Educação e tecnologia: conexão direta da escola com o ensino do futuro

Modernizar as formas de ensino é essencial para trazer novas oportunidades às instituições escolares

10/11/2020 às 16:33

Educação e tecnologia nunca estiveram tão próximas. Assim como em outras áreas, o setor de ensino também precisou migrar para o digital e se adaptar rapidamente, para continuar com suas atividades durante a pandemia. 

A implementação de inovações, que já vinha ocorrendo antes da crise da Covid-19, se tornou ainda mais importante e esperada por professores, alunos e pais.

Por isso, colégios e universidades buscam, através das soluções digitais, trazer uma melhor experiência ao professor e ao aluno, seja em aula presencial, a distância ou em um modelo híbrido.

Neste artigo, você verá:

  • Educação e tecnologia: o cenário hoje
  • A popularização do ensino a distância
  • Tendências de educação e tecnologia para os próximos anos

Educação e tecnologia: o cenário hoje

Há algum tempo, o setor já se beneficia com a introdução de inovações nas salas de aula, bem como da expansão do ensino a distância (EAD)

Durante a pandemia, a necessidade de aulas e atividades não presenciais deu espaço a uma série de rápidas modernizações, visando reduzir os prejuízos ao desenvolvimento educacional dos estudantes . 

De acordo com uma pesquisa da Datafolha, encomendada pela Fundação Lemann, 74% dos discentes da rede pública estavam recebendo atividades pedagógicas não presenciais durante a pandemia. Além disso, o levantamento ainda apontou que 54% dos pais e responsáveis afirmaram ver motivação nas crianças e jovens com esse aprendizado remoto

Já um estudo realizado pelo Google revela que houve um crescimento de 73% na busca por softwares educacionais e educação online no Brasil no ano de 2020.

Acima de tudo, é preciso levar em conta como a tecnologia já permeia o cotidiano do brasileiro em diferentes faixas etárias. Em um relatório da consultoria App Annie sobre uso de aplicativo, o Brasil aparece como o terceiro país em que as pessoas mais passam tempo em aplicativos, totalizando 3 horas e 40 minutos

Em outras palavras, cada vez mais se torna possível utilizar esse potencial de conectividade e uso de smartphones para um propósito pedagógico. Como exemplo, passar conhecimento de uma forma interativa, que gere mais interesse por parte do aluno.

Webinar | Tendências na nuvem manter empresa protegida_V1

A popularização do EAD

No panorama atual, o EAD – que une educação e tecnologia para dar a oportunidade do aprendizado sem limitações geográficas -, ganha ainda mais espaço. 

Com ele, é possível, por exemplo, que uma pessoa morando no interior tenha acesso às principais instituições educacionais das capitais ou até mesmo de fora do país. 

Como resultado dessa maior acessibilidade, o EAD vem crescendo no Brasil. Segundo dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), o número de novos alunos em cursos a distância do Ensino Superior aumentou quase 5 vezes em 10 anos. Isso significa que, em 2009, cerca de 330 mil estudantes optaram por esse modelo, ao passo que, em 2019, já havia mais de 1 milhão e meio de estudantes em EAD.


LEIA MAIS: EAD e tecnologia transformam o futuro da educação e impulsionam inovação


Além disso, o modelo semipresencial também está em evolução, como mostra o último censo realizado pela Associação Brasileira de Educação a Distância (ABED). De 2017 para 2018, foram criados 3.000 novos cursos nesse formato. Inclusive, essa modalidade atrai uma maior faixa etária, embora com menor volume de discentes, que os estritamente remotos:

  • Entre 21 e 25 anos: 24,6% semipresenciais e 6,7% totalmente a distância;
  • Entre 26 e 30 anos: 24,6% semipresenciais e 39,3% totalmente a distância;
  • Entre 31 e 40 anos: 17,3% semipresenciais e 37% totalmente a distância.

Independentemente da modalidade, o curso deve ser muito mais do que apostilas digitais ou teleaulas. É importante utilizar os recursos disponíveis em cada meio, pois, assim, pode-se construir uma forma de estudo.

