Mercado de IoT na Indústria está em ascensão e deve valer cerca de US$111 bilhões até 2025

Foto do autor

A tecnologia está presente em fábricas e manufaturas desde seus primórdios, em diferentes estágios de evolução. Mas com os crescentes desafios da atualidade, o papel de inovações como a IoT na indústria se mostra ainda mais relevante para o bom desenvolvimento do segmento. 

Inclusive, a pandemia da Covid-19 reforçou a necessidade de modernizar os modos de trabalho, para obter um negócio mais resiliente e eficiente. Ao mesmo tempo, evidenciou a importância da indústria 4.0 para a recuperação econômica a longo prazo.

Afinal, foram as formas de gestão digital e conectividade que viabilizaram uma rápida reação às mudanças de mercado. Estas envolveram ajustes de capacidade produtiva e mesmo o apoio a operações remotas.

Nesse sentido, ganham destaque as ferramentas autônomas e inteligentes – que, uma vez ocupando atividades manuais e repetitivas, permitem que os colaboradores humanos se dediquem a atividades estratégicas. 

A automação do setor fabril é um exemplo de como a tecnologia ajuda a economizar tempo nas etapas da produção e traz precisão aos processos, visto que atua sempre ao lado da captação e análise de dados.  

Embora no Brasil o setor industrial já esteja se modernizando, ainda há muitas oportunidades tecnológicas para implementar. Neste artigo, conheça algumas dessas tendências e aproveite para conferir também:

  • Panorama da indústria nacional
  • Indústria 4.0: adoção de tecnologias tornam negócio mais resiliente
  • Tendências tecnológicas que ajudam nos processos fabris
  • IoT na Indústria: automação e eficiência
  • Integração é uma das dificuldades do setor
  • Conectividade de forma escalável, global e integrada

Panorama da indústria nacional

A indústria é o setor responsável por 20,4% do PIB do País, de acordo com informações da própria categoria. Na prática, o percentual corresponde a um total de R$1.314,6 bilhões movimentados em 2020.

Em outras palavras, é um setor bastante importante para o mercado e que serve como um dos pilares da economia brasileira. Inclusive, vale destacar sua participação de quase 70% nas exportações de bens e serviços, conforme indica o mesmo relatório da CNI. 

É por isso também que as pesquisas e esforços de inovação nessa área não podem parar. Tanto é que os investimentos registrados em Pesquisa e Desenvolvimento na Indústria ultrapassam 10 milhões de reais anualmente, desde 2010.

gráfico demonstrando o investimento de iot na indústria

Aliás, vale destacar que, dentre os principais membros dessa categoria, alguns podem ser citados como os que mais investem na modernização de seus processos fabris. 

São eles: os produtores de veículos automotores, bem como de demais máquinas de transporte, as manufaturas químicas, farmoquímicas e farmacêuticas.

Ao apostar na tecnologia, essas empresas promovem o desenvolvimento de soluções que beneficiarão todo o setor, como a aplicação da IoT na Indústria.


LEIA MAIS: O que a digitalização agrega à indústria?


Webinar | Proteger sua empresa de ataques virtuais_V1

Como a implementação de novas tecnologias tornam o negócio mais resiliente

Apesar do progresso nos últimos anos, a adoção da Indústria 4.0 no Brasil ainda está em andamento, em parte, até mesmo por falta de conhecimento técnico para tal. 

Para ilustrar, um estudo realizado em novembro de 2020, pelo Instituto FSB Pesquisa, mostrou que 45% dos entrevistados nunca ouviram falar sobre a quarta revolução industrial.

Já entre a maioria dos empreendimentos que conhece e investiu nesse conceito, as principais tecnologias adotadas são:

  • Computação em nuvem (52%);
  • Sensores (36%)
  • Softwares de gestão avançada da produção (33%)
  • Sistema de conexão machine-to-machine ou M2M (27%)
  • Impressão 3D (13%)
  • Inteligência Artificial (10%)
  • Robótica Avançada (7%)
  • Big Data (6%)

Ou seja, algumas soluções já estão mais disseminadas que outras, tais como os serviços de cloud computing (nuvem) e as conexões IoT, operadas via sensores e sistemas M2M. Porém, os próximos passos para o uso inteligente da tecnologia, como Inteligência Artificial e Big Data, ainda precisam evoluir em implementação no território nacional.

Independentemente disso, o Instituto ainda destacou que as empresas que têm até três tecnologias integradas conseguiram se recuperar melhor dos efeitos da pandemia. Segundo o estudo, 54% dessas companhias já registraram, ao final de 2020, um lucro igual ou maior ao do período pré-pandemia.

Então, pode-se dizer que o levantamento mostrou que essa modernização, como a IoT na Indústria, também ajudou a desenvolver um modelo mais resiliente de operações. E isso é ideal para enfrentar e superar os desafios atuais e futuros desse mercado.

Tendências tecnológicas que ajudam nos processos fabris

Como mencionado anteriormente, algumas tecnologias já estão mais presentes no cotidiano das indústrias. Entre elas, temos primeiramente a conectividade, que é a base para todas as demais soluções e permite uma comunicação efetiva nas equipes locais e remotas. 

Até porque, sem uma ampla conexão entre filiais, não é possível ter uma produção integrada e alinhada aos objetivos da companhia. Da mesma forma, a Cloud é uma aliada poderosa, considerando até que foi uma das grandes viabilizadoras da onda de rápida digitalização em 2020.

Inclusive, conforme um estudo da IDC Brasil lançado no final de 2020, os gastos em nuvem pública no país em 2021 devem alcançar US$ 3 bilhões. Enquanto isso, os investimentos em clouds privadas passarão de US $614 milhões.

