7 bilhões de ligações desse tipo.

Nesse sentido, sabia que tal número pode ter uma relação direta com a otimização do dia a dia nas corporações? Em agosto de 2020, o Gartner, inclusive, afirmou ser uma tendência para os próximos meses. O nome dela é Bring Your Own Thing (BYOT), que significa ‘traga as suas próprias coisas’.

Ou seja, os dispositivos pertencentes aos colaboradores, como pulseiras inteligentes, assistentes de voz e óculos de Realidade Virtual, por exemplo, também serão valiosos para dar suporte às atividades do dia a dia. 

A expectativa, aliás, é a de que esse fenômeno seja decisivo para assegurar um modelo eficiente de trabalho híbrido.

No entanto, para que essa “mágica” se realize, o escritório deve dispor de uma excelente infraestrutura de conectividade, pois é justamente isso que irá viabilizar o funcionamento desse tipo de recurso.

Por sua vez, um ambiente digitalizado possibilita ao colaborador escolher o modo  mais confortável de executar as suas tarefas, o que tem implicações diretas nos índices de produtividade e satisfação profissional. 

IoT em escritórios contribui para a segurança dos colaboradores

IoT em escritórios
IoT em escritórios reforça a segurança dos colaboradores, permitindo um ‘novo normal’ mais harmônico.

Muito se falou sobre a retomada presencial do trabalho em escritórios. No entanto, os resultados positivos da atuação remota vêm levando a um meio termo consensual: a adoção do modelo híbrido

Em termos simples, esse formato pressupõe a realização de parte das atividades nas instalações da empresa, enquanto o restante das tarefas pode ser executado de qualquer lugar. 

Em outubro passado, inclusive, o Gartner incluiu o termo anywhere operations em sua lista de tendências estratégicas para 2021.

Porém, tal flexibilidade não deve apagar a necessidade de ter um escritório pronto para receber as equipes quando necessário. Pelo contrário: ela fica mais latente. 

Assim, uma das principais características a ser levada em conta é justamente a segurança

Cabe à companhia pensar em formas de assegurar o cumprimento do distanciamento social e das regras necessárias para evitar a propagação de Covid-19. É um dever de cada gestor e, mais uma vez, a IoT aparece como uma forte aliada. 

Câmeras e sensores, por exemplo, podem ser utilizados para monitorar espaços, criar mapas de calor e fornecer dados em tempo real. 

Uma vez somadas a soluções de Big Data, tais informações ainda podem servir de base para a identificação de melhorias e correções de outros problemas.

Muitas empresas, inclusive, já entenderam que a tecnologia pode ajudar nessa questão. Nesse sentido, o Gartner identificou que 31% das organizações já utilizam recursos do gênero para oferecer maior proteção aos colaboradores em tempos de pandemia. 

Uma avaliação constante realizada pelos dispositivos conectados à internet é capaz de identificar aglomerações de uma maneira muito mais ágil e correta.

Controles de acesso

Quando falamos em segurança, não devemos nos limitar ao distanciamento social. A IoT em escritórios também é benéfica no sentido de otimizar o fluxo de colaboradores. 

Os dispositivos que permitem o reconhecimento facial, por exemplo, são excelentes ferramentas para controlar quem entra e sai das instalações.

Além disso, a depender da aplicação, reduzem a necessidade de toque, fator tão significativo no contexto pandêmico. 

E falando nesse período, vale ressaltar que todas experiências vividas são de extrema importância. Por esse motivo, devem ser utilizadas como base para a reorganização dos ambientes de trabalho.

Tal percepção é valiosa para embasar a tomada de decisão relacionada a aspectos como realocação de salas e assentos, gerenciamento de acessos e inclusão de novos equipamentos e soluções, entre outros.

IoT em escritórios: Telefônica é referência

Ciente da necessidade de remodelar e atualizar os ambientes de trabalho, a Telefônica, conglomerado do qual a Vivo Empresas faz parte, vem atuando para enriquecer seu portfólio com soluções altamente conectadas e inteligentes. 

Tanto que, pela sétima vez consecutiva, a companhia foi escolhida como líder do Quadrante Mágico da Gartner para Serviços Gerenciados de IoT

E dentre os fatores que viabilizaram tal conquista estão a ampla oferta de serviços, a sólida gestão, a eficiência da equipe de vendas, a grande expansão territorial e o alto nível de satisfação de clientes e sócios.

O Quadrante Mágico é um estudo realizado anualmente pela consultoria Gartner para identificar os melhores provedores de tecnologia do mercado global. 

Na avaliação, dados são coletados por analistas da instituição e, ao final, é feita uma seleção das companhias que oferecem as soluções mais apropriadas em cada segmento.

O resultado reflete o grande esforço de digitalizar nossos clientes para torná-los mais eficientes e sustentáveis. Nesse sentido, nossos produtos de IoT são adaptáveis às diferentes complexidades dos negócios, a fim de alcançar os objetivos traçados por quem conta conosco.

Diego Aguiar, Head de IoT, Big Data e Inovação da Vivo Empresas.

Atualmente, o Grupo Telefônica conta com mais de 35 milhões de conexões em dispositivos IoT. Destas, 10,6 milhões são referentes à atuação no Brasil, operada pela Vivo Empresas.


LEIA MAIS: como a IoT assegura o distanciamento físico dos colaboradores


Concluindo

O uso de IoT em escritórios pode otimizar atividades, reduzir custos operacionais e, ainda, contribuir de modo significativo para reforçar a segurança dos colaboradores. 

Isso porque, basicamente, a tecnologia consiste na utilização de dispositivos interligados que, a partir de uma infraestrutura de conectividade eficiente, conseguem captar dados em grande escala e automatizar processos.

E, no contexto atual, tal capacidade de captação e troca de informações tem sido cada vez mais relevante. Afinal, é vista como uma maneira efetiva dos escritórios se tornarem mais ágeis, produtivos e seguros – em múltiplos aspectos, aliás

Assim, sem dúvidas, o momento exige essa revisão das infraestruturas, fazendo da IoT um caminho para viabilizar o distanciamento social, bem como toda a produtividade necessária para a retomada econômica. 

Atenta a esse movimento, a Vivo Empresas mantém um portfólio abrangente nessa área, com soluções desenhadas para atender às mais variadas necessidades do mercado.

Além disso, oferece opções completas em Conectividade, Equipamentos, Cloud, Segurança, Big Data, Ferramentas de Colaboração e TI.

Quer saber mais sobre como tornar o seu ambiente de trabalho mais seguro e conectado nesse novo cenário? Então confira os artigos a seguir:

Até a próxima!

Compartilhe este conteúdo!

Solicite um contato
campo obrigátório

Enviamos conteúdos do seu interesse para seu e-mail, cancele a qualquer momento.

Cadastro efetuado com sucesso!

Em breve você receberá os melhores conteúdos para ajudar a gerenciar, expandir ou inovar o seu negócio