Machine to Machine: entenda o que é o M2M e como implementar na sua empresa

Foto do autor

Atualmente, muito se fala dos elementos “inteligentes”, isto é, dispositivos ligados por meio de uma conexão M2M (machine to machine, ou, “de máquina a máquina”, em português), que transmitem dados entre múltiplos equipamentos sem a necessidade de interferência humana. 

Muitas vezes, esses aparelhos estão tão presentes no dia a dia que nem percebemos o quanto ajudam em uma série de atividades corriqueiras, como é o caso de celulares, e TVs. relógios 

Porém, as comunicações Machine to Machine vão além disso: são grandes aliadas na gestão de negócios nos mais diversos setores, por exemplo, nas linhas de produção industrial, no varejo ou, ainda, na agricultura. 

Isso porque, a partir dessa tecnologia, são geradas informações que, quando analisadas, evidenciam o desempenho dos processos, pontos para melhorias e até problemas que podem comprometer a qualidade da entrega.

Sobretudo, essa conexão também serve como alicerce de uma das grandes tendências tecnológicas dessa década: a Internet das Coisas ou IoT (sigla do termo em inglês Internet of Things). 

Em outras palavras, essa conectividade entre máquinas gera insights valiosos para a tomada de decisão. E, quando aliada a outras tecnologias, pode otimizar a força de trabalho, trazendo mais agilidade e eficiência, tanto quanto ajuda a reduzir custos.

Para compreender mais sobre como as conexões M2M podem ser um diferencial na sua companhia, siga na leitura deste artigo e veja também:

  • M2M: do conceito à prática
  • Diferenciando as conexões M2M e a tecnologia IoT
  • Aplicações do Machine to Machine
  • Como implantar um sistema M2M na minha empresa?
  • O que o futuro reserva para essa tecnologia?

Machine to Machine (M2M): o que é? 

A base desse conceito, que impacta diversas indústrias e empresas, é transmitir dados entre dispositivos mecânicos e eletrônicos, ou, simplesmente, de “máquina para máquina”, como o nome sugere.

No entanto, a tecnologia excede esse significado. O M2M também é responsável pela automatização e otimização de todos os processos que cuidam de coletar e tratar os dados obtidos para tomada de decisões.

Um exemplo bastante ilustrativo desse recurso está no uso de sensores. Atuando remotamente e de forma autônoma, esses dispositivos podem coletar informações variadas, utilizando o M2M para transmitir os parâmetros monitorados a qualquer pessoa (ou equipamento) que esteja conectado na rede.

Ou seja, essas conexões podem ser aplicadas para acompanhar uma etapa de produção na indústria, uma fase do gerenciamento em uma empresa de logística ou, ainda, a volumetria do estoque de uma loja, por exemplo.

Em suma, o Machine to Machine é uma forma de agilizar a comunicação entre os equipamentos da companhia. 

Afinal, a partir da automatização, seu negócio ganha mais rapidez e precisão no controle de alguns indicadores, deixando o capital humano com mais tempo para se dedicarem às ações estratégicas.

Apesar de parecer algo complexo, um sistema M2M requer poucos componentes, sendo os principais:

  • Dispositivos sem fio implantados em campo com sensores integrados ou redes de comunicação RFID-Wireless;
  • Acesso à comunicação celular, Wi-Fi, LAN sem fio (WLAN), entre outras.

Vale ainda ressaltar que, em linhas gerais, as comunicações M2M também são consideradas mais seguras, uma vez que a transmissão dos dados não depende da interferência de pessoas, uma das maiores fontes de vulnerabilidade quando se fala em proteção de dados

Prepare seu negócio

Diferenciando as conexões M2M e a tecnologia IoT

Quando se fala em comunicação de máquina para máquina, é natural pensar em Internet das Coisas (IoT). No entanto, é importante pontuar que estes são conceitos diversos, ainda que bastante relacionados..

