Como a realidade estendida pode impactar nosso cotidiano?

Foto do autor

Do mundo dos games ao de saúde, todos os setores estão buscando aumentar a identificação dos clientes com a marca e melhorar a experiência com os seus produtos. É nesse cenário que surge o conceito de Realidade Estendida – termo que engloba tecnologias imersivas como Realidade Virtual (RV), Realidade Aumentada (RA) ou Realidade Mista (RM). 

A Realidade Estendida já invadiu nosso cotidiano e diversas áreas da indústria. Muitas empresas usam esses recursos, seja para treinamento, para aprimoramento da produção, no processo educacional ou para fazer os clientes testarem antes de comprar. 

Junto com outras tecnologias como a Internet das Coisas (IoT), 5G, Inteligência Artificial (IA) e Cloud, essas inovações que combinam o mundo real com o virtual prometem moldar o nosso futuro. 

Continue lendo, pois no artigo a seguir vamos falar sobre:

  • O que é Realidade Estendida?
  • A diferença entre  Realidade Virtual e Realidade Aumentada
  • As aplicações práticas dessas inovações 
  • As perspectivas para o setor

O que é Realidade Estendida?

A Realidade Estendida (ou XR, do inglês Extended Reality) é um termo criado para abranger diversas tecnologias que mesclam os mundos físico e virtual ou, então, que criam uma experiência totalmente digital para os usuários.

A tecnologia encontra-se na interseção de três outras inovações: Realidade Virtual (RV), Realidade Aumentada (RA) e Realidade Mista (RM). Ao reunir tudo isso, a XR pode revelar uma nova e ampla gama de oportunidades em ambientes reais e virtuais.

Para entender o que é Realidade Estendida, é preciso, primeiro, definir melhor os três componentes mencionados acima.  

1. Realidade Virtual 

A RV é um ambiente 3D totalmente simulado por computador, que permite aos usuários explorar e interagir com um ambiente online. A realidade é criada com hardware e software de computador e exige o uso de dispositivos como capacetes ou óculos para interagir com o novo mundo.  

Nesse sentido, é uma experiência imersiva, pois o real é substituído pelo virtual, com inúmeras possibilidades fantásticas, que talvez não fosse possível visualizar sem a ajuda dos equipamentos. Quanto mais profundamente os usuários conseguirem mergulhar em um ambiente de RV – e bloquear seu ambiente físico -, mais a experiência é bem-sucedida.

2. Realidade Aumentada 

A Realidade Aumentada (RA) é uma versão aprimorada do mundo físico real,  alcançada por meio do uso de elementos visuais digitais, som ou outros estímulos sensoriais desenvolvidos com a ajuda de softwares e de dispositivos, como celulares ou tablets. 

A RA usa o ambiente do mundo real existente e coloca informações virtuais suplementares para aprimorar a experiência. O melhor exemplo para entender é o game Pokémon Go. 

Nele, os jogadores precisam procurar os personagens em um ambiente real: a sala de casa, a rua, a loja. Tudo isso já existe e é colocado um elemento virtual (o Pokémon) em cima. 

Ela se diferencia da RV justamente porque não cria um ambiente totalmente novo e imersivo, é apenas um aumento da realidade que já existe. Além disso, não exige o uso de óculos 3D ou outros dispositivos. A RA, em geral, é usada apenas com um smartphone. 

3. Realidade Mista ou Híbrida 

Agora, vamos imaginar que seja possível misturar as duas tecnologias – RA e RV. Então, nós teremos a Realidade Mista (ou Híbrida). 

O termo foi apresentado originalmente em um artigo de 1994, escrito por Paul Milgram e Fumio Kishino, intitulado A Taxonomy of Mixed Reality Visual Displays e representa o que há de mais promissor na capacidade de combinar o mundo virtual com o real

Como explicado anteriormente, a inovação é a mistura das duas outras, pois consegue mapear sensoriamento, geolocalização e movimentos ao mesmo tempo. 

Um jogador de videogame poderia interagir com o personagem virtual do jogo, pegar a sua água na prateleira para beber e, caso seja atacado nesse meio-tempo, jogar a garrafa d’água para se defender. É a mistura completa entre real e virtual.  

7 áreas para uso da Realidade Estendida no mundo atual 

Em resumo, a XR  é formada por todas as outras: RV, RA e RM. O termo também irá abranger qualquer tecnologia imersiva que permita uma extensão da realidade, misturando elementos gráficos virtuais com o mundo que conhecemos. 

