Avanço da tecnologia corporativa favorece gestão inteligente dos negócios

Foto do autor

A gestão de negócios e sua estrutura passaram por diversas transformações nos últimos anos, em especial devido ao avanço da tecnologia corporativa. 

Com a informatização das últimas décadas, os processos que ainda eram manuais passaram a ser  automatizados e realizados rapidamente, sem exigir tanta dedicação da força de trabalho. Por outro lado, recursos inteligentes auxiliam na coleta de dados das atividades diárias e dão mais visibilidade ao todo, inclusive aos pontos de melhoria. 

Por sua vez, tais modificações técnicas acompanham também mudanças no relacionamento entre a marca, clientes e fornecedores, sem contar o corpo da própria empresa. 

Afinal, é graças à tecnologia corporativa que líderes e colaboradores podem manter uma boa integração mesmo de longe, como no trabalho remoto ou home office. 

Contudo, tal como quaisquer mudanças estruturais, a digitalização das empresas não foi realizada instantaneamente e continuará a ser um processo, guiado e alavancado pela evolução das ferramentas existentes, bem como pelo surgimento de novas soluções.

Desse modo, torna-se fundamental estar atento às principais tendências e saber como implementá-las de forma alinhada ao propósito do seu negócio. Através dessas inovações, independentemente do setor econômico, a empresa tem à sua disposição o que é preciso para lidar com desafios atuais e futuros.

Por isso, neste artigo você verá:

  • Os pilares da digitalização na tecnologia corporativa
  • Estrutura atualizada é vantagem no mercado 
  • Foco na produtividade
  • Cultura data-driven: como aproveitar a era dos dados

Os pilares da digitalização na tecnologia corporativa

Homem usando vários computadores em home office
Digitalização foi principal viabilizadora da migração para os formatos de trabalho híbrido e remoto

Embora muitas companhias tivessem a intenção de se tornar digitais em seu planejamento futuro, diversas circunstâncias aceleraram esses planos. Tanto é que, segundo pesquisa da Samba Digital, 76,2% das companhias brasileiras estão desenvolvendo ou já implementaram uma estratégia para essa nova fase. 

O levantamento, divulgado pela Forbes em maio de 2021, mostra que 62,5% das empresas vão utilizar de 10% a 30% do faturamento na digitalização. O investimento em tecnologia corporativa irá será focado nas áreas de:

  • Análise de dados (62%);
  • Jornada do cliente (54%);
  • Computação em nuvem (46%);
  • Arquitetura de sistemas (40%);
  • Inteligência Artificial (38%).

Esse é um reflexo claro das mudanças recentes como o crescimento do e-commerce, a preocupação com a experiência do consumidor e com a personalização de atendimento. Afinal, essas são estratégias em alta para se destacar em meio a um mercado de alta competitividade. 

Nesse sentido, podemos ressaltar algumas tecnologias que são pilares nesse processo e auxiliam no desenvolvimento de táticas assertivas de vendas. 

Conectividade

Com consumidores cada vez mais antenados às tendências on e offline,  é dever das companhias estarem não apenas presentes no digital, mas terem uma operação eficiente nesse ambiente. Só para exemplificar, de acordo com um estudo da Boston Consulting Group, divulgado em dezembro de 2020, 98% das marcas não estão listadas de forma integrada na internet

Ou seja, muitas vezes há informações erradas sobre formas de contato, que resultam até mesmo em perda de negócios. Além disso, há organizações que também não se atentam às recomendações online, embora essas possam ser decisivas para a conversão de novos clientes. 

Seguramente, nos  empreendimentos a conectividade também tem um papel fundamental: o recurso ajuda na comunicação dos times e na relação empresa-cliente. Para aquelas que recebem consumidores presencialmente, oferecer Wi-Fi, por exemplo, pode ser uma forma de manter um cadastro atualizado e captar dados para personalização do atendimento.

Portanto, trabalhar com a tecnologia corporativa afeta igualmente a comunicação externa e interna, além de ser base para diversas soluções. 

Cloud

Uma tecnologia corporativa que é viabilizadora de toda essa transformação, é o Cloud Computing. Por si só, a nuvem confere flexibilidade às operações, permitindo uma ágil migração para o ambiente digital e uma transição de capacidade de processamento conforme necessário.

Vale ressaltar também que ela é indispensável para sistemas de atendimento ao consumidor. Segundo pesquisa da Accenture divulgada em junho de 2021, 75% das pessoas têm maior propensão a comprar de empresas que as conhecem. Isso significa que saber o nome, o histórico de compra e preferências pode render mais vendas para boa parte do público. 

