Digitalização da educação: conheça as vantagens

Ambiente digital de aprendizado, novas ferramentas e conexão segura auxiliam na ampliação no País

12/08/2020 às 9:00

Conforme a tecnologia avança nas rotinas das grandes cidades, muitos questionamentos surgem sobre seus impactos em segmentos como saúde, economia e mobilidade. No entanto, um dos setores que mais se transformou nas últimas décadas foi a educação, pois, conforme as novas gerações iniciam suas trajetórias no meio acadêmico, naturalmente demandam a aplicação de novas tecnologias em processos rotineiros. 

Nesse contexto, a digitalização da educação se tornou uma realidade dentro das salas de aula. Conseguir identificar as melhores formas de uso e como impactar positivamente alunos e outros docentes é um desafio, mas alguns caminhos promissores têm auxiliado nessa jornada.

Neste artigo, você vai ver:

  • Do tradicional à digitalização da educação
  • Adaptação das escolas às novas gerações
  • Investimentos na digitalização do ensino no Brasil
  • Os benefícios desse processo na educação
  • A estrutura para educação digital

Imagem de um quadro negro  com um avião desenhado em giz de cera e dentro dele lápis coloridos.
Educação inova, principalmente, para atender as novas gerações de alunos. Foto: Freepik

Do tradicional à digitalização

O primeiro registro do modelo educacional que conhecemos atualmente ocorreu na Europa no século 12. Entretanto, vale ressaltar que diversas gerações de crianças, na Grécia Antiga, há cerca de 2.400 anos, eram educadas informalmente. Além disso, na Idade Média, somente membros da igreja e adultos da nobreza tinham acesso ao ensino.

No Brasil, a primeira escola foi fundada em Salvador (BA), em 1549, e a segunda só seria aberta em São Paulo, cinco anos depois. Somente três séculos mais tarde, em 1808, foi inaugurada a primeira faculdade do País: a Faculdade de Medicina da Bahia.

No início, as inovações nas instituições de ensino se davam apenas pela metodologia aplicada em sala de aula ou pela bibliografia seguida. Porém, com o surgimento da internet e, principalmente, com a popularização dos smartphones a partir dos anos 2000, a necessidade de acelerar a transformação digital da educação ficou mais latente

Por conta disso, nas últimas décadas, o processo de digitalização da educação vem avançando. E, cada vez mais, a tecnologia é aplicada desde o ensino infantil ao superior como forma de adaptação às necessidades do mercado e do mundo. E como resposta às demandas de usabilidade das gerações mais conectadas

LEIA MAIS:

Imagem de uma mulher sorrindo com seus dois filhos assistindo algo no notebook para simbolizar a digitalização na educação.
Novas gerações são mais conectadas e a digitalização da educação acompanha o processo. Foto: Freepik

Adaptação das escolas às novas gerações

Inovar ou se ajustar aos novos grupos de alunos significa investir em ferramentas tecnológicas sempre atualizadas. Um relatório publicado pelo Gartner, em outubro de 2019, indica que os recursos  destinados para tecnologia por governos e empresas privadas no cenário educacional podem alcançar US$ 670 bilhões até 2023.

A conexão entre instituições públicas e privadas é um dos movimentos mais importantes nesse momento, pois possibilitará inovações mais ágeis e relevantes.

Um desses exemplos é a Cisco, que em 2016, anunciou a parceria com Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF) e a Comissão Econômica das Nações Unidas para América Latina e Caribe (CEPAL). O objetivo era ampliar a digitalização da educação dos países latinos, além de capacitar alunos e professores para esse novo modelo.

Outro exemplo de como a tecnologia pode alcançar bons resultados na educação é o da professora de educação infantil Viviane Ferreira. Por causa da pandemia da Covid-19, a docente ampliou seu conhecimento em tecnologia e, por conta própria, ministrou aulas online por meio de videoconferência e filtros divertidos no processo de alfabetização da turma. 