Isso inclui inovações como Inteligência Artificial (IA), Internet das Coisas (IoT), rede 5G, entre outras como o Metaverso. Agora falta entender melhor como pode ser usada em alguns setores da indústria. 

1. Educação 

A área de educação talvez seja uma das mais promissoras se levarmos em conta os benefícios do uso da XR. As possibilidades são enormes. Por exemplo, uma das dificuldades do sistema de ensino é fazer com que os alunos se interessem pelas aulas, e as tecnologias imersivas ajudam a resolver esse problema. 

Por exemplo, é muito mais interessante passear pela Roma antiga com óculos virtuais do que escutar o professor falando durante 2h. Além disso, algumas pessoas possuem memória visual, ou seja, aprendem mais visualizando o problema e não apenas lendo ou ouvindo alguém falar. Nesses casos, a Realidade Estendida consegue agregar valor real ao processo de aprendizagem. 

Essas tecnologias de XR podem criar mundos imersivos que permitem visualizar conceitos e aprender novas habilidades e informações de forma interativa. Talvez por isso as perspectivas sejam tão boas. 

Espera-se que o mercado global de XR atinja US$ 1,24 bilhão em 2035, de acordo com a análise da Emergen Research, publicada na Newswire Extended Reality Market Size, de setembro de 2022. Um dos  setores que mais irá contribuir para o crescimento é o de educação, conforme o levantamento. 

2. Saúde e autocuidado

Um setor que vem sentindo as vantagens da Realidade Estendida é o da saúde e autocuidado, desde soluções mais básicas, como os aplicativos de meditação que usam RV para imersão, até situações mais complexas, como cirurgias a distância e simulações de órgãos do corpo humano para fins de treinamento médico. 

O app Guided Meditation, por exemplo, fornece mais de 100 cenários como praias e montanhas para as pessoas se transportarem e relaxar. Os dispositivos de headset ajudam para que a atmosfera seja totalmente imersiva e, assim, mais eficaz. 

Aqui no Brasil, um projeto é o da Hermes Pardini, para ajudar crianças a vencerem o medo da vacina. Enquanto a enfermeira faz os preparativos, os pacientes assistem a uma animação em 3D com ajuda de um headset para imersão. As crianças ficam mais relaxadas e perdem o medo da agulha. 

Outro exemplo é da AccuVein, que criou um mapa de veias que se sobrepõem à pele do paciente. A tecnologia é usada para ajudar os médicos e enfermeiros a encontrar veias que, de outra forma, não poderiam ser vistas nem sentidas. Neste caso, a tecnologia facilita a aplicação de medicamentos ou retirada de sangue. 

O mercado global de RV e RA no setor de saúde foi avaliado em US$ 2,3 bilhões em 2021 e está projetado para atingir cerca de US$ 19,6 bilhões até 2030, segundo o estudo Augmented and Virtual Reality in Healthcare Market, da Precedence Research, de agosto de 2022. 

3. Agronegócio 

O mundo atual enfrenta alguns desafios como as mudanças climáticas, a exigência global de uma agricultura sustentável e, ao mesmo tempo, a obrigação de produzir uma maior quantidade de alimentos para suprir as necessidades de uma população crescente.

A solução para produzir mais em um espaço menor, sem dúvidas, é a tecnologia. A Realidade Estendida tem sido uma aliada nesse sentido, e vem transformando a forma como os alimentos são produzidos. A inovação permite que os agricultores aumentem o que veem com seus olhos para avaliar a fertilidade do solo, a qualidade da produção, pragas e doenças. 

Em seguida, com ajuda de softwares de gestão, big data e conectividade, conseguem usar essas informações para selecionar colheitas e escolher práticas de manejo ideais. Ao ar livre, os aplicativos RA podem rastrear e ajustar os limites digitais para pastagem na pecuária.

Além disso, tecnologias de Realidade Estendida podem aprimorar a segurança no campo. Por exemplo, um sistema de RA da Universidade de Nebraska identifica perigos na fazenda durante emergências e notifica os socorristas. 

4. Indústria automotiva 

O setor de automóveis sempre buscou inovação para tornar os carros mais modernos, seguros e confortáveis. Não seria diferente com as tecnologias de Realidade Estendida, pois vêm sendo usadas em diversas aplicações no meio automobilístico. 

O primeiro uso é no treinamento. Afinal, simuladores de direção são ótimos aliados para colocar nas estradas motoristas tecnicamente mais capazes. Isso já acontecia com os pilotos de avião. 

