Inovação na gestão de frotas é essencial para melhorar a segurança do trânsito

Foto do autor

O Brasil figura entre os países em que a segurança nas estradas precisa melhorar, pois os números de ocorrências fatais ainda são altos. Por conta disso, campanhas de prevenção que envolvam toda a sociedade são necessárias. Isso inclui ações educativas, pressão por políticas públicas de melhoria nas rodovias e, não menos importante, o investimento em inovação tecnológica que garanta uma boa gestão de frotas.

Com o uso da automatização, por exemplo, as empresas de transporte conseguem estabelecer os melhores trajetos e avaliar como o motorista está dirigindo. O acompanhamento em tempo real, usando soluções de cloud computing, também é capaz de dar informações úteis que contribuem com o planejamento seguro de rotas. 

Dessa forma, tecnologias ligadas à conectividade, nuvem, Internet das Coisas (IoT) e automação são grandes aliadas na prevenção de casualidades no percurso. Isso, claro, não soluciona todos os problemas. Tendo como objetivo melhorar as estatísticas, será preciso envolvimento de toda a sociedade. Afinal, é uma responsabilidade de todos. 

Vamos discutir mais sobre o assunto? Então, continue lendo este artigo, porque vamos falar sobre:

  • O panorama brasileiro em segurança no trânsito 
  • O que é o Maio Amarelo 
  • As tecnologias que salvam vidas 
  • A importância de se investir em inovação na gestão de frotas 
  • O papel da IoT na prevenção de acidentes 

Brasil é quinto no ranking mundial de vítimas de trânsito

gestão de frotas

O cenário nacional na questão de segurança viária não é nada animador. O Brasil ocupa a quinta posição no ranking mundial de vítimas de trânsito, com 22 mortes a cada 100 mil habitantes, ficando atrás apenas da Índia, da China, dos Estados Unidos e da Rússia. Os dados foram divulgados em setembro de 2021, pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

Nesse mesmo sentido, o Registro Nacional de Acidentes e Estatísticas de Trânsito (Renaest), ligado ao Ministério da Infraestrutura, revelou que o País teve, em 2021, 11.647 vítimas fatais. Isso representa, em média, 32 mortes por dia em solo nacional. Os estados que lideram em letalidade são Minas Gerais, Santa Catarina e São Paulo. 

Dados mais recentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) também são preocupantes, pois indicam um aumento no número de mortes em rodovias federais após 10 anos de queda. O relatório, divulgado em maio de 2022, indicou 5.381 vítimas fatais. Além disso, somente de janeiro a março de 2022, o País registrou 1.476 colisões, com 1.283 mortos e 17.115 feridos. 

Vale notar que o problema não é só brasileiro, mas global. Por conta disso, a Organização Mundial da Saúde (OMS) decretou a Década de Ação pela Segurança no Trânsito, que visa reduzir pela metade as ocorrências até 2030, em âmbito internacional. Segundo a instituição, tais acidentes resultam na morte de aproximadamente 1,3 milhão de pessoas em todo o mundo, por ano. É a principal causa de mortes de crianças e jovens entre 5 e 29 anos. 

As explicações para tantas fatalidades são variadas, e vão desde o comportamento dos motoristas, as condições das estradas e, também, problemas técnicos dos próprios veículos. 


LEIA MAIS: Mobilidade urbana: tecnologia guia o caminho para um trânsito mais inteligente


Webinar | Saiba como aperfeiçoar seu armazenamento_V1

Maio Amarelo promove conscientização no trânsito 

Nesse sentido, uma das consequências do projeto da OMS para a década é a ação Maio Amarelo. O objetivo é promover uma série de iniciativas durante o mês, visando chamar a atenção e, dessa forma, conscientizar motoristas, pedestres, governos e empresas sobre suas responsabilidades na prevenção de acidentes de trânsito.

