Proxy: controle e visibilidade para acesso ao ambiente de internet


Publicado em 25 de março de 2021, às 8:12
Consultor de produtos de Segurança da Informação da Vivo Empresas

Uma máxima dos tempos atuais é que a maior exposição digital aumenta a vulnerabilidade a ataques criminosos. É um fato, infelizmente. 

Mas pensemos por outro lado. 

O uso cada vez mais frequente de recursos tecnológicos contribui de maneira imensurável para a evolução dos negócios. Sobretudo, por garantir custos mais acessíveis, ferramentas corporativas eficientes e ambientes em nuvem para a atuação remota, entre muitos outros benefícios.

Porém, como aproveitar tais vantagens sem impactar a segurança das informações? 

Isso é totalmente possível, mas cabe às companhias estruturarem uma estratégia capaz de deter invasões. O primeiro passo é analisar o ambiente para controlar o que  PODE ou NÃO PODE ser acessado pelos usuários, garantindo, assim, a integridade dos dados, 

Talvez você questione: “nossa, mas o que ele está falando é muito antigo… e isso o que está sendo explicado eu já faço há muito tempo“. Será mesmo? 

Fica aqui essa provocação. Sua empresa realmente está fazendo tudo o que pode nesse sentido? Tem seguido os protocolos?

Para ter a certeza, é de extrema importância conhecer todos os aliados disponíveis para resguardar o que uma companhia tem de mais precioso: as suas informações.

Um deles é o PROXY. Ao tocar nesse ponto, nós nos referimos basicamente à conexão à internet. O primeiro passo é saber que, nós, usuários, nos comunicamos com o servidor. E, ao nos ligarmos a ele, os dados que enviamos podem ser interceptados. Ou seja, é o ambiente propício para ataques realizados por criminosos.

Uma troca livre, sem nenhum tipo de filtro, entre essas duas pontas certamente deixará o seu IP exposto. 

Com isso, qualquer pessoa pode ter acesso aos dados, informações restritas e, sobretudo, atacar a rede, gerando inúmeros prejuízos. E é justamente aqui que o proxy age. É uma solução essencial para manter a segurança na conexão à web.

Mas como o proxy age?

O proxy é uma tecnologia que funciona como intermediária. Sendo assim,  tem o papel de receber as informações que o usuário solicita e de repassá-las ao servidor. Durante esse procedimento, o recurso consegue esconder o número de IP, evitando ataques à rede.

Como já deu para perceber, trata-se de uma solução que traz uma série de benefícios para as companhias. Por isso, não adotá-la implica em riscos que podem ser graves, como o aumento da vulnerabilidade da rede.

Para se ter uma ideia, o IP é a porta de entrada para que invasores digitais roubem dados valiosos. Daí a importância de ter esse filtro potente, uma peça essencial na estrutura de cibersegurança das companhias. 

Quando me perguntam sobre as vantagens de utilizá-lo, eu sempre respondo com essa lista:

  • É uma lupa, capaz de averiguar, em tempo real, os acessos e as movimentações na rede;
  • Contribui diretamente com a economia da largura de banda;
  • Consegue guardar as páginas mais acessadas;
  • A segurança da rede fica muito mais otimizada;
  • Tem a capacidade de criar regras de bloqueio de sites a determinados grupos ou usuários;
  • Detecta e impede que um site malicioso aja;
  • Acelera a navegação e a velocidade da internet.

É importante, contudo, ter em mente que o ideal é utilizar um proxy em conjunto com outras ferramentas de proteção, como o firewall, por exemplo. É a tal da infraestrutura robusta que cada empresa deve ter para blindar suas informações.

Como o proxy funciona na prática

O proxy é capaz de interceptar o tráfego HTTP/S em uma rede e, em seguida, fazer a conexão ao servidor remoto em nome do cliente original, retransmitindo as respostas a ele. 

A maioria tem a capacidade de bloquear ligações a sites específicos com base na categorização ou no conteúdo de segurança. Além disso, podem obstruir respostas de servidores remotos que contêm tópicos indesejáveis (por exemplo, malwares). 

Esse panorama mostra bem a importância de apostar em recursos do gênero. Ou melhor, de integrá-los a uma trama de soluções e ferramentas capazes de reforçar a cibersegurança de uma companhia

Com tantas pessoas trabalhando no modelo remoto, o investimento em proteção deixou de ser um diferencial. É uma preocupação MANDATÓRIA, necessária.

E somente a tecnologia é capaz de fazer um monitoramento frequente (e amplo) para identificar comportamentos estranhos e oferecer camadas extras de proteção, como é o caso do proxy.

O que queria passar aqui é justamente isso. Devemos utilizar os recursos disponíveis como aliados, interligando-os de modo inteligente às estratégias de segurança robustas e eficientes. 

Um exemplo de solução nesse sentido é o Vivo Filtro Web WSG  oferecido pela Vivo Empresas e alocada em nuvem, que resguarda a empresa (e seus usuários) de possíveis ameaças. Trata-se de um um filtro capaz de impedir o acesso a endereços e conteúdos indevidos.

Assim, quando combinada a um proxy, por exemplo, forma uma barreira que blinda redes, sites, colaboradores e o sistema em geral. 

As companhias devem ficar atentas às inovações nesse sentido, já que apoiam a evolução dos negócios. É impossível crescer com a vulnerabilidade batendo à porta.

Consultor de produtos de Segurança da Informação da Vivo Empresas

Compartilhe este conteúdo!

Solicite um contato
campo obrigátório

Enviamos conteúdos do seu interesse para seu e-mail, cancele a qualquer momento.

Cadastro efetuado com sucesso!

Em breve você receberá os melhores conteúdos para ajudar a gerenciar, expandir ou inovar o seu negócio