Como aplicar a gamificação na educação? Entenda o que pode e deve ser feito

Foto do autor

A gamificação na educação consiste em utilizar elementos de jogos em contextos de aprendizagem. Por exemplo, quem acertar ganha pontos, ou outra moeda virtual, após a conclusão de uma série de tarefas. E pode avançar para o próximo nível. 

Essas atividades podem ser competições entre pares, trabalhos em equipe, testes etc. A ideia é oferecer mais estímulos para os alunos através desse processo.

Além disso, a teoria é que os alunos aprendem melhor quando também estão se divertindo. Hoje, esse é um ponto que impacta positivamente os resultados dos ensinos básico e médio, nos quais esse trabalho é realizado com crianças e adolescentes. E também há muitas oportunidades para a gamificação, também, no ensino superior.

Nesse sentido, a gamificação na educação vem para promover uma aprendizagem ativa, usando recursos lúdicos. A tecnologia ajuda em tudo isso. Com ela, os professores podem personalizar a jornada de aprendizagem, as aulas podem ser remotas sempre que necessário e dispositivos de microinformática, como os notebooks,  abrem aos estudantes o  acesso a milhares de recursos. 

Sabemos que esse assunto merece a atenção dos profissionais da área, inclusive no contexto corporativo. Para ajudar a esclarecer os principais pontos de dúvida, ao longo deste artigo, vamos abordar os seguintes tópicos:

  • Afinal, o que significa gamificação?
  • Por que usar gamificação na educação?
  • Quais são as suas vantagens?
  • Quais tecnologias podem ajudar?
  • Como implementar a gamificação na educação?

Afinal, o que significa gamificação?

Criança aprendendo com ajuda do computador
Novas gerações podem ter a aprendizagem potencializada com a gamificação na educação

É comum nos depararmos com esse termo na versão estrangeira “gamification”. E como já foi dito, a gamificação trata  da aplicação de aspectos de jogos na rotina educacional.

Uma das qualidades desta prática é o fato de estimular a aprendizagem por meio do lúdico. Vale ressaltar que uma das características comuns dos jogos é o senso de desafio e recompensa. Dessa forma, há um incentivo para vencer e conquistar o seu “prêmio”.

Mesmo que a aplicação de gamificação na educação não dependa, necessariamente, de recursos tecnológicos, é inegável o quanto potencializam resultados e ampliam o leque de  recursos do educador. 

Assim, a inovação tecnológica possibilita que a aprendizagem ativa seja praticada de uma maneira que conversa com as novas gerações.

De acordo com um relatório realizado pela ReportLinker, em março de 2019, os investimentos em gamificação devem alcançar a marca de US$ 40 bilhões até 2024. Grande parte dessa expectativa está atrelada, também, ao avanço de novas tecnologias, como a chegada da tecnologia 5G.

Aprendizagem ativa? Aposte na gamificação na educação

A gamificação na educação é uma estratégia que contribui para um processo conhecido como aprendizagem ativa. Esse conceito diz respeito ao modo como absorvemos informações. O nosso cérebro tem um limite de armazenagem de conteúdo – por isso, o ideal é que seja passado em pílulas e distribuído em maior frequência.

Em meados do século XX, um psicólogo conseguiu montar um estudo que mostra como funciona a nossa memória e a aprendizagem. Assim, William Glasser consolidou a pirâmide de aprendizagem. 

Nela, vemos que o nosso cérebro aprende mais por meio da prática, seja exercitando ou ensinando outras pessoas. E isso corresponde a 80 e 95%, respectivamente, da aprendizagem ativa.

Assim, a gamificação na educação tem um grande potencial. 

A técnica pode ser usada para diversas disciplinas e adaptadas, ainda, para o grau de dificuldade de cada aluno. Além disso, conforme a estratégia usada, é possível estimular o trabalho em grupo e o senso de coletividade.

Vantagens da gamificação na educação

O desenvolvimento de diversas capacidades cognitivas pode ser potencializado. Por exemplo, durante a pandemia de covid-19, as escolas enfrentaram um enorme desafio com a adaptação para o Ensino Remoto Emergencial (ERE). 

Segundo o relatório da organização Todos pela Educação, o segundo trimestre de 2021 apresentou um crescimento de 171% da evasão escolar de crianças e adolescentes entre 6 e 14 anos, comparando-se com o ano de 2019. Vale destacar que a Lei obriga que todas as crianças a partir de 5 anos estejam matriculadas.