Isto porque, enquanto o primeiro se refere diretamente à conexão entre os sensores, por onde as máquinas transmitem os dados de forma automatizada, a segunda abrange outras ferramentas e soluções que utilizam informações, como as captadas pelo M2M. 

Ou seja, a IoT tem um conceito mais amplo. É um recurso em que dispositivos compartilham informações sobre o mundo à sua volta e interagem com outros aparelhos, criando uma rede inteligente de “coisas” e sistemas.

Inclusive, segundo o relatório do Gartner sobre tendências de implementação da IoT:

  • 31% dos negócios a utilizam com foco em segurança;
  • 25% usam para soluções de automação, como acesso remoto e gerenciamento a distância;
  • 23% a aplicam para garantir a conformidade de processos.

Diferenças na prática

Um bom exemplo para diferenciar de forma mais clara os conceitos se encontra no campo: Uma fazenda pode utilizar sensores com comunicação M2M para monitorar seu maquinário, a exemplo de tratores, colheitadeiras, pulverizadores. 

Porém, ao mesmo tempo, esses dados podem fazer parte de uma solução IoT que gerencie esses ativos para verificar se estão sendo utilizados da melhor forma. 

Em conjunto, o sistema pode responder perguntas simples sobre o uso e estado dos equipamentos, como: 

  • Se há período de inatividade enquanto a máquina está ligada;
  • Se o percurso, no caso de um veículo, é o mais eficiente para o consumo de combustível ou, ainda, para a tarefa na qual o automóvel será utilizado;
  • Ciclos de manutenção;
  • Comportamento de operadores e motoristas;
  • Desempenho geral da frota;

Apesar de básicas, contar com essas informações a longo prazo e, sobretudo, de forma acessível, a partir de uma interface intuitiva, pode ser fundamental para o sucesso de qualquer negócio. 

Nesse sentido, a Vivo Empresas oferece soluções específicas, como o Vivo Maquinário Inteligente, para gestão dos ativos no campo em tempo real, e o Vivo Frota Inteligente, que monitora veículos e condutores, fornecendo informações em tempo real para o gestor.


LEIA MAIS: IoT aplicada à gestão: frotas e equipes mais eficientes


Aplicações do Machine to Machine

Embora, na prática, o conceito de M2M seja bastante simples, pode parecer difícil visualizar a tecnologia sendo aplicada no cotidiano. No entanto, é fato que, atualmente, muitas empresas dos mais diversos ramos já aplicam o conceito. Veja exemplos a seguir:

Automobilismo

A Fórmula 1 é pioneira no uso de plataformas M2M, que permitem ajustes nos carros enquanto eles estão em prova, sem a necessidade de parar ou mesmo de ação humana direta. 

Assim, há otimização da performance dos pilotos, diminuindo o tempo em microssegundos que podem fazer toda a diferença no resultado final.

No entanto, não é preciso ser um corredor para ver como essa tecnologia funciona na prática, já que ela também está sendo utilizada para carros de uso comum. 

Em alguns modelos atuais, já é possível monitorar as condições de pressão de pneu, consumo de combustível, rastrear o veículo e até mesmo destravar as portas a partir de outros dispositivos, como o telefone celular. 

Na prática, parte do que possibilita comodidades como essa é a comunicação Machine to Machine

É o caso, por exemplo, de soluções como a empregada pela montadora sul-coreana Hyundai, que, no Brasil, utiliza a infraestrutura M2M e IoT da Vivo Empresas para conectar seus carros aos smartphones dos proprietários. 

Medicina

Na saúde, o Machine to Machine promove a conexão entre os aparelhos médicos e hospitalares. Ou seja, é uma tecnologia que busca integrar sistemas de modo a disponibilizar dados para os médicos em tempo real, permitindo, inclusive, o monitoramento de pacientes a distância, recurso que foi bastante utilizado durante a pandemia.

Além disso, busca-se uma sinergia ainda maior entre farmácia e tecnologia para o bem das pessoas em geral. De maneira prática, isso poderia acontecer com sensores capazes de monitorar pacientes, indicando necessidade de ajuste na medicação e até alertando automaticamente sobre possíveis crises.

