O que é a economia circular e como aplicá-la nos negócios

Foto do autor

A economia circular — modelo no qual as empresas criam cadeias de suprimentos que recuperam ou reciclam os materiais usados ​​para criar seus produtos — ganha cada vez mais destaque no mundo dos negócios. Além da necessária abordagem ecológica, a redução da utilização de recursos, a diminuição da pegada ambiental e a minimização do desperdício operacional são assuntos atraentes para os CEOs.

Além disso, a pressão por uma economia global sustentável está crescendo em todos os aspectos, fortalecida pelas preocupações com as mudanças climáticas. Logo, clientes, investidores, parceiros, fornecedores, funcionários e organizações não governamentais (ONGs) estarão exigindo que as empresas transformem sua forma de trabalhar. A construção de um novo modelo é peça-chave para atender a essa demanda.

Se você se interessa pelo tema, veja, a seguir:

  • O que é economia circular empresarial
  • Principais benefícios da economia circular
  • Primeiros passos para a implementação da economia circular
  • Modelos de negócios circulares

O que é economia circular?

A circularidade é uma forma inovadora de fazer negócios, que pode melhorar tanto a sustentabilidade quanto a lucratividade. Segundo o criador da fundação Ellen MacArthur Foundation, o modelo circular é uma “estrutura para uma economia que é restaurativa e regenerativa por design”. 

Criar uma economia circular significa simultaneamente aumentar a competitividade, melhorar o relacionamento com fornecedores e clientes e ajudar a agir sobre mudanças climáticas e compromissos de sustentabilidade. 

Os números comprovam. Estima-se que essa modalidade consiga gerar US$ 4,5 trilhões em valor econômico até 2030. E que as empresas sustentáveis ​​já estão gerando retornos mais altos do que seus pares.

Diferentemente do modelo linear tradicional, que trabalha com o conceito de uso e descarte, a economia circular tem um aprimorado aproveitamento de materiais, que passa pela restauração e reutilização dos mesmos. A intenção é que esse sistema beneficie o meio ambiente, as pessoas e os negócios.

Com esse comportamento, o ciclo de vida dos produtos é estendido ao máximo. Em outras palavras, quando um produto atinge o mais alto nível de expectativa de vida, seus materiais são economizados produtivamente dentro do respectivo campo econômico.

Esse ponto torna-se ainda mais importante quando sabemos, de acordo com o relatório The Circularity Gap Report, de 2020, que, de todos os 100 bilhões de toneladas de minerais, combustíveis fósseis, metais e biomassa disponíveis, apenas 8,6% são reaproveitados. É um número muito pequeno. 

Essa chamada “lacuna de circularidade” está ficando maior e é resultado da mentalidade do modelo linear. Neste, empresas e indivíduos transformam materiais em produtos que, geralmente, têm vida útil curta. Em seguida, os detritos do que foi utilizado ​​para criar essas marcadorias são enviados para um aterro sanitário. 

Webinar | Proteger sua empresa de ataques virtuais_V1

O que é economia circular empresarial?

Um modelo de negócios circular é sustentável apenas se o custo do produto puder ser economicamente recuperado. Isso pode ser realizado por meio de sua reutilização, ampliando o valor dos materiais e da energia empregados no processo de fabricação. Ou então dividindo-o em componentes a serem reciclados para outro uso. 

Fatores externos, como regulamentações, mercados secundários de produtos usados ​​ou mercados ativos de componentes de commodities também determinarão quanto os fabricantes podem extrair desse formato.

Produtos de alto valor que são fáceis de acessar e processar, por exemplo, são ideais para circularidade, porque não exigem nenhuma mudança significativa na forma de fazer negócios.

No entanto, é difícil saber quanto desse montante pode ser desbloqueado. Avaliar a viabilidade de uma determinada estratégia nesse sentido requer um cálculo cuidadoso de custos, além de uma certa quantidade de experimentação. 

