Gestão de pessoas na era digital: como preparar a sua empresa?

Foto do autor

Os últimos meses têm sido desafiadores para todos os negócios. O isolamento social, uma necessidade para desacelerar o avanço da Covid-1,9 no país, pouco a pouco deixa de ser um “problema” e se torna, cada vez mais, uma oportunidade de acelerar a inovação. E nesse movimento, a gestão de pessoas tem um papel crucial.

De acordo com o Índice Global de Inovação 2020, consolidado anualmente pela Organização Mundial da Propriedade Intelectual, o Brasil avançou quatro posições no período, estamos na 62ª colocação. 

Na prática, esse dado mostra como a pandemia impactou o processo de transformação digital no país. Trata-se de um momento de grandes mudanças, mas que, quando bem direcionadas, se tornam estratégias de crescimento e recuperação econômica.

Com a aceleração da transformação digital, dentre as profissões em alta no mercado para os próximos anos estão aquelas relacionadas à tecnologia. A inovação faz parte de uma boa gestão corporativa com foco em desenvolvimento sustentável. Assim, as empresas têm competido para contratar e reter os melhores talentos de cada área.

As organizações estão assumindo novos desafios e a forma como respondem a esses fenômenos costuma ditar o sucesso do negócio. Dessa forma, é preciso encontrar o ponto de equilíbrio entre inovação tecnológica e pessoas. 

Para aprender um pouco mais sobre o assunto e otimizar a qualidade da gestão de pessoas do seu negócio, continue a leitura deste post. Aqui, você vai:

  • Conhecer os principais desafios do novo cenário de trabalho no Brasil
  • Entender a relação estratégica entre gestão de pessoas e recursos humanos
  • Ficar por dentro das tecnologias que suportam a gestão de pessoas
  • Encontrar soluções para o seu negócio

Desafios do novo cenário do trabalho

Imagem de linhas de conexão globais simbolizando a gestão na era digital
Digitalização também impacta os processos e, consequentemente, os desafios da gestão de pessoas

De acordo com um estudo realizado pelo Boston Consulting Group (BCG) em parceria a World Federation of People Management (WFPMA), os profissionais do RH estão com três prioridades para a gestão de pessoas neste ano:

  1. Contratar e reter talentos, principalmente aqueles com atuação nas áreas de tecnologia;
  2. Otimizar as novas formas de trabalho, dando destaque para o modelo híbrido que concilia a jornada presencial com o home office;
  3. Ampliar e fortalecer as frentes além do cuidado da saúde física, com foco no mental e emocional dos colaboradores.

Assim, podemos dizer que essas prioridades também são macro desafios do novo cenário do trabalho. Para conseguir implementar todas as novas realidades com sucesso na sua empresa, é preciso conciliar aspectos importantes na gestão, como processos de negócios e pessoas.

Então, considerando os principais objetivos gerenciais das organizações apresentados acima, identificamos alguns pontos que merecem atenção. 

Inclusive, é possível notar que quase todos se cruzam em algum momento, seja no desenho ou na implementação dos processos necessários para as prioridades do RH em 2021. Saiba mais, a seguir.

Conectividade

Segundo a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), o Brasil ocupa o quinto lugar no ranking de países que mais usam a Internet. Mas, de fato, as empresas brasileiras são espaços conectados? A conectividade é um conceito que vai um pouco mais além do acesso à rede digital.

Quando pensamos no contexto das organizações e dos processos de negócios, a conexão pode ser vista por meio da integração. Assim, ela acontece quando a empresa investe em:

  • Mobilidade corporativa, como o investimento em notebooks e smartphones;
  • Cloud Computing (Computação em Nuvem), como recursos de SaaS (Software as a Service, ou Software como Serviço), a exemplo das ferramentas de colaboração;
  • IoT (Internet of Things, ou Internet das Coisas), promovendo a automação e a expansão de processos.

Em um contexto de gestão de pessoas à distância, é essencial conhecer quais são as soluções no mercado que atendem às necessidades de conectividade do seu negócio. Um exemplo simples de ser resolvido, mas considerado comum: o uso de Internet móvel

Assim, se em uma empresa existe a possibilidade de viajar a trabalho, ou até mesmo atuar remotamente, é possível que em, algum momento, um colaborador tenha enfrentado dificuldades com a conexão e não pôde comparecer a alguma reunião virtual.

A partir de avanços como o 5G, no entanto, os negócios finalmente poderão contar com internet de alta qualidade mesmo fora dos escritórios e das casas de seus funcionários.