O slogan do Maio Amarelo de 2022 é “Juntos Salvamos Vidas”. Depois de dois anos com atividades somente na internet, devido à pandemia de covid-19, a campanha volta com ações presenciais. Serão reuniões, palestras, workshops e seminários, a fim de alertar sobre o alto número de mortes de trânsito no Brasil. 

O Maio Amarelo foi criado no Brasil em 2014, pelo Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV). O mês foi escolhido porque é uma referência mundial para balanço de ações de prevenção. Já a cor amarela simboliza atenção e representa os sinais de advertência no tráfego.

Tecnologias melhoram a gestão de frotas e salvam vidas 

Dessa forma, um dos caminhos que levam à melhoria da segurança nas estradas é o investimento em tecnologia. Isso quer dizer que tanto usuários domésticos quanto empresas podem se beneficiar das inovações ao terem mais controle sobre os deslocamentos.

Portanto, as soluções vão desde câmeras instaladas nos automóveis até direções totalmente autônomas, a fim de reduzir o erro humano. Assim sendo, vamos a alguns exemplos de novidades aliadas na redução de acidentes. 

Planejamento de rotas

As tecnologias que estudam a rota antes do motorista pegar a estrada são fundamentais na gestão de frotas de forma segura. Imagine o perigo de uma carreta ir por uma rua que não tem estrutura para recebê-la? Isso acontece, às vezes, por conta de uma ponte mais baixa, fios ou, até mesmo, por não suportar o peso. 

As transportadoras, hoje em dia, podem recorrer à tecnologia específica, com o objetivo de dar melhores condições de trabalho aos motoristas ao longo da rota. Um planejamento automatizado pode, por exemplo, priorizar o caminho mais curto e escalar os condutores que estão mais familiarizados com aquele trajeto. 

Tecnologia ADAS (Advanced Driver Assistance Systems)

Essa solução reúne recursos de assistência aos motoristas com finalidade de ajudar na condução e prever possíveis situações perigosas. Por exemplo, contém sistema anticolisão, frenagem automática, GPS integrado com dados do tráfego no momento e reconhecimento de obstáculos, como animais na pista ou pedestres. 

Por sua vez, o sensor de câmera oferece uma visão de 360 graus da estrada ao motorista, com detecção de ponto cego e sugestão que indica o que fazer. 

Dessa forma, um relatório, publicado em março de 2022, pela empresa de pesquisa de mercado Facts and Factors, mostrou que o setor de tecnologia ADAS foi avaliado em US$ 28,45 bilhões, em 2021, e a estimativa é de que cresça, podendo chegar a US$ 60,54 bilhões até 2028. 

Carros conectados 

As estradas certamente pertencerão aos carros conectados no futuro. Recursos como a capacidade de compartilhar informações entre veículos, motoristas e fabricantes vão ajudar a evitar acidentes. 

Os veículos com soluções de conectividade são capazes de receber informações da montadora referentes a desgaste de peças, o que permite medidas de manutenção preventiva. Além disso, os fabricantes também podem usar o recurso para ativar notificações de recall ou oferecer novos serviços de melhoria. 

Veículos autônomos 

Ao que tudo indica, os veículos elétricos e de direção autônoma serão realidade comum em um futuro próximo. Nesse contexto, a gestão de frota pelas empresas pode ser a grande beneficiada. Viagens de carga que exigem longa distância poderiam ser mais seguras. 

Além disso, é possível evitar incidentes provenientes da distração dos condutores. Então, mesmo que os motoristas não sejam substituídos totalmente, a automatização certamente traria vantagens. 

Internet das Coisas promete mobilidade mais inteligente na gestão de frotas

Nesse contexto, uma das inovações mais promissoras para tornar a mobilidade mais inteligente e segura é a Internet das Coisas, do inglês Internet of Things ou, simplesmente, IoT. Isso porque a tecnologia tem o poder de usar a web para integrar vários dispositivos, aproveitando ao máximo a conectividade para uso eficiente de dados. 