Principais benefícios da economia circular

Há muitas vantagens decorrentes do uso e da implementação global da economia circular. Considerando o modelo 3R (reparar, reutilizar e reciclar), alguns dos benefícios são os seguintes:

  • prevenir resíduos;
  • melhorar o design ecológico;
  • impulsionar o crescimento econômico;
  • reduzir a pressão ambiental;
  • aumentar a competitividade no setor empresarial;
  • estimular inovações e melhorias de mercado;
  • favorecer o crescimento da empresa;
  • crescer a receita do negócio;
  • fornecer matérias-primas seguras;
  • oferecer mais oportunidades de trabalho.

Principais passos para a implementação da economia circular

A implementação de uma economia circular em seu negócio pode ser demorada e contemplativa. No entanto, para ajudar a aliviar o processo, aqui estão as etapas essenciais a serem seguidas, ao aplicar o modelo para fins comerciais.

Crie planos, defina metas

Para implementar com sucesso a economia circular, toda empresa precisa desenvolver um plano de ação. Para isso, as empresas primeiro precisam responder a várias perguntas importantes, como:

  • O que a empresa mais representa?
  • Como a implementação da economia circular afetará a receita de uma empresa?
  • Quais são os valores que uma empresa dará e receberá se incorporar esse conceito benéfico?
  • Como esse modelo contribuirá para o dimensionamento de uma companhia?
  • Como uma empresa contribuirá para um planeta melhor? 

Forneça conhecimento para educar sua equipe

Para fazer uma mudança e implementar com sucesso o conceito de economia circular, as companhias precisam ter certeza de que o modelo é bem conhecido e compreendido por todos os funcionários e colaboradores.

Além disso, é missão de uma marca tomar consciência da própria transição, de seu resultado positivo, das estratégias para mudar seu design, dos objetivos e dos benefícios que advêm de sua implementação.

A trajetória e a direção do desenvolvimento de uma empresa devem ser familiares a todos os envolvidos no processo de crescimento. Isso pode ser alcançado com seminários diários ou semanais sobre o tema, bem como por meio de cursos de treinamento e apresentações educacionais.

Inovar, selecionar e engajar

Existem três pilares importantes para estabelecer adequadamente a economia circular para fins comerciais. São eles:

  • Inovação: ótimo para a automotivação e o sucesso da empresa e de seus funcionários. Quando uma companhia deixa de motivar seus colaboradores, não há dúvida de que a missão de uma mudança positiva também fracassará.
  • Seleção: parte crucial da implementação da economia circular em qualquer negócio. Uma empresa deve conseguir selecionar e otimizar seus principais produtos e materiais, reutilizando-os, reciclando-os e transportando-os com eficiência.
  • Engajamento: uma companhia deve se concentrar em se conectar e se envolver com seus clientes, parceiros de negócios e fornecedores, apresentando-lhes as metas e ambições sustentáveis ​.

Cinco principais modelos de negócios circulares

O Manual de Economia Circular explica, por meio de cinco modelos de negócios, por que as empresas nascidas circulares têm vantagens em relação às demais:

1. Entradas circulares

Em uma economia circular, insumos renováveis, reciclados ou altamente recicláveis ​​são usados ​​nos processos de produção, permitindo a eliminação parcial ou total de resíduos e poluição. O lixo se torna um ativo, não um passivo que você paga para descartar.

Os fabricantes podem esperar custos mais baixos para seus insumos de produção. Estes não precisam ser extraídos de recursos escassos, pois são provenientes de materiais em excesso e materiais reciclados.

Os produtos projetados com essa lógica não se tornam o fim da vida útil. Eles também se beneficiam de altas taxas de recuperação de componentes na qualidade original e maior controle do fluxo de materiais.

Por exemplo, é significativamente melhor reciclar pneus usados ​​em pisos de borracha, tinta, tapetes ou peças de automóveis do que acumulá-los em aterros. 

O modelo de negócios da década de 2030 se beneficiará do pneu ao longo de seu ciclo de uso. Quando a fase de reciclagem for atingida, todos os seus materiais originais serão extraídos e utilizados para produzir pneus novos .

2. Conceito de economia compartilhada

As empresas nascidas circulares maximizam a forma como os ativos ociosos são utilizados ​​em uma comunidade, ao mesmo tempo em que fornecem aos clientes o uso conveniente de produtos e serviços.

Isso também inclui o compartilhamento de bens industriais, como esteira transportadora, empilhadeira, maquinário e armazéns. O acesso a um ativo não requer mais sua compra ou aluguel de fornecedores tradicionais, ele agora pode também ser oferecido por determinado período de tempo por pessoas e empresas individuais. 

