Antecipando as macrotendências no varejo para 2024-2025

Foto do autor

Poucos setores de negócio passaram por tantas mudanças nos últimos anos como o varejo. E não é pra menos: a cada tecnologia que surge, o setor se transforma para se adaptar e evoluir. Foi assim com a internet, as compras online, o celular e as redes sociais, para citar alguns. 

Mas o que vem por aí? O que o futuro reserva para este segmento que é um dos mais importantes para movimentar a economia, especialmente em um cenário de recuperação de crise? No texto a seguir, vamos explorar as macrotendências do setor varejista e sua relação com os avanços tecnológicos dentro do segmento, passando pelos seguintes tópicos: 

  • Transformação digital na experiência do consumidor 
  • Inovações tecnológicas nas lojas físicas 
  • Omnicanalidade e a integração de canais de vendas 
  • Personalização e segmentação dos clientes 
  • Sustentabilidade e responsabilidade social no varejo 

Transformação digital na experiência do consumidor 

Imaginamos que você já deve estar cansado de ouvir falar sobre transformação digital no varejo. Afinal, após a chegada da pandemia e as políticas de lockdown, a migração dos serviços para o online foi o que garantiu a que muitas empresas permanecessem em operação.  

No entanto, a transformação que estamos falando aqui vai muito além de estabelecer um atendimento no WhatsApp. O e-commerce não para de crescer e o consumidor abraçou de vez este hábito: 63% dos brasileiros declararam ter realizado alguma compra online em 2022.  

Se somarmos isso à força das redes sociais, que ainda são a principal fonte de informações de compras do consumidor brasileiro, fica claro que estamos falando de um consumidor bem-informado e exigente em relação aos seus hábitos de consumo. 

Para entender estes hábitos, é preciso conhecer seu consumidor. Contar com uma solução de inteligência de dados é crucial para conseguir mapear o perfil de comprador da sua loja e oferecer uma experiência de compra mais personalizada. Com estes dados, você pode tirar insights e trazer ofertas que estejam mais alinhadas ao que seu cliente busca.  

Outra maneira de personalizar o atendimento é oferecer experiências de realidade virtual ou aumentada. Com elas, o consumidor pode experimentar o produto ou serviço de maneira imersiva, o que dá segurança em sua decisão de compra. Imagine, por exemplo, se você pudesse visualizar como um móvel ficaria em sua casa antes de comprá-lo, ou como você ficaria vestindo aquela calça jeans que chamou sua atenção no Instagram. Não faltam exemplos de empresas fazendo isso hoje. 

E-book | Impulsionar vendas em datas comemorativas _V1

Inovações tecnológicas nas lojas físicas 

Mas nem só de digital vive o varejo. Com o fim da pandemia global decretado pela OMS, os consumidores voltaram com força para as lojas físicas: 2023 já registrou um aumento de 10% na presença dos compradores em relação ao ano anterior, e ese comportamento deve se repetir em 2024.  

Os motivos vão além da vontade de sair. Ainda que as compras online sejam mais práticas, é na loja física que o consumidor consegue experimentar o produto de fato. Além disso, o atendimento personalizado de um vendedor ainda supera em muito o contato frio do e-commerce. 

Isso não quer dizer que não haja espaço para a tecnologia. Pelo contrário: além do fortalecimento da omnicanalidade, que iremos explicar melhor adiante, há diversos recursos que podem facilitar a vida do consumidor, especialmente aqueles que tratam dores específicas relacionadas à compra presencial. 

Uma inovação que já faz parte do dia a dia do brasileiro, mas que deve continuar crescendo muito é o pagamento por aproximação, seja por aplicativos com tecnologia NFC, seja por meio de cartões adaptados para isso. De acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), o volume total de movimentações com esta forma de pagamento deve atingir R$ 500 bilhões em 2024. 

O motivo é simples: pagamentos por aproximação são mais rápidos e práticos, o que supera os receios que a falta de segurança pode trazer. É esta praticidade que também favorece os self-checkouts, caixas onde o próprio consumidor passa suas compras e paga, sem precisar enfrentar filas. Em resumo, quanto mais prática e descomplicada for a experiência do seu consumidor no varejo, maiores as chances de ele querer voltar para sua loja. 

Omnicanalidade e a integração de canais de venda 

Isso nos leva ao conceito de omnicanalidade, um assunto que já abordamos aqui no Vivo Meu Negócio. A transformação digital e o crescimento do e-commerce fizeram nascer um consumidor híbrido, que transita entre os dois mundos – muitas vezes simultaneamente, como o caso de consumidores que pesquisam preços e vantagens no site de uma loja e comparam com o que estão vendo no espaço físico. 

De acordo com uma pesquisa do GS1 Brasil, 65% dos brasileiros declararam já ter comprado em mais de um canal da mesma loja. Com isso, a integração destes canais torna-se cada vez mais importante para conquistar esse cliente. Ao juntar os dados destes canais, você consegue pintar uma imagem muito mais fiel do consumidor que você tem e pode oferecer serviços cada vez mais personalizados para ele. 

A Omnicanalidade não impacta apenas no ato da venda: ela ajuda na fidelização deste cliente. A mesma pesquisa citada acima mostrou que empresas que oferecem experiências multicanais em sua jornada de venda tem mais chance de reter seus consumidores. 

Sustentabilidade e responsabilidade social no varejo 

Esta não é uma macrotendência relacionada à tecnologia. Ainda assim, é um ponto importante para ficar de olho para o futuro. Afinal, práticas que ferem o meio-ambiente ou a dignidade das pessoas têm sido denunciadas com cada vez mais frequência, especialmente nas redes sociais.  

Assim, adotar práticas sustentáveis, como trocar embalagens plásticas por outras menos poluentes, adotar máquinas e processos que utilizem menos energia e causem menos impacto para o meio-ambiente são medidas que você deve tomar se quiser se alinhar com o comportamento do consumidor. 

Mas não se trata apenas de cuidar da natureza: a forma como seus funcionários são tratados em sua loja também precisa ser um ponto de atenção. Garantir a dignidade e a integridade psicológica e moral dos seus colaboradores pode evitar mais que um processo: pode afastar uma crise. 

Estas são algumas das tendências que se espera para o varejo nos próximos anos. Se fôssemos resumir tudo em uma palavra, ela seria “consumidor”. Afinal, sua experiência, seus hábitos e suas decisões vão precisar estar no centro de todas as suas decisões, independente do seu porte ou segmento.  

Se modernizar a sua loja está nos seus planos para 2024, considere também contratar um serviço de Gestão de Vendas para seu varejo. A automatização não só vai ajudá-lo a gerir o dia a dia de sua loja de maneira eficiente, como também liberará tempo e recursos para você focar nas grandes transformações que precisa para realizar seu objetivo. 

E já que está aqui, que tal aprender mais sobre como personalizar a experiência do seu cliente? Ou então conhecer mais sobre a economia prateada e como os consumidores 50+ estão representando uma parcela cada vez maior de compradores? 

Até a próxima!

Foto do autor
Solicite um contato