Sendo assim, soluções de gerenciamento de frota com IoT prometem dar mais segurança e eficiência para empresas que dependem de transporte. A ferramenta permite coletar dados em tempo real (temperatura, velocidade, peso da carga) e combinar com o histórico do veículo (marca, modelo, registros de manutenção). Com isso, dá para prever, ou, então, conseguir respostas mais rápidas aos problemas na estrada. 

Um relatório da Research And Markets, de abril de 2022, indicou que o mercado total de IoT em 2021 — compreendendo serviços profissionais e gerenciados, hardware, plataformas e software, e conectividade — alcançou US$ 190,26 bilhões em receita. Ainda, segundo o estudo, a pandemia de covid-19 impactou significativamente as estratégias de IoT das empresas. Enfim, as demandas por soluções desse tipo se aceleraram. 

Vale ressaltar que esse tipo de solução será especialmente útil no Brasil. Afinal, aqui circulam 46,2 milhões de automóveis, segundo dados Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores (Sindipeças), que realiza o levantamento anualmente. É, com esses números, a sexta maior frota do mundo. 


LEIA MAIS: IoT: como a tecnologia atua na gestão de frotas e equipes de campo


Inovação é aliada que reforça a segurança

gestão de frotas

Portanto, sem dúvidas, a inovação tecnológica é um caminho para tornar o tráfego mais seguro. Ao longo da história, isso já foi comprovado com o aparecimento dos sinais de trânsito, tintas fluorescentes, para melhorar a visibilidade noturna, e até o já conhecido semáforo com contagem regressiva. 

Agora, com a disseminação cada vez mais veloz de soluções de automação, as coisas devem evoluir rapidamente. Um exemplo é o sistema de semáforo inteligente, que usa Inteligência Artificial (IA) na análise do tráfego em tempo real e faz ajustes para manter o tráfego fluindo na medida certa. Sendo assim, se muitos automóveis estiverem parados em um sinal, a luz verde abre em sintonia com outro, que vai fechar, porque tem poucos carros. 

Parece uma ideia futurista, mas já existe, desde 2012, na cidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos. A tecnologia inclui o Surtrac, um sistema de IA que permite que os semáforos se adaptem às condições do tráfego, em vez de depender de ciclos pré-programados. 

Nesse mesmo sentido, a análise de Big Data seria capaz de ajudar a gerir melhor o deslocamento nas grandes cidades, melhorando a segurança. Governos podem coletar dados sobre acidentes de forma mais eficiente e, assim, identificar os pontos mais perigosos de estradas. O resultado permitiria proporcionar melhorias, tanto de sinalização quanto de infraestrutura. 

Outro exemplo de inovação são os aplicativos de navegação, cuja utilidade vai muito além de indicar o melhor caminho. Tais soluções se conectam com centrais de atendimento de rodovias para fornecer informações sobre ocorrências em tempo real. A agilidade maior no socorro pode representar inúmeras vidas salvas. 

Segurança no trânsito exige participação de todos

Por fim, a seguridade viária precisa de uma análise plural, em que se leva em consideração diversos fatores. Governos não vão resolver tudo, e as tecnologias, sozinhas, não são capazes de mudar totalmente uma realidade. É preciso engajamento e participação de todos na busca por melhorias. Isso vale tanto para empresas quanto para o cidadão comum. 

Os motoristas devem respeitar as leis de trânsito e dirigir com prudência e consideração com os pedestres e ciclistas. Já as empresas precisam investir em treinamento e tecnologias inovadoras na gerência de frota, capazes de melhorar a segurança na mobilidade. 

Atenta a essa necessidade, a Vivo Empresas desenvolveu a solução Vivo Frota Inteligente, que permite realizar a coordenação integrada da frota de veículos da sua organização. O serviço atua, dentre outras funções, na análise de rotas, acompanhamento do perfil dos condutores, localização em tempo real, rastreamento e manutenção. 

Para saber mais sobre mobilidade e tecnologia, confira estes outros artigos publicados anteriormente:

Até a próxima!

Foto do autor
Solicite um contato