Como preparar o seu negócio para a Black Friday 2022

Foto do autor

Preparar uma Black Friday é essencial para quem está no comércio. Evento tradicional nos Estados Unidos, a data ganhou espaço entre os brasileiros nos últimos anos. A visibilidade da campanha pode ser atribuída aos descontos chamativos, que chegam aos 80%. 

Por conta dessa popularidade, se tornou uma das celebrações mais esperadas também do varejo, que vê a oportunidade de impulsionar as vendas com promoções e condições especiais. As expectativas são sempre grandes, mas, para ter sucesso, é preciso muita organização e uma boa estratégia. 

Diante de um cenário de pico de transações em pouco tempo, os lojistas, sobretudo do comércio eletrônico, precisam ter uma estrutura capaz de suportar a demanda. É necessário investir em soluções digitais para cibersegurança, preparar o estoque, cuidar para que o site não saia do ar, pensar na precificação, entre outras coisas.

Em resumo, é importante estar com tudo pronto para a Black Friday 2022. Neste artigo, será abordado como os comerciantes podem garantir disponibilidade, segurança e também a satisfação dos clientes. 

Os principais assuntos tratados são estes:

  • Origem da comemoração;
  • As perspectivas de vendas no Brasil;
  • 10 dicas para preparar o e-commerce para a Black Friday 2022;
  • A importância das soluções digitais nessa data.
Black Friday is coming! – One day special sale only –

Qual é a data da Black Friday? 

A Black Friday cai na sexta-feira após o Dia de Ação de Graças que, em algumas regiões dos EUA, é mais comemorada do que o próprio Natal. Em 2022, vai acontecer no dia 25 de novembro.

O termo nasceu nos Estados Unidos originalmente para designar eventos totalmente diferentes do que entendemos hoje como o significado de Black Friday. No passado, era usado para marcar os períodos de depressão econômica, como o crash na bolsa de valores em 1929 ou o pânico financeiro no mercado de ouro em 1869. 

Atualmente, serve para se referir ao dia seguinte a um dos maiores feriados americano, o Thanksgiving, tradicional celebração que acontece em novembro. Para o comércio, o evento marca o início da temporada de vendas de fim de ano. 

No Brasil, a ocasião foi incorporada ao calendário em 2010 e vem se consolidando como uma das principais datas para o comércio. Porém, diferentemente dos EUA, as campanhas nacionais têm, desde o início, foco no e-commerce.

Webinar | Tecnologia aumenta vendas no varejo _V1

Projeção otimista no e-commerce 

Em solo nacional, a Black Friday funciona também como um termômetro para indicar as perspectivas de vendas para o Natal, data mais esperada do varejo. Para este ano, as projeções são otimistas. 

A Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) projetou faturamento em torno de R$ 6 bilhões no e-commerce, com número de pedidos atingindo 8,3 bilhões na Black Friday 2022. Os produtos mais vendidos devem continuar sendo da área de eletrônicos, telefonia, informática e eletrodomésticos. Também fazem sucesso artigos de moda, beleza e saúde. 

O levantamento feito pelo Globo, o Black Friday 2022: Termômetro de Consumo, de julho de 2022, indicou que os assuntos relacionados ao Catar 2022 devem fomentar as vendas, isso porque 56% dos entrevistados disseram que vão comprar algum item por conta do campeonato. Desses, 72% afirmaram ter intenção de adquirir algo na Black Friday. 

10 dicas para preparar a Black Friday 2022

Então, agora é hora de preparar tudo e não perder essa oportunidade. A seguir, serão apresentadas dicas de como preparar uma empresa para a Black Friday, de forma que o lojista tenha segurança para lucrar sem preocupações e que os desejos dos clientes possam ser atendidos.

  1. Reforçar a cibersegurança 

Os grandes períodos de compras apresentam riscos cibernéticos adicionais para negócios e consumidores, à medida que os golpes se tornam mais frequentes. Em datas com muitas movimentações e transações online, as possibilidades de fraudes são aumentadas.