3. Produto como serviço

O cliente adquire um serviço por um tempo limitado, enquanto o fornecedor mantém a propriedade do produto, e permanece incentivado por sua manutenção, durabilidade, atualização e tratamento até o final de seu uso.

O item que nasce circular muda o foco do volume para o desempenho, maximizando, assim, o fator de uso e a vida útil. Eles aumentam a resiliência mantendo o controle de produtos e materiais, economizando custos, protegendo contra choques de preços e podem se proteger contra problemas de escassez.

A empresa nascida circular beneficia-se do contato contínuo com o cliente e obtém dados sobre como seus produtos são usados. E ainda ganha acesso a potenciais oportunidades inexploradas para os negócios como, por exemplo, um novo mercado de remanufatura/ reforma.

O provedor, agora, tem uma responsabilidade e um incentivo econômico para mecanismos de descarte mais seguros, uma responsabilidade anteriormente do usuário final.

Por exemplo, o programa Oil as a service (RecondOil), da SKF, muda o uso de óleos industriais para um modelo de negócios circular. Tradicionalmente, a remoção de partículas contaminantes menores que um mícron do óleo industrial tem sido quase impossível, por isso, a qualidade do produto é continuamente degradada. O RecondOil mantém o óleo em circulação constantemente limpo.

4. Extensão de uso do produto

A Prodicircular projeta seus produtos para reparabilidade, capacidade de atualização, reutilização, facilidade de desmontagem, recondicionamento e reciclabilidade de todos os componentes.

Na economia linear, você vende seu produto para o próximo da fila e o principal interesse é comercializar o máximo possível. Em contrapartida, os nascidos circulares projetam seus modelos de negócios para que haja um fluxo de renda contínuo ao longo dos ciclos de uso do produto.

5. Recuperação de recursos

A recuperação de recursos concentra-se nos estágios finais do ciclo de utilização. Ou seja, a recuperação de materiais incorporados, energia e recursos de produtos no final do uso que não são mais funcionais em sua aplicação atual.

A empresa nascida circular tem interesse econômico direto na extração de valor recuperável de todos os seus produtos. Seu design concentra-se em tornar a recuperação de valor fácil e eficaz. Seu modelo de negócios garante que os usuários sejam incentivados a devolver os produtos, por meio de depósitos ou no modelo de utilização do mesmo como serviço.

Por exemplo, o serviço de troca da Vodafone incentiva os clientes a devolverem seus celulares e tablets antigos em troca de um desconto em um novo gadget ou crédito na loja. Os itens retornados são recondicionados e revendidos, ou têm seus componentes desmontados e reciclados.

A prática atual de reciclagem, muitas vezes, resulta na degradação da qualidade dos materiais. Já as companhias que trazem a ideologia circular garantem que os recursos sejam recuperados com a mais alta qualidade possível. 

Por que a economia circular é o futuro

A passagem para o novo modelo provavelmente será mais rápida do que as transformações passadas. A União Europeia já afirmou que fará a transição para uma economia circular, com o objetivo de tornar a Europa mais limpa e competitiva. 

Além disso, ao contrário das mudanças anteriores, que encontraram resistência do público, há uma pressão social crescente para que as empresas se tornem cada vez mais responsáveis em relação ao clima.

O Gartner prevê que, até 2029, as cadeias de suprimentos não poderão produzir resíduos, pois clientes e governos não mais acharão isso aceitável. No entanto, é realista esperar que, a partir da década de 2030, a economia circular não seja apenas a principal, mas sim a única.

Assim como as empresas digitais revolucionaram os negócios analógicos, veremos as circulares rompendo com os modelos lineares. Aqueles que precisam se adaptar devem se concentrar na transição para a circularidade. 

A digitalização será uma vantagem fundamental em uma economia circular. Nesse sentido, a Vivo Empresas vem acelerando as jornadas de evolução digital de organizações de diversos tamanhos, com um variado portfólio de soluções de conectividade, cloud, IoT e big data

Confira estes artigos para saber mais sobre o tema.

Até a próxima!

Foto do autor
Solicite um contato