Agronegócio

A adoção do M2M na agroindústria viabiliza a agricultura de precisão, garantindo autonomia no monitoramento e o gerenciamento em tempo real dos equipamentos, possível a partir de qualquer lugar do mundo com acesso à conectividade.

Adicionalmente, a conexão ainda viabiliza recursos como visibilidade meteorológica acurada, monitoramento do campo e do sistema hídrico, além de facilitar a automatização das frentes de trabalho nas fazendas. 


LEIA MAIS: Fazenda conectada: como a tecnologia favorece o uso do solo


Como implementar um sistema M2M na minha empresa?

Para a adoção da conexão Machine to Machine, é preciso analisar qual a necessidade do negócio e o melhor uso da plataforma naquele ambiente. 

Todavia, é bom lembrar que esse tipo de recurso exige uma boa infraestrutura de conectividade para a transferência dos dados, sem a qual a tecnologia perde funcionalidades. 

Com a finalidade de facilitar a adoção desse sistema, a Vivo Empresas oferece a solução Vivo Kite Platform®. No Brasil, a plataforma para gestão de SIM Cards M2M já possui mais de 10,8 milhões de dispositivos conectados e é líder de mercado. 

Dentre seus principais recursos, é possível citar a controle de conectividade em tempo real, além dos mecanismos de proteção e privacidade que criptografam as comunicações e as transmitem apenas para equipamentos autorizados. 

Além disso, a ferramenta facilita a gestão de negócios, disponibilizando informações sobre despesas e evitando situações de fraude. Adicionalmente, é possível conferir inventários em tempo real, além de executar diagnósticos remotos.


ASSISTA AO WEBINAR: M2M: automação, redução de custos e eficiência para os negócios


E o que o futuro reserva para essa tecnologia?

Naturalmente, é de se imaginar que as tecnologias M2M e IoT continuarão progredindo em volume e qualidade. 

No entanto, a expectativa de especialistas é a de que o avanço de tendências como as smart cities, cidades inteligentes, e o smart farming, a agricultura inteligente, sejam especialmente importantes para o aumento da presença dessas duas inovações no dia a dia.

Isso porque, seja para um ambiente fechado ou para grandes áreas, como uma fazenda ou bairros inteiros, o uso dessas tecnologias contribui para que a relação entre os dispositivos presentes no local seja harmônica. 

E a considerar que cada vez mais tarefas são realizadas por aparelhos e robôs, garantir que todos se comuniquem de forma eficiente passa ser mandatório. 

Nesse sentido, espera-se que, até 2023, as conexões M2M somem mais 14,7 bilhões de interligações. As informações partem do relatório Cisco Annual Internet Report, atualizado pela última vez em março de 2020.

Ou seja, a hora de se digitalizar é agora, uma vez que só assim o seu negócio estará preparado para enfrentar os concorrentes do futuro, que também já terão se adaptado às necessidades do momento..

Nesse cenário, é importante contar com parceiros especializados para ter as melhores soluções para a sua companhia. 

M2M e IoT: Vivo Empresas é referência

Atualmente, o grupo Telefónica tem um robusto ecossistema de IoT: uma plataforma global com 20 milhões de dispositivos conectados e uma grande variedade de parceiros. 

Não por acaso, a companhia foi escolhida pelo sétimo ano como uma das líderes no segmento no quadrante mágico, da consultoria internacional Gartner.

E no mercado brasileiro, naturalmente, a Vivo Empresas traz toda essa expertise para amparar de pequenos a grandes negócios com um portfólio completo em soluções de M2M e IoT, mas que também contempla recursos avançados em conectividade, nuvem, segurança digital, Big Data e TI

Gostou de descobrir como a comunicação machine to machine pode contribuir com a eficiência do seu negócio? Então aproveite para também conferir os artigos a seguir:

Foto do autor
Solicite um contato