Por esse motivo, é necessário dar atenção especial aos mecanismos de segurança do site, conferindo se está tudo atualizado e funcionando. Nessa hora, é importante contar com parceiros que possam oferecer esse tipo de solução. A Vivo Empresas, por exemplo, oferece um pacote completo para ajudar a proteger dados em eventuais casos de ataques virtuais.

  1. Cuidar da conectividade 

Uma forma de perder clientes é fazer com que o site saia do ar na hora das compras. Nenhum lojista virtual quer isso. Portanto, é importante verificar se tudo está indo bem nas páginas, afinal haverá um fluxo maior de visitantes nesses períodos de promoções. 

É preciso se certificar que os servidores de rede que hospedam a loja online serão capazes de lidar com a grande quantidade de acessos e que a lentidão não será um problema para os usuários. Nessa hora é importante investir em ferramentas e serviços confiáveis de conectividade e hospedagem de sites

  1. Ter um site responsivo e rápido 

A essa altura, todo varejista de e-commerce deve ter o seu site otimizado para dispositivos móveis. Em uma pesquisa divulgada em abril de 2022, da Mobile Time com a Opinion Box, focada no mercado brasileiro, foi apresentado que 81% dos entrevistados já tinham feito alguma compra na internet pelos seus celulares e não pelos seus computadores. 

Assim, é preciso se certificar que o site carrega rapidamente em smartphones e tablets, pois a página deve ser dimensionada para uso correto em telas menores. Além disso, a plataforma de comércio eletrônico deve ser simples e intuitiva.

Em resumo, o lojista deve dar atenção antecipada à construção do site para não ser pego de surpresa em momento de pico de vendas. É importante também assegurar que os produtos no carrinho de compras permaneçam intactos se o comprador alternar a visualização do computador para o dispositivo móvel.

  1. Revisar a logística 

Como está funcionando o seu sistema de entregas? Durante as vendas da Black Friday, é importante ser honesto com os consumidores quando se trata de cumprir os prazos estabelecidos na hora da compra. É importante que eles sejam revistos de acordo com o nível de dificuldade enfrentado pela loja no setor logístico.

Também é essencial que o varejista comunique as taxas e formas de envio da maneira mais clara possível. Isso sem falar que é preciso fornecer uma política de devolução e trocas. Um diferencial é disponibilizar meios sustentáveis de entrega, pois, hoje, os clientes estão cada vez mais interessados em conhecer toda a cadeia produtiva do item que estão adquirindo. 

  1. Preparar o estoque 

O cliente compra, mas, no final, não existe aquele produto no estoque. Esse é um erro fatal que precisa ser evitado ao máximo. A empresa deve preparar com antecedência essa parte para conseguir escalar as vendas, não perder oportunidades e, principalmente, não frustrar os clientes com falsas expectativas. 

A melhor forma de conseguir fazer isso é investindo em uma boa ferramenta de gestão, o ERP, parte essencial do processo de digitalização da empresa. Assim, a plataforma de software vai cuidar de fazer tudo de forma automatizada, evitando erros. Também é importante identificar os produtos de maior saída para fazer o estoque. 

  1. Investir em campanhas de marketing 

É sempre bom lembrar que as vendas da Black Friday não acontecem efetivamente em um dia. Começam bem antes, com as pesquisas dos usuários. Então, é aconselhável que o comerciante se prepare com bastante antecedência. Isso é especialmente importante para o marketing online. 

Algumas semanas antes, é útil começar a produzir conteúdos que estejam relacionados com a Black Friday 2022. Assim, quando as pessoas estiverem pesquisando, o site da empresa tem chances de aparecer no topo.

O produto SEO Tool, da Vivo Empresas, ajuda a manter uma estratégia nessa área, pois monitora palavras-chave, analisa concorrentes e fornece relatórios com recomendações para a otimização da página.

