Restaurantes na Páscoa: veja como faturar mesmo com as restrições

23/03/2021 às 10:16

As restrições impostas pela pandemia têm impactado diretamente muitos setores. Um deles é o de bares e restaurantes que, nesse período, tem precisado buscar alternativas para manter o faturamento em dia. 

Na Páscoa de 2021 não será diferente. O delivery promete ser a “estrela” desses estabelecimentos, o que exige um reforço na operação.

Além disso, é possível valer-se de recursos tecnológicos para garantir mais segurança à experiência presencial, caso seja permitido. Em todos os casos, é preciso preparar os ambientes e também as equipes para um formato que depende de bastante dedicação.

A digitalização, mais uma vez, aparece como elemento facilitador. Neste artigo, mostramos justamente como estruturar uma operação eficiente neste contexto. Veja também:

  • Restaurantes na Páscoa: expectativas para 2021
  • A internet como aliada
  • Como turbinar a infraestrutura dos restaurantes na Páscoa
  • O delivery como ponto de partida
  • Reforce a segurança
  • Restaurantes na Páscoa: e os salões?
  • Conclusão

Restaurantes na Páscoa: expectativas para 2021

A Páscoa é a primeira data comemorativa que, mais uma vez, acontecerá em meio à pandemia. Em 2020, setor de chocolates, por exemplo, as vendas recuaram 33% em relação a 2019, segundo a Consultoria Boa Vista.

Nos restaurantes o cenário não foi diferente. De acordo com o Instituto Foodservice Brasil (IFB), em abril de 2020 as vendas caíram 55,9% na comparação com 2019. Para 2021, a expectativa é que exista uma ligeira melhora, embora os indicadores dificilmente voltem ao que era registrado antes da Covid-19.

A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) avisou que, apesar da projeção total de faturamento para este ano (R$ 215 milhões) estar abaixo da média, é maior do que o registrado no ano passado (R$ 175 milhões). Para se ter uma ideia, 60% das empresas do setor afirmaram que operam em prejuízo.

Uma forma efetiva de reverter a crise, ressaltou a consultoria Gartner, é digitalizar a operação, valendo-se de recursos que otimizam o delivery, facilitam o contato com os consumidores, contribuem para a produtividade das equipes e contribuem para a gestão dos processos.

Webinar | Tendências na nuvem manter empresa protegida_V1

A internet como aliada

A necessidade de isolamento social fez as pessoas adotarem o hábito de comprar pela internet. Somente no primeiro semestre de 2020, de acordo com a 42ª edição do Webshoppers, pesquisa da Ebit|Nielsen, o setor de e-commerce cresceu 47%. Foi a maior alta em 20 anos.

Portanto, neste cenário, é fundamental seguir esse movimento. Ou seja, pensar em estratégias específicas para venda online. Isso vai além do delivery, por exemplo. Para driblar a crise, diversos estabelecimentos criaram kits com os seus pratos principais pré-prontos. Funciona assim: o consumidor realiza a compra pelo site, pelas redes sociais ou aplicativos.

Quando o recebe, basta fazer alguns preparos básicos, como esquentar e misturar os molhos, e servir. Um dos estabelecimentos que adotaram tal estratégia foi o restaurante Glouton, do chef mineiro Leonardo Paixão.

Além disso, a pandemia estimulou a criação de uma modalidade conhecida como ghost kitchen (ou cozinha fantasma, em português). Muitos chefs optaram por vender prato somente a partir de deliveries, abrindo mão dos ambientes físicos e, muitas vezes, cozinhando em suas próprias casas.

Para criar esse tipo de serviço, no entanto, é preciso ter uma infraestrutura específica. A começar pela conectividade, que é a base de todas as operações. É essencial ter uma conexão robusta, que permita que os colaboradores trabalhem integrados, a partir de dispositivos ligados à rede.

É o que viabiliza que o trabalho seja contínuo e harmonioso, mesmo quando há colaboradores atuando a distância.

Como turbinar a infraestrutura dos restaurantes na Páscoa

Não basta criar promoções e kits, por exemplo. Os estabelecimentos devem ter uma estrutura adequada para atender aos pedidos online, com disponibilidade e eficiência. É fundamental que o e-commerce esteja pronto para suportar a demanda, com uma hospedagem robusta.

Além disso, a logística precisa estar bem articulada e o estoque em dia para não decepcionar os consumidores. É preciso ter em mente que em épocas especiais, como a Páscoa, as redes podem ficar sobrecarregadas. 

Portanto, é preciso estar preparado para atender os pedidos, levando em conta três importantes pilares:

  • Tecnologia: escolher as ferramentas adequadas para atender a demanda da Páscoa, o que significa reforçar a estrutura do e-commerce, ter uma excelente conectividade e escolher os canais para o recebimento dos pedidos – seja por apps de delivery, site ou canal emergencial, como o WhatsApp;
  • Planejamento: é preciso fazer projeções de venda com base nos últimos dias e disponibilizar uma estrutura que seja condizente com a fase atual;
  • Gestão: as compras devem chegar no prazo estipulado. Por isso, a gestão dos processos deve ser feita com excelência, desde as equipes até a entrega.

O delivery como ponto de partida

Com tantas pessoas em casa, o consumo em restaurantes passou a ser por uma via: por meio do delivery. Não é à toa que o serviço teve um crescimento expressivo em 2020. Segundo uma pesquisa feita pela Mobills, startup de finanças pessoais, os gastos com pedidos de comida via aplicativo aumentaram 187% nos últimos meses.