Humanização

Recentemente, uma pesquisa realizada pela startup Humanizadas constatou que as empresas com uma gestão humanizada resistem melhor às crises. No entanto, a humanização das relações é um dos grandes desafios em diversos aspectos da organização.

Isto porque todas as rotinas que envolvem pessoas são sensíveis. Logo, não é somente a interface com o cliente que deve ser avaliada.

Nesse momento, surge um paradoxo: como guiar a transformação digital do negócio sem deixar de lado a humanização das relações? É fato que as companhias que conseguem encontrar esse ponto de equilíbrio se destacam das demais.

Tal fenômeno ocorre, inclusive, porque a digitalização das rotinas operacionais traz redução de custos e mais produtividade. Somada a isso, a humanização das interações cria mais aproximação e identificação das pessoas com a sua marca.

Não existe nenhuma receita mágica para encontrar esse ponto de equilíbrio. No entanto, vale ressaltar que é essencial:

  • Conhecer bem o negócio 
  • Desenvolver um planejamento estratégico
  • Estar por dentro das principais tecnologias do mercado
  • Atrair e reter os melhores talentos no negócio
  • Ter uma cultura organizacional forte

Engajamento

Um dos grandes desafios da gestão de pessoas é o engajamento dos colaboradores. Inclusive, quando se considera o contexto de uma gerência a distância, esse ponto se torna ainda mais importante, visto que há várias barreiras na comunicação.

A motivação no ambiente de trabalho é uma soma de fatores, dentre eles, é possível citar a qualidade do clima organizacional e a disponibilização das ferramentas adequadas para executar as tarefas. 

De acordo com o último State of The Global Workplace, um relatório disponibilizado anualmente pelo Instituto Gallup, somente 20% dos talentos das empresas afirmam se manter engajados.

O uso das tecnologias adequadas é essencial para a promoção do engajamento. É necessário conciliar o formato da comunicação com o meio, bem como com os recursos utilizados. 

Assim, a escolha das ferramentas de trabalho deve considerar a engenharia dos cargos, as necessidades do colaborador e a integração com o negócio. 

Saúde e bem-estar

A saúde e bem-estar dos profissionais é outra prioridade desafiadora. Essa, aliás, é uma pauta que impacta diretamente em diversos aspectos da performance do negócio, como:

  • Qualidade do clima organizacional
  • Engajamento dos colaboradores
  • Custos em decorrência de produtividade

Uma pesquisa divulgada em junho  de 2021 pela consultoria Robert Half aponta que, para 26% das pessoas, o equilíbrio entre qualidade de vida e trabalho piorou na pandemia. Ou seja, o investimento em saúde e bem-estar não é mais um diferencial competitivo: é uma necessidade das organizações.

Adicionalmente, esse dado também destaca que, mesmo com o avanço do tema nas empresas no último ano, ainda há muito a ser feito. 

O home office pode ser visto como um benefício para o colaborador. No entanto, a adoção do formato depende de diversas variáveis. No contexto da pandemia com escolas fechadas, mães e pais enfrentam mais dificuldade para essa conciliação entre trabalho e vida pessoal.

Além disso, outro aspecto a ser considerado é a Síndrome de Burnout: é preciso ter uma rotina bem definida para não estender a jornada de trabalho. Aqui, o papel do RH e da liderança direta é essencial.

Webinar | Como projeto SD-WAN pode dar certo_V1

Gestão de pessoas no RH estratégico

Por muito tempo, o departamento de Recursos Humanos foi visto como um setor de “custos necessários”.

Hoje, com a digitalização dos processos e a importância da gestão de pessoas, o RH é cada vez mais estratégico. Assim, veja abaixo mais dicas sobre como preparar o seu negócio para a alta performance.

Atração e Seleção 

Um dos principais desafios para as empresas nos próximos meses será atrair talentos em um contexto digital. Além disso, existe um crescimento da demanda por profissionais da área de Tecnologia da Informação. 

No entanto, o país ainda não conta com volume suficiente de talentos para suprir as necessidadess das organizações.

Assim, temos uma verdadeira disputa para encontrar e contratar esses profissionais. Nesse cenário, entenda quais aspectos devem ser considerados para destacar a sua marca e alcançar os melhores talentos do mercado.

Inteligência Artificial

A inovação chegou ao RH e pode ser usada para acelerar o processo de atração e seleção de talentos. Atualmente, já é possível encontrar soluções que realizam o match de candidatos por meio de uma triagem curricular realizada por bots.