Nesse sentido, as conexões M2M (do inglês, machine-to-machine) e IoT também são extremamente importantes, tornando todo o ambiente e equipamentos monitoráveis. É através de ferramentas como essas que se torna possível a geração de dados sobre todos os processos – e até mesmo a automatização da produção.

No Brasil, um exemplo prático foi testado pelo SENAI. Em um programa-piloto chamado Indústria Mais Avançada, a instituição testou os resultados da adoção de sensores e IoT em micro, pequenas e médias empresas. Como resultado, as beneficiadas registraram um aumento de 22% em sua produtividade

Portanto, a Internet das Coisas é uma das grandes tendências para os próximos anos, que ainda tem bastante espaço para evolução. De acordo com o relatório da consultoria Markets and Markets, o mercado desse setor deve atingir US$110,6 bilhões até 2025

Ao mesmo tempo, um levantamento realizado pela PwC, em março de 2021, mostra que 73% dos fabricantes pretendem investir mais em tecnologia de indústrias inteligentes ao longo deste ano.

Os próximos passos da digitalização da Indústria: foco nos dados

Atualmente, as tecnologias são gradualmente adicionadas às indústrias para ajudar com produtividade, eficiência e redução de custos. No entanto, a tendência é que seguindo em frente, as empresas não terão apenas partes evoluídas, mas irão operar como um grande sistema. 

Nesse cenário, IoT na Indústria contará com computação de ponta e Inteligência Artificial para analisar dados coletados de forma rápida e eficiente. Afinal, mesmo hoje, conforme matéria da Forbes de abril de 2021, estima-se que um único local de fabricação pode gerar 2.200 terabytes em um mês e que a maioria dessas informações não são aproveitadas. 

No horizonte da transformação digital nesse setor estão soluções de AI, inspeção remota via drones e sensores inteligentes que aumentam a precisão de processos, além de otimizar o uso do tempo. 

Outro avanço importante será o trazido pelos equipamentos digitais vestíveis, como óculos e capacetes que auxiliem em reparos rápidos e certeiros.

IoT na Indústria: automação e eficiência

Tecnologia abre portas para o desenvolvimento de novas metodologias e processos fabris

Os usos da IoT na Indústria são diversos e, de modo geral, ajudam a dar visibilidade a todos os processos e equipes em atividade. Ou seja, é uma ferramenta indispensável para a gestão, trazendo benefícios a curto, médio e longo prazo.

Apesar de serem muitas, é possível encaixar as principais vantagens e usos em algumas categorias que facilitam o entendimento dessa tecnologia. Sendo assim, em outubro de 2020, a Microsoft divulgou um relatório com as melhores aplicações de Internet das Coisas nesse setor, do qual destacamos os seguintes pontos:

Automação industrial

Com cada vez mais sensores e equipamentos gerando dados e informações sobre os processos, averiguar tudo de forma manual se torna algo demasiadamente complicado. A automação, a princípio, aparece como uma solução que se torna responsável por algumas etapas, baseada em diretrizes pré estabelecidas. 

Em outras palavras, com feedback imediato do monitoramento, esses sistemas inteligentes podem atuar de forma proativa, corrigindo automaticamente questões críticas. Assim, essa tecnologia se torna não apenas um caminho para produtividade, mas também para segurança.

Compliance e qualidade

Segundo o relatório Gartner IoT Implementation Trends, de outubro de 2020, 23% dos entrevistados usam a Internet das Coisas a fim de garantir a conformidade de processos

Como exemplo na indústria, é possível utilizar dados de sensores IoT, Machine Learning e visão computacional para automatizar a inspeção de produtos. Dessa forma, podem ser detectados erros e defeitos, para, em seguida, retirar o material da linha de produção.

De acordo com a McKinsey & Company, testes de qualidade realizados com essas tecnologias aumentam a detecção de falhas em 90%, em comparação com a checagem humana.

Planejamento da produção

As soluções de Edge Computing ajudam fabricantes a melhorar qualidade e rendimento da produção. Isso porque com sensores monitorando toda a produção em tempo real, é possível checar temperatura, umidade e até poeira. 

Ou seja, a gestão consegue levar em consideração todas essas variáveis e programar os processos da melhor forma. Nesse sentido, também fica mais fácil fazer o controle energético e reduzir gastos com luz e energia.

Segurança

Tanto os equipamentos habilitados para IoT quanto os recursos de visão computacional são elementos cruciais para aumentar a proteção aos funcionários e a segurança em fábricas. 

Como exemplo, diversas máquinas e áreas da fábrica podem ser inspecionados em tempo real e de forma remota. Da mesma maneira, há o monitoramento dos colaboradores para registrar acidentes e tomar as devidas precauções. 


LEIA MAIS: Confira as principais vantagens da digitalização na indústria e como transformá-la em um modelo 4.0


Concluindo

A conectividade é o centro de todas as soluções tecnológicas que beneficiam a gestão de negócios. E a IoT na indústria é uma extensão desse processo de digitalização, levando a conexão às máquinas e, assim, a todas as etapas da produção.

Em suma, é a Internet das Coisas, junto a tecnologias preditivas como a Inteligência Artificial e o Machine Learning, que guiará o futuro da manufatura por meio de dados reais

E, nesse cenário, é essencial contar com um parceiro que possa dar suporte a toda essa mudança de paradigma, o que demanda não só experiência no assunto, mas também um portfólio de produtos robusto.

Atenta às necessidades de um mercado que só cresce, a Vivo Empresas já conta com mais de dez milhões de dispositivos conectados em sua rede. 

Quer saber mais sobre o poder de transformação da Internet das Coisas em diferentes setores? Abaixo, confira outros artigos sobre o tema:

Até a próxima!

Foto do autor
Solicite um contato