Na indústria em si, empresas como a Porsche usam óculos de RA para otimizar o trabalho dentro das fábricas – o Tech Live Look

Com esse equipamento, os técnicos podem ver os esquemas de um veículo sobrepostos às partes físicas do carro, para entender melhor como tudo funciona. Conforme a própria empresa, isso reduz em 40% o tempo de resolução de problemas. 

Já a Ford desenvolveu o laboratório virtual – Ford Immersive Vehicle Environment, onde seus projetistas e engenheiros podem colaborar em projetos de carros, independentemente de onde estejam no mundo. 

Nesse sentido, outra vantagem do uso da Realidade Estendida no setor está na experiência dos clientes. O comprador pode visualizar e experimentar todas as características de qualquer modelo de carro no conforto de casa, por meio de ferramentas de RV. 

5. Entretenimento e esportes 

Os aplicativos de Realidade Estendida têm a indústria do entretenimento como base, afinal, é onde mais se desenvolvem aplicativos que chegam ao usuário final. Os filtros divertidos do Instagram são RA, assim como o jogo Pokémon Go. 

Por outro lado, a RV consegue viabilizar um concerto musical ao vivo sem precisar que as pessoas se encontrem ou se desloquem. Um exemplo foi o show Muse: Enter the Simulation, uma iniciativa da banda Muse e do Stageverse, que proporcionou uma experiência de Realidade Mista entre os fãs. 

Por meio do aplicativo, pode-se criar um avatar e explorar o show de 16 ângulos diferentes em 360°. Também era possível encontrar-se com amigos ou com outros participantes do evento, gravado no Estádio Metropolitano de Madrid. 

No mundo dos esportes, a tecnologia também já está presente. O desempenho dos atletas pode ser melhorado com a RV, pois estimula o programa de treinamento com opções personalizadas para aumentar e melhorar as habilidades. 

6. Bares e Restaurantes 

Na indústria de alimentos, uma das expectativas é popularizar o uso da RA para dar vida aos pratos nos cardápios. Ao contrário dos menus regulares, os menus interativos permitem que os clientes vejam todos os detalhes da refeição, incluindo a textura, o tamanho das porções e informações adicionais, como ingredientes. 

Isso poderia aumentar a probabilidade de pedirem algo que realmente queiram e melhorar as taxas de satisfação. 

Um exemplo que chamou a atenção há alguns anos foi o Mirage By City Social, o coquetel em RA criado pelo restaurante City Social, em Londres.  Uma vez que o cliente apontava o celular para a bebida, a tecnologia mudava a percepção sobre o coquetel, pois novas informações eram adicionadas.

Outra iniciativa interessante é do Le Petit Chef, um jantar especial que usa RA para criar ilusão sobre a mesa, como um fundo do mar, paisagens tropicais e até um pequeno chef em miniatura preparando o jantar na frente do cliente. A intenção é melhorar a experiência gastronômica como um todo e engajar os frequentadores do restaurante. 

7. Turismo 

Quando estourou a pandemia mundial da Covid-19, um dos setores mais afetados foi o de turismo, afinal, ninguém sabia quando ia ser possível, novamente, cruzar fronteiras e viajar. Uma saída no período foi promover os passeios virtuais. De lá para cá, a experiência foi se transformando. 

Hotéis estão usando a RA para mostrar aos hóspedes com antecedência como eles serão recebidos, incentivando a explorar a propriedade virtualmente. Um exemplo é o Atlantis The Palm, em Dubai – situado em The Palm Jumeirah, o famoso arquipélago artificial em forma de palmeira. 

O hotel criou um vídeo panorâmico 360°  em RV para servir como um test-drive para os futuros hóspedes. 

De maneira geral, as perspectivas são ótimas para o setor. O mercado de turismo virtual foi avaliado em US$ 5 bilhões em 2021 e deve atingir US$ 24 bilhões até 2027, segundo o relatório do Statista Global virtual tourism market value 2021-2027, de abril de 2022.

Por fim, para companhias que desejam dar um passo adiante no mundo virtual, a Vivo Empresas está pronta para auxiliar. Afinal, tem um portfólio completo em soluções inovadoras baseadas em Cloud Computing, Internet das Coisas (IoT), conectividade e digitalização.

Leia mais sobre os pilares da realidade estendida nestes artigos publicados anteriormente: 

Até a próxima!

Foto do autor
Solicite um contato