Tendências de educação e tecnologia para os próximos anos

Dentro ou fora da sala de aula, a inovação já é (e será cada vez mais) uma grande aliada. Aliás, já há algumas tendências que podem ser consideradas guias do futuro das instituições de ensino no Brasil.

Uso de Realidade Aumentada e Realidade Virtual

As tecnologias imersivas ganharão a vez trazendo mais estímulos visuais para auxiliar na sala de aula. Os usos desses recursos vão desde visitar digitalmente lugares históricos ou acidentes geográficos a, até mesmo, um auxílio a estudantes de medicina durante aulas de anatomia.

Vale destacar que essa já é uma tendência mais cristalizada no comportamento das pessoas. De acordo com a consultoria Forrester, em seu relatório sobre as principais tendências para 2021, 10% a 12% dos consumidores americanos irão começar a utilizar a realidade aumentada, chegando a quase metade da população do país.

Internet das Coisas (IoT)

Até 2027, existirão mais de 40 bilhões de dispositivos conectados, de acordo com estudo publicado pelo Business Insider Intelligence em março de 2020. Toda essa conexão gera dados em tempo real que podem ser analisados para melhoria de processos e logística, por exemplo. 

Pesquisa da consultoria Gartner, por sua vez, aponta que 47% das corporações irão aumentar seus investimentos em IoT, apesar do impacto da pandemia de Covid-19.

Nas escolas, é possível ajudar não apenas a monitorar os ambientes, como também analisar a qualidade do ar e mapear o fluxo de estudantes, trazendo mais inteligência à gestão. A Vivo Empresas tem tecnologia de ponta em IoT para que sua companhia aproveite os benefícios dessa solução.

Conectividade e Segurança

Para que toda essa estrutura funcione de maneira eficiente, as empresas precisam contar, em primeiro lugar, com uma estrutura de Conectividade estável e segura, que possa comportar diversos alunos e até mesmo eventuais picos de acessos em momentos de matrícula ou de promoções.

Adicionalmente, um cuidado mais importante ainda é com a questão de segurança. De acordo com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), as empresas têm a responsabilidade pelas informações coletadas. De acordo com a Gartner, o reforço na privacidade e segurança é uma das principais tendências para 2021.

Tanto para proteger sua instituição quanto para contar com uma conectividade melhor, a Vivo Empresas está à disposição para negócios de todos os tamanhos.


LEIA MAIS: LGPD: como as escolas serão impactadas pela lei de dados pessoais?


Conclusão

Na inovação do setor e seus formatos, educação e tecnologia estão completamente conectados. Na sala de aula, essas ferramentas já estavam presentes para complementar e trazer novos estímulos aos estudantes. 

Nesse caminho, a expansão do ensino remoto, impulsionada pela pandemia, modernizou essa modalidade. E, dessa forma, abriu um novo leque de possibilidades de uso de soluções digitais nas instituições escolares.

Realidade Aumentada e IoT já estão no horizonte do setor. Contudo, como foi explicado, é necessário assegurar dois pilares: uma conectividade robusta e a segurança dos dados dos alunos e professores. 

Portanto, para trazer todos esses recursos, é preciso contar com um parceiro estratégico para fornecer a estrutura e as soluções necessárias.

A Vivo Empresas conta com um portfólio completo com soluções para dentro e fora da sala de aula. Para acelerar a digitalização de organizações educacionais, oferece serviços como Conectividade, Equipamentos, Cloud, Segurança, Big Data, Ferramentas de Colaboração, TI, Gestão de Tecnologia e IoT.

Quer saber mais sobre o assunto? Confira nossos artigos:

Compartilhe este conteúdo!

Solicite um contato
campo obrigátório

Enviamos conteúdos do seu interesse para seu e-mail, cancele a qualquer momento.

Cadastro efetuado com sucesso!

Em breve você receberá os melhores conteúdos para ajudar a gerenciar, expandir ou inovar o seu negócio