Na prática, a solução confere mais agilidade ao processo de recrutamento. Entretanto, vale destacar que é essencial o equilíbrio entre o uso da tecnologia e o contato humano.

Marca Empregadora

Com certeza, o conceito de Marca Empregadora, ou Employer Branding, é um dos que mais se destacaram desde a crise de 2015. Na época, uma das pautas mais faladas era o endomarketing, ou seja, o marketing para colaboradores. Hoje, o foco migrou para o contexto da atração de talentos. 

Como o mercado percebe a sua marca? Isso é muito sensível. Um talento pode ter sido atendido na sua loja e, pela qualidade da experiência, ter despertado a vontade de fazer parte do seu time.

Então, a ideia de marca empregadora vai além de se ter um perfil no LinkedIn: é a construção da reputação da sua companhia por meio da prática diária do seu quadro de valores em cada ponto de contato.

Expansão 

Uma das grandes vantagens da digitalização do RH é que as empresas podem contratar talentos de qualquer lugar. Dessa forma, o amadurecimento de processos à distância promovido em decorrência do isolamento social está estimulando mais organizações a expandirem o seu alcance de contratações.

Além disso, a mobilidade corporativa é a principal aliada da expansão de negócios. As ferramentas SaaS permitem manter colaboradores em qualquer lugar do país e do mundo.

Assim, é interessante pensar nisso para promover o crescimento do seu negócio: a diversidade cultural é responsável pela criação de soluções inovadoras para clientes cada vez mais exigentes.

Retenção de Talentos

Você sabe como está o turnover (rotatividade de colaboradores) do seu negócio? A retenção de talentos sempre foi um desafio para as empresas. Ao perder um colaborador, além dos custos envolvidos, a sua empresa está abrindo mão de know how

Dessa forma, a qualidade da gestão de pessoas tem papel crucial. Segundo a consultoria em recrutamento Michael Page, 8 em cada 10 profissionais pedem desligamento em decorrência do chefe. 

Os dados são do final de 2019, mas não é difícil imaginar como a implementação, em muitos casos apressada, do trabalho remoto, pode ter piorado esse fenômeno.

Em suma, é essencial trabalhar o preparo das lideranças para ter uma qualidade de clima favorável na área. Além disso, a empresa pode adotar algumas boas práticas como:

  • Benefícios flexíveis
  • Desenvolvimento interno de talentos
  • Gamificação das rotinas

Além disso, para a gamificação, vale um destaque: a tecnologia também pode ser usada a favor da sua gestão de pessoas tanto no macro como no microgerenciamento. 

Mesmo hoje, há programas que conectam as rotinas operacionais com as metas do contrato de gestão e o quadro de valores da sua empresa. 

Assim, cada entrega gera pontuações para o seu time, e os brindes devem ser padronizados. Essa é uma maneira eficaz de estimular a integração, a produtividade, o engajamento e praticar a meritocracia.

People Analytics

Se você é empreendedor ou profissional de RH, precisa ficar por dentro do conceito de People Analytics (Análises de Pessoas). Ele está diretamente relacionado ao posicionamento estratégico do departamento: é uma boa prática de cultura Data Driven (Guiada a Dados).

A gestão de pessoas alcança melhores resultados por meio da análise de informações e insights. Na prática, é preciso conhecer o seu clima organizacional e o quanto o seu negócio está caminhando quando o assunto é Diversidade e Inclusão, por exemplo.

O People Analytics pode, e deve, ser usado desde a contratação até os cenários onde há o desligamento do colaborador.

Nesse sentido, as ferramentas de BI (Business Intelligence, ou Inteligência do Negócio) são usadas no RH para otimizar a gestão de pessoas. 

Então, em um contexto de uma economia digital, a sua empresa deve atualizar a maneira como os processos são realizados. Contudo, para começar a tornar o seu negócio referência em inovação, é necessário que ele conte com um parceiro com experiência no assunto.

Ciente dessa necessidade, a Vivo Empresas trabalha constantemente na ampliação e atualização do seu catálogo de soluções tecnológicas. 

A partir do que há de mais avançado em tecnologias de IoT, Cloud, Aluguel de Equipamentos, Big Data e Conectividade, é possível não só garantir o ambiente e as ferramentas ideais para seus colaboradores, como também é possível maximizar a eficiência da gestão de pessoas da sua empresa.

Gostou de saber mais sobre como a inovação tecnológica pode apoiar o capital humano do seu negócio? Então confira essa seleção de artigos que também podem interessar:

Até a próxima!

Foto do autor
Solicite um contato