Parte disso pode ser um reflexo da necessidade de se investir em mais tecnologia na educação – inclusive, já está prevista a priorização do Governo Federal em levar a tecnologia 5G para escolas públicas. Dessa forma, a conectividade de melhor qualidade permitirá que mais crianças e adolescentes tenham a oportunidade de se beneficiar da gamificação na educação.

Nesse cenário desafiador, uma das formas que muitos pais e professores usaram para estimular os alunos foi o uso de aplicativos de jogos educativos. Há diversas opções disponíveis nas lojas de apps dos smartphones, inclusive alternativas que ajudam no processo de alfabetização e letramento das crianças do ensino fundamental básico. 

Assim, vale entender melhor como a gamificação na educação, com a tecnologia em seu favor, pode trazer vantagens tanto para alunos, professores e até para os pais.

Aprendizagem por meio do lúdico

A psicologia das cores é usada em diversos segmentos de negócios, desde o marketing até a arquitetura. Alguns estudiosos consideram que as tonalidades ajudam os alunos a aumentar sua atenção. Elas podem impactar a aprendizagem, manipular a cognição e as emoções.

Uma das qualidades da gamificação na educação por meio da tecnologia é o uso das cores de maneira divertida. Dessa forma, a atenção das crianças e dos adolescentes é concentrada no jogo, tanto pelo uso das cores certas como pelo desafio proposto no game.

Contextualização com a nova geração

Os jovens nascidos após 1995 cresceram com a popularização da internet. São os nativos digitais: pessoas que fazem uso cotidiano dos ativos tecnológicos e enxergam o mundo  a partir da disponibilidade de informações rápidas e acessíveis. 

O mesmo se aplica às gerações seguintes. Hoje, as crianças e os adolescentes vivem o digital como uma parte comum do seu dia a dia. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2019, 78,3% das pessoas com mais de 10 anos já utilizam a internet.

Uso de dados para aprimorar

Uma das grandes vantagens da gamificação na educação com o suporte da tecnologia é a possibilidade de coletar dados sobre os usuários de maneira prática e rápida. Isso ajuda a trazer conteúdos personalizados para cada perfil de criança, coisa que seria impossível para um professor fazer manualmente.

Dessa forma, a inteligência artificial consegue identificar onde o aluno está se saindo bem ou não. Então, conforme as atividades disponibilizadas pelos professores, é possível indicar aquelas que são mais adequadas para potencializar as habilidades que precisam ser desenvolvidas.

Quais tecnologias podem ajudar?

Para se obter o máximo aproveitamento da gamificação na educação, é interessante conhecer as tecnologias disponíveis. Nesse sentido, damos destaque para a  conectividade e os dispositivos móveis.

É somente com a soma desses fatores que é possível aproveitar ao máximo as inovações que a inteligência artificial permite. Assim, ter uma rede de internet estável e aparelhos compatíveis é essencial para garantir a aprendizagem ativa por meio da gamificação na educação.

Cloud Computing

Cloud Computing, ou Computação em Nuvem: tecnologia que está possibilitando o surgimento de diversas soluções inovadoras para todos os segmentos do mercado. Por meio dela, a mobilidade é estimulada: é possível acessar aulas interativas de qualquer lugar do mundo.

Business Intelligence

Business Intelligence, ou Inteligência do Negócio: solução em que a inteligência artificial usa a coleta de dados para gerar relatórios personalizados. Inclusive, é também um desdobramento da Computação em Nuvem. 

Assim, por meio dos dados de acesso do usuário, é possível mapear seu comportamento e trazer análises para aprimorar a sua experiência.

Internet of Things

Internet of Things, ou Internet das Coisas, é uma solução que tende a conquistar ainda mais espaço até o final da década de 2020, em decorrência da chegada da tecnologia 5G no Brasil. Basicamente, ela integra o ambiente físico com o virtual. 

É mais fácil constatar a sua aplicação no conceito de espaços inteligentes. No entanto, ela pode ser observada na educação também por meio do ensino de robótica, por exemplo. Já há escolas que estão oferecendo aulas de programação desde o Ensino Médio.

Como implementar a gamificação na educação?

Gamificação facilita aprendizado
A gamificação na educação pode ajudar a melhorar a inclusão através do uso da tecnologia

Para quem está buscando empreender, vale a pena pensar em criar uma startup de gamificação na educação e levar essa solução para as instituições de ensino e para as corporações também. Essa é uma das novidades que já é tendência no mercado.