  1. Usar as mídias sociais 

Conforme o estudo O perfil do consumo 2022 da All In em conjunto com a Opinion Box, 75% dos brasileiros usam as redes sociais para buscar produtos. O levantamento, divulgado em julho de 2022, entrevistou 1.087 pessoas de diversas classes sociais. 

Em razão de números como esse, combinar o comércio eletrônico com as mídias sociais é uma estratégia muito poderosa. Afinal, permite que os consumidores explorem e encontrem produtos que normalmente não estão procurando em uma loja virtual. 

O varejista, portanto, não deve ficar atrelado apenas ao próprio site. Mídias sociais como Facebook e Instagram permitem que os clientes vejam um produto no aplicativo, apertem o botão “comprar agora” e concluam a compra ali mesmo, ainda no app. 

  1. Utilizar Big Data

Uma vez que as ferramentas de Big Data auxiliam na hiperpersonalização , aplicá-las para aprimorar as estratégias de venda é altamente recomendado. Ao direcionar as campanhas e produtos para os clientes de forma mais assertiva, as chances de conversão são melhores. 

Apesar da facilidade, é preciso que o uso de dados esteja de acordo com as exigências da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

  1. Oferecer frete grátis 

O estudo Tendências e Insights Black Friday 2022, produzido pela agência de marketing online Macfor, indicou que o frete grátis está entre os três principais critérios para decisão de compra do brasileiro no período da ação. Os outros são as promoções e os descontos.

Portanto, a loja deve se empenhar em oferecer essa vantagem. Um caminho é mapear a localização dos clientes e dar a gratuidade para quem mora mais próximo. Por outro lado, é preciso muito estudo financeiro para saber se realmente é possível fazer isso sem ter prejuízos.

  1.  Aplicar os descontos certos

A precificação do produto é fundamental nesse período, uma vez que há o aumento de vendas. Dessa forma, é necessário atenção, pois, caso esteja com valor errado, o prejuízo também se multiplica. Então, é importante revisar todo o site antes do grande dia.

Outro fator a considerar é que os usuários querem ter certeza de que estão realmente recebendo a redução indicada. Então, uma boa prática é mostrar o preço total do produto e o preço com desconto, apontando o quanto estão economizando.

Depois da Black Friday, vem a Cyber Monday 

Um evento que pode passar despercebido é a segunda-feira, logo depois da Black Friday — a Cyber Monday. Essa ação de vendas vem crescendo em popularidade no Brasil, pois os consumidores enxergam como uma segunda chance, caso tenham perdido as ofertas da sexta-feira.

Um levantamento da Neotrust, empresa de análise de dados de comércio eletrônico, deu conta de que o varejo digital brasileiro faturou R$ 827,4 milhões em 2021 nesta data, valor 17,7% superior ao registrado em 2020. 

A importância de investir em soluções digitais 

Para concluir, a Black Friday já ocupa um espaço muito importante no calendário brasileiro, tendo maior força nos canais online. Por isso, é essencial preparar o negócio com soluções tecnológicas adequadas e capazes de suportar os picos de acesso. 

Dessa forma, deve-se buscar recursos que suportem a operação, combinando fatores como infraestrutura robusta de conectividade, recursos que promovam a segurança da informação, ferramentas de colaboração e tecnologias estratégicas, como Internet das Coisas (IoT) e Big Data

A Vivo Empresas dispõe de um portfólio abrangente, que cobre as necessidades de digitalização de empresas de todos os tamanhos e setores. Além desses serviços, há a locação de equipamentos de microinformática e soluções digitais completas em Cloud, TI e Gestão de Tecnologia, que também contribuem para a estruturação de operações de vendas mais eficientes. 

Caso tenha gostado deste artigo sobre como se preparar para a black friday, confira outros assuntos relacionados ao tema:

Até a próxima! 

Foto do autor
Solicite um contato