E, em datas comemorativas, como é o caso da Páscoa, a procura tende a ser maior. Daí a importância de preparar o estabelecimento para oferecer um bom serviço, rápido, disponível e de qualidade. Ter uma boa conexão é, mais uma vez, essencial, tanto para quem trabalha com apps ou para quem dispõe de um sistema próprio.

Afinal, será preciso receber e organizar os pedidos, além de gerenciar toda a equipe envolvida no trabalho. Além do mais, para esta última atividade, adotar um software de gestão ou uma ferramenta de colaboração pode ser um bom caminho. 

Geralmente alocadas em nuvem, tais ferramentas permitem uma visão panorâmica de todas as atividades, bem como os prazos e as metas que devem ser alcançadas.

Aliás, a cloud computing é, sem dúvidas, uma grande aliada dos restaurantes na Páscoa ou em outras datas comemorativas. Isso porque se trata de um serviço escalável. Ou seja, pode ser ampliado e reduzido facilmente, sempre que houver necessidade das empresas.


LEIA MAIS: saiba como turbinar o delivery do seu restaurante na pandemia


Reforce a segurança

No caso de bares e restaurantes, vender online significa disponibilizar dados importantes (e sigilosos) na internet, como cartões de crédito e endereços pessoais. Por isso, é essencial reforçar a proteção contra ciberataques

Devido à pandemia, muitas pessoas estão trabalhando de casa ou consumindo mais por meio de e-commerces e aplicativos, o que é um grande chamariz para criminosos.

Além de equipar as máquinas utilizadas com antivírus, aposte em soluções de segurança da informação que vigiam computadores durante 24h, por exemplo. Há também ferramentas que evitam que os sistemas não saiam do ar, prejudicando a realização dos pedidos e, consequentemente, as entregas.

Atraia o cliente

Ter uma infraestrutura tecnológica robusta é fundamental para bares e restaurantes em datas comemorativas. No entanto, planejar ações específicas para a Páscoa contribuirá de maneira efetiva para ampliar as vendas. Alguns exemplos que você pode começar a planejar agora mesmo:

  • Frete grátis: é um dos elementos que mais fazem as pessoas desistirem de uma compra. Por isso, considere instituir uma semana de gratuidade para os seus clientes;
  • Descontos: pense em porcentagens atrativas, sobretudo nos itens que estão ligados diretamente à Páscoa. É um importante chamariz;
  • Divulgação prévia: use o site, as redes sociais e os grupos no WhatsApp para disseminar as condições que você pensou para vender mais na Páscoa. Pense que a propaganda é, sempre, a alma do negócio;
  • Promoções especiais: além dos descontos, uma boa alternativa é dar algo na compra de uma coisa. Por exemplo: ao adquirir um almoço para quatro pessoas, você ganha uma garrafa de vinho para combinar com o tradicional bacalhau. Acredite, pois é um caminho promissor.

Para esses três exemplos, ter os recursos listados acima, como uma infraestrutura de conectividade robusta, soluções de cloud e softwares de segurança da informação, é essencial para suportar o aumento da demanda nesta época de aumento das vendas.

Restaurantes na Páscoa: e os salões?

Caso a abertura de bares e restaurantes esteja liberada para a recepção de clientes no período da Páscoa, garantir o distanciamento se mantém como um desafio importante para os estabelecimentos. 

Tal característica é o que poderá conferir maior segurança no retorno presencial. 

Abrindo ou não na Páscoa, os restaurantes precisam se preparar para a retomada durante a pandemia. E um dos recursos mais promissores neste sentido é a Internet das Coisas ou IoT (sigla de Internet of Things).

O uso de câmeras e sensores, por exemplo, pode monitorar, em tempo real, a movimentação dentro dos salões. Tais dados podem ser utilizados como base para a correção de procedimentos, melhorias na distribuição das mesas e na redução do volume de pessoas que circulam pelo local ao mesmo tempo.

Por estarem conectados à rede, tais dispositivos são capazes de coletar e analisar informações em tempo recorde, gerando relatórios que serão fundamentais para a estratégia de bares e restaurantes.


LEIA MAIS: Saiba como a IoT pode apoiar o crescimento do seu restaurante


Conclusão

Ainda há muitas incertezas no setor de bares e restaurantes, sobretudo depois do agravamento da pandemia. No entanto, desde março de 2020, a digitalização das operações mostrou ser a única forma de driblar os problemas e incrementar o orçamento. Em datas comemorativas, como a Páscoa, isso ficou ainda mais evidente.

Daí a importância de reforçar a infraestrutura para suportar o aumento de pedidos e criar serviços específicos para estimular as compras na ocasião. 

Para atender essa expectativa do setor, a Vivo Empresas construiu um portfólio repleto de soluções capazes de dar agilidade, eficiência e efetividade a bares e restaurantes (estando eles com as portas abertas ou não).

Como parceira estratégica na implementação de tecnologias que capazes de  otimizar processos, a empresa oferece soluções em Conectividade, Equipamentos, Cloud, Segurança, Big Data, Ferramentas de Colaboração, TI e Gestão de Tecnologia a estabelecimentos de todos os tamanhos, com as mais diversas necessidades de digitalização.

Quer saber mais sobre como alavancar as vendas no setor de bares e restaurantes? Confira os artigos que separamos para você:

Até a próxima!

Compartilhe este conteúdo!

Solicite um contato
campo obrigátório

Enviamos conteúdos do seu interesse para seu e-mail, cancele a qualquer momento.

Cadastro efetuado com sucesso!

Em breve você receberá os melhores conteúdos para ajudar a gerenciar, expandir ou inovar o seu negócio