Nesse sentido, a cloud facilita o compartilhamento dessas informações, inclusive dentro de uma estratégia omnichannel.

Além disso, os serviços em nuvem, conhecidos pelo termo “as a service” (aaS), permitem o acesso a softwares, plataformas e infraestrutura pelo modo “pagamento por uso”. Em outras palavras, oferece um melhor custo-benefício para negócios que querem se atualizar rapidamente, cobrando apenas pela parcela realmente utilizada do serviço.

Adicionalmente, o modelo de contratação do Cloud Computing é altamente escalável, de forma que é possível ampliar ou reduzir a infraestrutura rapidamente, conforme as necessidades operacionais ou financeiras da companhia. 

Segurança Digital

Pode-se dizer que hoje há maior exposição das empresas no ambiente virtual, com múltiplos canais de relacionamento com o consumidor e redes para trabalho remoto. Se por um lado isso traz muitas oportunidades, por outro também é um atrativo para cibercriminosos. 

De acordo com a Kaspersky, na América Latina, o Brasil é o país mais atingido por golpes digitais. Sendo que, em 2020, 66,1% dos ataques realizados no país foram focados em empresas.

Não obstante, esse aumento de ciberataques também trouxe conscientização em relação à proteção das informações. O relatório Future of Secure Remote Work, publicado pela Cisco em 2020, mostra que 44% das empresas consideram a proteção cibernética extremamente importante.

Assim como a digitalização , garantir a segurança da informação é um processo contínuo e pode ser bastante complexo, dependendo da estrutura da companhia. No entanto, investir em soluções de tecnologia corporativa que mantenham a integridade dos dados é crucial tanto para a reputação da empresa, quanto em termos legais.

Webinar | Proteger sua empresa de ataques virtuais_V1

Estrutura atualizada é vantagem no mercado 

É muito comum empresas operarem com sistemas legados ou mesmo equipamentos desatualizados. Embora esse já fosse um problema anteriormente, em um cenário como é o atual, isso traz impactos de produtividade, eficiência e segurança.

Seja no varejo ou no setor de serviços, contar com tablets, notebooks, impressoras e outros dispositivos atualizados é o ideal. Como exemplo, no segmento de bares e restaurantes, os smartphones são importantes, pois levam o pedido da mesa diretamente à cozinha, e agilizam o processo.

Da mesma forma, em escritórios de contabilidade e advocacia, os computadores são elementos essenciais no dia a dia. Caso estejam desatualizados, podem tanto apresentar problemas de desempenho, travando durante o trabalho, como são uma porta de entrada para ataques digitais.

Porém, a aquisição de novos aparelhos também é um impasse no orçamento, especialmente de companhias que estão começando ou se recuperando. Mas, graças à tecnologia corporativa, já existem alternativas para essa compra.

Em primeiro lugar, é possível contratar serviços como o Desktop as a Service, que permitem o acesso a aplicativos corporativos. Conhecido como DaaS, a solução é uma forma econômica e segura de oferecer suporte aos funcionários trabalhando à distância. 

Em junho de 2020, a consultoria Gartner publicou um artigo em que estima o crescimento desse serviço em nuvem. Sendo assim, a aposta é que, em 2022, o DaaS deve chegar a uma receita de US$2,5 milhões.

Outra opção vantajosa é a locação de equipamentos. Na Vivo Empresas, a solução abrange um portfólio completo de dispositivos de informática com benefícios de atualização e suporte das máquinas. 

Além disso, o valor gasto com esse serviço é classificado como despesa e, portanto, pode ser abatido no Imposto de Renda da companhia.

Foco na produtividade

No final de 2020, uma das tendências tecnológicas apontadas pelo Gartner para os próximos anos foi  o que a consultoria chamou  “Anywhere Operations”. Na tradução, o conceito se refere a um modelo operacional que permite que os negócios sejam entregues e habilitados em qualquer lugar.

Essa nova forma de trabalho já vem sendo adotada e, enquanto oferece muitos benefícios para empresa e colaboradores, também exige estrutura. É preciso suporte e apoio para manter a produtividade e a solução está na tecnologia corporativa.

A princípio, as máquinas atualizadas, como mencionado anteriormente, colaboram para a produtividade do time.  Sobretudo, há ferramentas de colaboração indispensáveis no modelo remoto ou mesmo híbrido, que concilia o presencial e o home office. 

