Medicina de precisão: a tecnologia em benefício do paciente

Foto do autor

A cada dia que passa, a tecnologia proporciona mais avanços significativos no setor de saúde, seja por meio de equipamentos que contribuem com diagnósticos mais assertivos, de novos tipos de tratamentos ou de abordagens diferenciadas. E, dentre as inovações do segmento, está a medicina de precisão.

O objetivo dessa prática é oferecer um cuidado personalizado e, consequentemente, mais eficiente aos pacientes, com base em suas necessidades individuais. Para isso, é feita uma investigação clínica aprofundada sobre o estado do indivíduo. 

Segundo um estudo da Deloitte sobre o futuro da saúde, a estimativa é de que esse mercado alcance até $87,7 bilhões em 2023. Para que você compreenda esse conceito e entenda como ele está transformando o setor, neste artigo, abordaremos os seguintes tópicos:

  • O que é medicina de precisão?
  • Diagnóstico precoce assegura futuro saudável
  • Benefícios de cuidados personalizados  
  • O impacto da tecnologia na medicina de precisão 

O que é medicina de precisão?

Também conhecida como medicina personalizada, é uma nova maneira de exercer a profissão. Nela, o foco deixa de ser a doença e a atenção é voltada a cada paciente, de forma individualizada.

Na prática tradicional, são trabalhados métodos universais, isto é, tratamentos padronizados para determinadas doenças, que funcionam da mesma forma para todas as pessoas. 

Ainda que sejam realizados diversos estudos clínicos e testes de amostragem, com o intuito de comprovar a eficácia dessas intervenções, a abordagem não leva em consideração as características de cada organismo. Ela é focada na doença e em sua manifestação de modo geral.

Em contrapartida, na medicina de precisão, cada indivíduo recebe um tratamento único e personalizado, baseado em suas características biológicas e genéticas, no ambiente em que ele está inserido e em inúmeros outros fatores. 

Em outras palavras, trata-se de uma forma mais humanizada de atendimento médico, visto que o foco é, definitivamente, o ser humano.

No entanto, os métodos convencionais de diagnóstico e tratamento não são ignorados, afinal, eles funcionam. O que esta modalidade de cuidado clínico faz é cruzá-los com o perfil genético de cada paciente. Assim, cria-se um panorama de informações específico pertinente a cada caso.

Webinar | Investir em tecnologia na saúde_V1

Diagnóstico precoce assegura futuro saudável 

Agora que você já sabe o que é a medicina de precisão, vamos a um exemplo prático e emblemático, conhecido em todo o mundo. Há alguns anos, a atriz norte-americana, Angelina Jolie descobriu uma mutação genética em seu corpo por meio de soluções em Inteligência Artificial (IA), e optou por remover as duas mamas.

Após algum tempo, ela também retirou os ovários. Todas essas cirurgias preventivas foram baseadas no risco grave de câncer que a alteração no gene em questão representava para esses órgãos.

Esse caso mostra a personalização da medicina de precisão no cuidado com a saúde, no qual ela faz uso, sobretudo, do componente mais individual de um ser humano: seu genoma. A partir desse dado, Angelina pôde antecipar o surgimento de doenças e preservar seu futuro.

Entretanto, é importante ressaltar que nem todas as intervenções realizadas com base nesse tipo de informação são drásticas. Inclusive, há como fazer muito pela saúde com bons hábitos de vida ou exames de acompanhamento.

Como funciona a medicina de precisão?

A partir de uma amostra de saliva ou sangue, é possível ter conhecimento do que está acontecendo nos nossos mais de 20 mil genes. Além disso, cerca de 15% das pessoas possuem alterações ou condições genéticas que predispõem o surgimento de alguma enfermidade. 

Ter essas informações em mãos permite medir as chances de um paciente desenvolver artrite reumatoide, diabetes, infarto, câncer e várias outras enfermidades que ameaçam a saúde.

Além disso, os estudos genéticos também podem trazer outros dados, como rápido diagnóstico de doenças raras e medicamentos mais ou menos eficientes no contexto de cada indivíduo.

Se um homem tem mutações que o predispõe a apresentar um quadro de câncer de pulmão, ele pode melhorar a alimentação, parar de fumar e seguir uma rotina de exercícios,  por exemplo. 

Já uma mulher com alto risco de desenvolver câncer de mama pode iniciar as mamografias aos 25 anos, em vez de somente aos 40 ou 50, e adicionar à rotina de exames preventivos uma ressonância magnética dos seios.

Vale destacar que essas medidas também são válidas para pessoas propensas a sofrer com doenças cardiovasculares, como acidente vascular cerebral (AVC) e infarto.

Benefícios de cuidados personalizados

Diante de uma pandemia ou de uma doença grave e altamente contagiosa, não há outra alternativa além dos testes em massa. Nos deparamos com isso nos últimos anos, quando laboratórios de todo o mundo começaram a testar suas vacinas em diferentes grupos de voluntários.

Porém, em relação a outras questões de saúde, como doenças neurodegenerativas, câncer e doenças autoimunes, o tratamento personalizado que a medicina de precisão propõe pode surtir um grande efeito. Afinal, cada caso é único, e o profissional da saúde tem uma relação mais profunda com o paciente. Veja, a seguir, os principais benefícios.

Mais qualidade de vida para o paciente

Como a medicina de precisão é um método que leva em consideração as particularidades de cada pessoa, afeta diretamente a qualidade de vida do paciente, que sabe que está recebendo o melhor tratamento, pensado especificamente para o seu caso e considerando o funcionamento do seu organismo.