Segundo o Edtech Report 2020, da Distrito, hoje o Brasil conta com mais de 500 startups no setor educacional. A Educação Infantil é o segmento que menos tem startups. Ou seja, é uma oportunidade para quem quer investir. Afinal, as novas gerações estarão ainda mais conectadas com o digital.

Além disso, ter uma empresa que ajuda outros negócios a implementarem a gamificação prestando suporte também se mostra uma ótima alternativa. Dessa forma, os clientes ficam focados na sua atividade-fim, enquanto especialistas no assunto realizam o projeto personalizado para os desafios de cada modelo de negócio.

Agora, para quem já quer começar a implementar essa solução e aprimorar a experiência dos alunos, apresentamos a seguir dicas essenciais para evitar erros no processo.

Faça benchmarking

O benchmarking é uma boa prática que deve ser feita em qualquer tipo de projeto. É um recurso de gestão que ajuda a tomar decisões mais precisas.

Uma instituição de ensino, por exemplo, pode buscar empresas do mesmo ramo que não sejam concorrentes diretas e que já pratiquem a gamificação na educação de alunos, para trocar ideias sobre a experiência. O mesmo vale para empresas que estão buscando otimizar os resultados da sua educação corporativa.

Ouça seus usuários

A gamificação na educação está se consolidando com uma realidade não apenas do ensino remoto, da educação a distância. Ela deve se tornar uma rotina, uma nova realidade considerando o perfil comportamental das novas gerações.

Independentemente da faixa etária, é fundamental ouvir as pessoas que vão usar o game. Por isso, faça uma pesquisa no início da consolidação da solução, durante e depois. Aqui, é interessante destacar que as otimizações da ferramenta serão contínuas para entregar experiências cada vez mais personalizadas para cada um.

Tenha um planejamento

O planejamento é necessário para definir quais são os objetivos da gamificação na educação de uma instituição de ensino ou de uma corporação. Esse recurso ajuda a traçar a rota, ou seja, o caminho a ser percorrido. Provavelmente, tornará menores as chances de imprevistos.

Invista na ferramenta adequada

Um dos principais papéis do seu planejamento estratégico é definir o que não se pode “abrir mão” na hora de escolher uma ferramenta de gamificação. Para que isso seja feito corretamente, é interessante listar quais são as funcionalidades essenciais. Então, podemos citar exemplos de recursos:

  • Interface inclusiva para pessoas com deficiência
  • Interatividade dos usuários facilitada
  • Coleta de dados para People Analytics
  • Oportunidade de integração com outros recursos

Esses são alguns pontos importantes de se ter atenção na hora de escolher uma ferramenta de gamificação na educação. Porém, podem haver muitos outros de acordo com o perfil do ambiente que a solução será implementada. 

Conte com parcerias estratégicas

Com certeza, um dos pontos que mais impactam no sucesso da implementação da gamificação na educação é a escolha do fornecedor das soluções. Sempre que se for contratar um produto ou serviço é fundamental considerar a reputação do fornecedor. 

Pensando em todas os elementos necessários para isso, há a necessidade de contar com interfaces de

  • Conectividade;
  • Segurança de dados;
  • Colaboratividade.

Esses são aspectos que vão influenciar no desempenho de uma ferramenta específica de gamificação na educação. Afinal, é preciso garantir a conexão da aplicação, a segurança da informação que está ali e ainda estimular que os alunos interajam entre si. Nesse sentido, temos também a importância de uma ferramenta de comunicação.

A Vivo Empresas tem levado conectividade e inovação para negócios de diversos segmentos.

As soluções podem ser usadas tanto em espaços de instituições de ensino como em cenários corporativos. Sobretudo, elas são versáteis e podem ser adaptadas para as necessidades de qualquer um desses modelos de negócios.

Além das tradicionais soluções em conectividade, como internet banda larga, é possível contratar serviços como o Microsoft Teams, que permite potencializar a comunicação. Inclusive, essa ferramenta tem sido adotada por muitas instituições de ensino, já que ela permite criar ambientes de salas de aula virtuais.

Em síntese, constatamos o quanto a gamificação na educação consegue potencializar a capacidade de aprendizagem e como a tecnologia pode ajudar nisso. Com o intuito de se beneficiar desse recurso, diversos níveis de ensino podem implementar essa solução, inclusive o corporativo.

Se gostou deste post, talvez também queira conferir:

Até a próxima!

Foto do autor
Solicite um contato