Uma conhecida ferramenta é o Microsoft 365, que traz as versões Web dos principais aplicativos de trabalho, como Outlook, Word, Excel, PowerPoint e OneNote. Esse serviço em nuvem é uma maneira de priorizar produtividade, segurança e mobilidade, além de oferecer armazenamento virtual ilimitado e atualizações contínuas.

Vale mencionar que tanto o investimento em equipamentos atualizados quanto o uso de ferramentas de colaboração são dois passos importantes na otimização da gestão de pessoas.

Cultura data-driven: como usar a tecnologia corporativa para aproveitar a era dos dados 

Close de pessoa usando tablet em escritório
Tecnologia corporativa apoia a captação e processamento de dados, essenciais para a tomada de decisões

Uma tecnologia corporativa em alta é a Internet das Coisas (IoT), que está se popularizando nos mais diversos segmentos, da indústria e varejo ao agronegócio

Primeiro, a IoT é considerada essencial por conseguir extrair dados de todas as atividades e processos, e trazer mais visibilidade a qualquer operação. Uma empresa pode identificar áreas com menor e maior produtividade através dos dispositivos conectados.

Outra função importante dessa tecnologia é a otimização de recursos. Só para ilustrar, conforme o Sebrae, a eletricidade representa 15,44% dos custos no cotidiano das empresas

Um monitoramento com sensores conectados pode indicar excessos e desperdícios, como luz acesa após o expediente. A partir desse acompanhamento, os gestores podem implementar sensores para desligar a iluminação quando não houver presença no local, por exemplo.

Também podemos pensar nos desafios da cadeia de suprimentos do varejo, como o gerenciamento de estoque. Nesse sentido, há soluções de IoT que podem auxiliar no rastreamento e no controle de estoque, garantindo uma melhor controle,  além de adicionar uma etapa de segurança.

Isso impacta até mesmo na logística das organizações. Inovações como o Blockchain, que guarda informações em nuvem sobre o produto e seu trajeto, garantem mais agilidade nos Centros de Distribuição, lojas e supermercados.


LEIA MAIS: Como economizar energia nas empresas gera benefícios para o negócio e para o meio ambiente


Análise de dados é fundamental para gestão inteligente

A IoT aliada a análise de volumes massivos de dados, conhecido como Big Data, traz insights sobre todas as áreas do negócio. Para a gestão, utilizar essa tecnologia corporativa ajuda a entender melhor o público, direcionar verba para áreas específicas e ainda lançar produtos de forma certeira.

Como exemplo, através de soluções de Big Data, é possível realizar uma análise do perfil do cliente a partir dos seus hábitos de consumo. Assim, há base para desenhar ofertas e atendimento personalizado e melhorar a experiência do consumidor como um todo.

O estudo do comportamento do público também evidencia parâmetros que ajudam a detectar fraudes. Essa categoria de recursos é especialmente importante perto de datas com muita demanda, como a própria Black Friday para o comércio.

Com o intuito de modernizar o negócio, hoje mais de 40% das companhias no mundo exploram o Big Data. Os dados são de um relatório realizado pelo Business Application Research Center (BARC) e divulgado em julho de 2021. 

A pesquisa ainda evidencia que as companhias entrevistadas que utilizam o Big Data já perceberam um crescimento de 8% no lucro e uma queda de 10% no custo geral.

Conclusão

Em suma, a tecnologia corporativa envolve muitos recursos e soluções que facilitam o dia a dia. Mas, além disso, também ajudam a realizar uma entrega mais alinhada ao que o consumidor busca e com maiores chances de sucesso.

Aumentar as vendas, melhorar a produtividade, reduzir custos e ter uma gestão mais inteligente são alguns dos benefícios que podem ser atingidos com a implementação dessas tecnologias.

Contudo, a busca por melhorias  deve ser contínua. Como dito anteriormente, a digitalização é um processo contínuo e exige atenção a detalhes e oportunidades. E a realidade é que muitos brasileiros já têm o espírito inovador necessário para o sucesso. 

Uma prova disso é que 49% das companhias brasileiras tiveram uma rápida adaptação ao novo formato de trabalho, como destacado em uma pesquisa da Deloitte, divulgada em janeiro de 2021. Para termos uma comparação, a média global era de 30%.

É exatamente esse caráter dinâmico, aliado à implementação da tecnologia corporativa, que permite que os empreendimentos avancem de maneira sustentável. E a Vivo Empresas pode ajudar nessa missão, com um portfólio completo de soluções que abrangem o negócio de ponta a ponta.

Confira também outros artigos que mostram o poder da digitalização em diferentes segmentos:

Até a próxima!

Foto do autor
Solicite um contato