A educadora utilizou equipamentos próprios e realizou alinhamento do processo de ensino junto com os pais, de modo que os alunos tivessem acesso ao conteúdo de maneira segura e fácil.  

Para Viviane, uma de suas maiores preocupações é criar uma conexão genuína com seus estudantes, mesmo distante:

“O maior desafio nisso tudo é prender a atenção dos alunos e fazer com que eles me escutem. Como estou de um lado da tela e eles do outro, minha preocupação é ‘será que estou chegando até eles, será que estão me entendendo?

Professora de educação infantil Viviane Ferreira.

Investimentos na transformação digitalização da educação no Brasil

Em 2019, o Ministério da Educação apresentou o plano de transformação digital da educação no Brasil. A medida visa unificar diversas plataformas de serviços e gerar uma economia de R$ 32,5 milhões para os cofres públicos.

Os investimentos serão divididos em categorias como:

Imagem de duas mulheres sentadas e um home de pé olhando um computador em meio de um biblioteca.
Investimentos em educação devem ir de ensino básico ao superior. Foto: Freepik

Os benefícios da digitalização da educação

A união entre tecnologia e educação tem diversos pontos positivos:

  • Permite maior efetividade na absorção do conhecimento, já que amplia discussões e facilita a disseminação do ensino;
  • Redução de custos: com o uso massivo de um ambiente virtual, os investimentos em uma infraestrutura física diminuem;
  • Desburocratização dos processos: a impressão de apostilas, por exemplo, pode ser substituída por versões digitais e as aulas presenciais por turmas a distância;
  • Acessibilidade: no Brasil, quase 28% da população não tem acesso a educação e, muitas vezes, o fator econômico é apontado como a principal causa dessa realidade. No entanto, essa situação pode mudar com a massificação da tecnologia na educação, com a criação de polos tecnológicos a custos mais acessíveis e capazes de romper as fronteiras físicas;
  • Facilidade de compartilhamento, tanto de documentos quanto de conhecimento. Sem a digitalização da educação, esse processo se torna muito mais complexo.

Conclusão

De forma ampla, a digitalização da educação ultrapassa a inserção de desktops nas salas de aula. Para se criar um ambiente produtivo que conecte educação e tecnologia, alguns pontos devem ser levados em consideração sempre prezando pela qualidade do ensino.

A qualidade da conexão é uma delas. E isso abrange desde a internet que os profissionais irão usar, até a garantia da estabilidade do site da escola ou do ambiente virtual de aprendizagem disponibilizado aos alunos. 

Esse modelo, portanto, permite o desenvolvimento de escolas superconectadas e, com elas, um cenário fértil para que os resultados apareçam no curto prazo.

Outro ponto importante é a proteção das informações pessoais de alunos e funcionários. Com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), diversas regras sobre a manipulação e a preservação desses ativos deverão ser seguidas. 

Portanto, a atenção com o armazenamento e atenção às ações que podem ser realizadas com essas informações, além de toda a transparência, serão primordiais para escolas públicas e privadas.

A Vivo Empresas possui soluções que impactam diretamente o cenário educacional. Com os planos de Internet Dedicada ou redes móveis, docentes, instituições de ensino e alunos terão a estabilidade necessária para aprender com qualidade. 

Além disso, as soluções em Cloud da Vivo Empresas auxilia no armazenamento das informações com segurança e flexibilidade, desta forma, se adequando a cada instituição de ensino ou profissional. 

Quer saber mais sobre os benefícios da implementação da tecnologia em organizações educacionais? Então, indicamos outras matérias sobre o uso da tecnologia e educação:

Esperamos que tenha aproveitado a leitura!

Até breve!

Compartilhe este conteúdo!

campo obrigátório

Enviamos conteúdos do seu interesse para seu e-mail, cancele a qualquer momento.

Cadastro efetuado com sucesso!

Em breve você receberá os melhores conteúdos para ajudar a gerenciar, expandir ou inovar o seu negócio