Melhores condições de trabalho para o profissional de saúde

O profissional da saúde também é beneficiado, visto que, ao voltar sua atenção para cada paciente, consegue conceder diagnósticos mais assertivos e ricos em detalhes.

Além disso, como o médico dedica mais tempo em cada caso, ele pode, até mesmo, aprofundar seus conhecimentos sobre uma determinada doença. Isso beneficia a comunidade médica como um todo, assim como as pesquisas científicas relacionadas a essa questão.

Bons resultados na prevenção de doenças

A medicina de precisão também tem bons resultados na prevenção de enfermidades, pois possibilita que um indivíduo descubra se está suscetível a desenvolver uma doença, antes mesmo que ele tenha sintomas clínicos visíveis. 

A partir disso, é possível fazer uma abordagem preventiva antecipadamente, por meio de exames específicos e acompanhamento próximo. Dessa forma, há como evitar que a doença se manifeste. Porém, caso isso aconteça, o médico e o paciente já estarão mais preparados para lidar com a patologia.

Impactos positivos sobre a economia

Por sua vez, a prevenção de mazelas  impacta positivamente a economia do País. Sob o olhar previdenciário, por exemplo, as pessoas terão uma vida de qualidade e serão produtivas por mais tempo. Com isso, a sociedade é diretamente beneficiada.

Desenvolvimento de novos medicamentos

Por fim, temos a indústria farmacêutica. O setor pode se beneficiar da medicina de precisão da seguinte maneira: com o aval de profissionais da saúde e especialistas, os laboratórios poderiam criar remédios ou soluções voltadas a pequenos grupos de pessoas que tiveram algum tipo de intolerância, efeito adverso ou não responderam satisfatoriamente aos tratamentos tradicionais.

Tecnologia que integra precisão 

A medicina e a tecnologia andam lado a lado, a fim de aprimorar a qualidade do atendimento oferecido aos pacientes. E, por meio de soluções tecnológicas, os benefícios desse tipo de tratamento podem se tornar ainda maiores. 

Isso porque dados já utilizados na alopatia tradicional (materiais genéticos) são coletados e unificados. E, por meio destes, é possível prescrever tratamentos que vão de encontro aos problemas e sintomas de cada pessoa.

A Inteligência Artificial (IA), por exemplo, está sendo cada vez mais usada para fins de estudo genético. E uma das principais e mais promissoras técnicas da IA é o Machine Learning, que é uma técnica em que as máquinas identificam padrões em conjunto de dados e, após a identificação, funcionam por conta própria. 

No setor de saúde, o Machine Learning pode ser aplicado no desenvolvimento de modelos preditivos — isto é, para identificar quais são as chances de um paciente ser acometido por uma doença ou como o organismo do paciente responderá a um determinado tratamento. 

Dessa forma, podemos afirmar que as tecnologias biológicas foram impulsionadas pelo avanço da digitalização, dos computadores e processadores, da microeletrônica e da conectividade sem fio. Quando aplicadas, interferem de forma direta na qualidade de atendimento do paciente.

Além disso, a medicina continua seguindo um caminho guiado pelo desenvolvimento de novas soluções. A convergência das tecnologias entre as mais diversas áreas, sobretudo a IA, a engenharia genética, a genômica, a tecidual e as práticas a distância, como a telemedicina, trouxeram mudanças benéficas para os cuidados especializados. 

Quando o assunto é tecnologia, a Vivo Empresas dispõe de soluções completas para seu negócio. Oferecendo conectividade, segurança digital, cloud computing e ferramentas de colaboração e produtividade, apoiamos com toda a infraestrutura tecnológica necessária para as organizações de saúde.

O que vem por aí 

Como mencionamos ao longo deste artigo, a medicina de precisão está relacionada com a Inteligência Artificial, e é usada para diagnosticar doenças e auxiliar na definição de estratégias terapêuticas em diversas áreas, até mesmo na oncologia.

Com os novos recursos, mais especificamente o uso de testes moleculares, a tendência é de que os diagnósticos sejam cada vez mais meticulosos e personalizados. Já em relação ao tratamento, existe uma expectativa de que o uso da tecnologia contribua para o desenvolvimento de estratégias mais eficazes, precisas e individualizadas. 

Isso porque essa tecnologia ajuda a desvendar quais são as combinações de remédios mais adequadas e menos agressivas para cada paciente, além de ajustar as doses e o tempo de tratamento.

Entretanto, ainda existem algumas limitações. Para alimentar os algoritmos, por exemplo, é imprescindível que os dados sejam precisos. De todo modo, a integração da IA está sendo incorporada ao currículo médico, e deve ser cada vez mais discutida, principalmente em relação aos critérios éticos.

Por fim, a tendência é de que cada vez mais pessoas tenham acesso à medicina de precisão, visto que os avanços tecnológicos estão diminuindo os preços dos exames. E, aos poucos, serão notórios os efeitos positivos mais amplos para o Brasil. Inclui-se aqui a redução de gastos no Sistema Único de Saúde (SUS), pois a população poderá se prevenir, obter diagnósticos individualizados e receber tratamentos precoces.

Gostou deste conteúdo? Então, continue lendo nossos artigos sobre a contribuição das inovações tecnológicas para a saúde.

Até a próxima!

Foto do autor
Solicite um contato